Projeto do Fusstat produz quase 28 mil máscaras de tecido para doação

Já no fim, ‘Unidos pelas Máscaras’ doa remessa de 7.762 peças à prefeitura

374
Trabalho foi realizado em “home office” com a participação de 65 voluntárias (AI Prefeitura)
Publicidade
Siltec
Da reportagem

Após dois meses em funcionamento e com a produção de quase 28 mil máscaras de tecido para doação, o Fusstat (Fundo Social de Solidariedade de Tatuí) encerrou o projeto “Unidos pelas Máscaras”.

De acordo com a presidente do Fusstat, Sônia Maria Ribeiro da Silva, as peças foram produzidas para serem doadas a entidades carentes, órgãos públicos e à população em geral, com o objetivo de ajudar na prevenção e evitar a transmissão do novo coronavírus.

A entrega da última remessa ocorreu no dia 1º, no paço municipal. Na ocasião, a prefeita Maria José Vieira de Camargo recebeu a doação de 7.762 máscaras, levadas pela coordenadora Viviane Campos, acompanhada de integrantes do projeto.

A confecção das peças começou no dia 1º de abril, com dez voluntárias, e a intenção era entregar 5.000 unidades. Contudo, Sônia informou que mais pessoas foram aderindo ao projeto. No total, foram produzidas 27.762 máscaras e o grupo chegou a reunir 65 voluntárias.

“Fiquei muito feliz com esse novo braço do Fundo Social. Os voluntários se dedicaram muito, trabalharam em feriado, em final de semana, enfim, tiveram pouco tempo de descanso para ajudar o projeto. E são pessoas que eu quero que continuem sempre com o Fusstat, pois nós sempre precisamos de mãos solidárias”, acrescentou a presidente.

Publicidade
Siltec

Sônia explicou que a coordenadora fez a divisão das voluntárias em equipes. Os grupos ficaram responsáveis pelo corte do tecido; preparação de kits com elásticos e linhas, para serem enviados às costureiras; e captação de produção, logística de entrega de material, assistência de produção e costura.

Parte das peças foi confeccionada com tecido branco, que a entidade já havia comprado para as aulas de corte e costura; o restante foi costurado em TNT, material mais barato e que pode ser usado e descartado.

Entidades como Lar São Vicente de Paulo e Casa de Apoio ao Irmão de Rua São José foram beneficiadas com as peças. Também foram doadas máscaras aos servidores públicos da Secretaria de Obras e Infraestrutura, da Secretaria da Educação e do paço municipal.

“A nossa meta inicial era produzir 5.000 máscaras. E, graças à colaboração do nosso voluntariado, alcançamos o recorde de produção de quase 30 mil unidades. Só tenho a agradecer a todos que se empenharam neste projeto maravilhoso”, comentou a presidente.

Segundo Sônia, durante a pandemia, a entidade se dividiu em diversas frentes para ajudar o município no enfrentamento à Covid-19. Em paralelo ao projeto “Unidos pelas Máscaras”, um grupo de professoras do Fusstat trabalhou na confecção de jalecos, uniformes e cortinas para a Saúde municipal.

Com cerca de dez professoras e coordenado por Graça Lima, o grupo confeccionou outras 9.265 máscaras de tecido, 80 cortinas e 489 peças de uniformes. Os materiais também foram doados por remessa, sendo a última (com 53 privativos e 4.715 máscaras) entregue na quarta-feira, 8, à prefeitura.

“A partir de segunda-feira, 13, as professoras começam a trabalhar na confecção de peças para o Bazar de Natal. Se Deus quiser e essa situação da pandemia melhorar, nós vamos conseguir fazer o evento no começo de dezembro”, antecipou a presidente.

Conforme Sônia, para as professoras com mais de 60 anos ou com doenças crônicas, que fazem parte do grupo de risco da Covid-19, as atividades continuarão em “home office” até o fim da pandemia.

Já as outras professoras e voluntárias do Fusstat, deverão voltar ao trabalho nos centros de capacitação dos bairros assim que o estado governo do São Paulo permitir a abertura dos serviços.

Publicidade
Siltec

DEIXE UMA RESPOSTA

entre com sua mensagem
entre com seu nome