Prefeitura auxilia interessados em inscrições para imóveis da CDHU

Município oferece 6 pontos de orientação e suporte para adesão online

311
Seleção dos beneficiados será feita por sorteios públicos classificatórios (foto: AI Prefeitura)
Publicidade
Siltec
Da reportagem

Até segunda-feira, 13, a CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo), braço operacional da Secretaria de Estado da Habitação, realiza inscrições para participação no sorteio das primeiras 158 unidades do Programa “Nossa Casa” em Tatuí.

De acordo com a prefeita Maria José Vieira de Camargo, as inscrições têm de ser realizadas pelo interessado por meio de aplicativo “Kaizala”, disponível gratuitamente nas lojas App Store e Play Store e pelo site www.cdhu.sp.gov.br. No entanto, a prefeitura está oferecendo pontos de apoio, com orientação e suporte para as inscrições online.

“Algumas pessoas estavam interessadas, mas não conseguiriam fazer a inscrição por falta de internet, de equipamentos para acessar o site ou o aplicativo, e ainda a falta de habilidade com as novas tecnologias. Então, decidimos oferecer este serviço à população”, argumenta a prefeita.

Ela ressalta que, para tanto, seis postos de suporte e orientação foram implantados no município, sendo um no paço municipal, um no Cate (Centro de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo) e outros nos Centros de Referência de Assistência Social.

“Capacitamos um pessoal e temos vários pontos de orientações. Tudo isso para auxiliar as pessoas mais simples e que não têm condição de fazer a inscrição sozinhas. Não podemos fazer a inscrição por elas, como era feito anteriormente, mas podemos dar suporte e auxílio”, enfatizou Maria José.

Publicidade
Siltec

Para realizar o cadastro, os interessados devem estar com todos os documentos pessoais em mãos. No paço, que fica na avenida Cônego João Clímaco, 140, centro, o atendimento ocorre das 12h às 18h. Já o Cate, na praça Martinho Guedes, 12, faz o atendimento das 9h às 17h.

Nos Cras, as inscrições podem ser realizadas das 8h às 16h nos seguintes endereços: rua Osmil Martins, 305, Jardim Santa Rita de Cássia (sul); rua João Saulo dos Reis, 90, Jardim Gonzaga (norte); rua Ana Rosa Monteiro, 475, vila Santa Helena (CEU das Artes); ou rua Prefeito Alberto dos Santos, 285, vila Dr. Laurindo (leste).

Para auxiliar os interessados em realizar a inscrição, há também um vídeo explicativo na internet, disponibilizado pela CDHU, que pode ser acessado por meio do link: http://bit.ly/361xtkD.

“Antes, a pessoa vinha fazer a inscrição na prefeitura, mas hoje é direto com a CDHU, para dar mais transparência ao trâmite. Acho que é muito importante este apoio que a prefeitura está dando para as pessoas que querem fazer a inscrição. Já no primeiro dia (8 de janeiro), recebemos várias pessoas esperando suporte, porque não conseguiam fazer sozinhos”, observa.

A prefeita reforça que a seleção dos contemplados será feita pela CDHU, por sorteios públicos classificatórios. Ela lembra que só poderá se candidatar a um imóvel quem estiver morando ou trabalhando na cidade e não ter sido beneficiado por nenhum programa habitacional.

Outra exigência do programa é que o candidato esteja com o nome limpo, ou seja, sem nenhuma restrição de crédito para obter o financiamento ofertado pelas regras da Caixa Econômica Federal. Também não pode possuir pendência com a Receita Federal.

Maria José aponta que os imóveis vão atender famílias com renda entre um e meio e cinco salários mínimos. A Secretaria de Habitação concederá subsídios de até R$ 40 mil, conforme a renda das famílias.

Será possível contar, ainda, com subsídios federais e utilizar o FGTS no financiamento habitacional. Dessa forma, o valor das prestações ficará compatível com a capacidade de pagamento das famílias.

Além disso, conforme as regras do programa, 7% das moradias são reservadas a famílias com membros portadores de deficiências graves e/ou irreversíveis; 5% a famílias compostas por indivíduos idosos (maiores de 60 anos); e 4% a policiais civis, policiais militares, agentes de segurança penitenciária e agentes de escolta e vigilância penitenciária.

Os empreendimentos serão viabilizados pela modalidade “Nossa Casa-CDHU”, que prevê, na primeira etapa, a construção de 11 mil moradias em 113 cidades, em parceria com a Caixa Econômica Federal.

Nessa modalidade, os terrenos são ofertados pelos municípios e a construção das moradias é realizada com recursos da Caixa e da Secretaria da Habitação, por intermédio da Agência Paulista. A CDHU já fez o credenciamento de empresas para a execução de 7.278 unidades da primeira etapa.

Publicidade
Siltec