Polí­cia está em busca de mais suspeitos de incêndios aos ônibus

532
Publicidade





Evandro Ananias

Ônibus foram incendiados em protesto por morte de adolescente

 

A polícia está atrás de mais dois suspeitos de terem participado dos incêndios aos três ônibus que ocorreram no dia 19 de fevereiro, no Jardim Gonzaga e na vila Angélica.

Segundo informações da Polícia Militar, mandado de prisão já foi expedido pelo juiz e a Polícia Civil está responsável pelas investigações.

Publicidade

Os dois suspeitos são maiores de idade e residem na região dos bairros Jardins de Tatuí, Jardim Gonzaga e vila Angélica. De acordo com a PM, ainda existe um policiamento diferenciado nos locais dos incêndios.

Os ônibus do transporte urbano que fazem a linha Jardim Gonzaga e vila Angélica já estão circulando normalmente durante a noite. O serviço noturno, até às 22h, foi restabelecido depois do feriado de Carnaval, segundo informações do gerente da empresa Rosa, Carlos Eduardo Medeiros.

Até o momento, seis adolescentes, com idades entre 15 e 17 anos, e Elvis Aparecido Diniz de Oliveira, 21, foram detidos por suspeita de estarem envolvidos com os incêndios, de acordo com a Guarda Civil Municipal (GCM).

O caso

Na noite do dia 19 de fevereiro, após a morte de um garoto de 16 anos em um tiroteio, três ônibus foram incendiados, supostamente como forma de protesto, segundo informações da GCM e da Polícia Militar.

A troca de tiros teria acontecido após um comerciante entrar em contato com a polícia e relatar que poderia estar sendo alvo de golpe, ao receber uma ligação pedindo uma entrega na vila Angélica.

Os policiais foram verificar o local, onde encontraram três adolescentes, dos quais dois permitiram que os PMs fizessem revista.

Ao mesmo tempo, o terceiro adolescente teria corrido com uma arma, por aproximadamente 500 metros, e entrado em um matagal no fim do bairro Jardins de Tatuí, próximo à vila Angélica.

Após entrar no mato, segundo informações da PM, o rapaz teria efetuado alguns disparos, e os policiais, respondido com mais tiros, que acabaram atingindo o adolescente.

Esse tiroteio pode ter sido o motivo para a ocorrência dos três incêndios contra ônibus, dos quais dois queimaram completamente e um, parcialmente. O primeiro ataque aconteceu em um coletivo “de linha”, que fazia a última viagem pelo bairro Jardim Gonzaga.

Os outros dois atentados ocorreram na vila Angélica, onde um micro-ônibus e um ônibus, sem passageiros, motorista nem cobrador, da empresa Rosa, foram queimados.


Publicidade