PMs detêm suspeito de matar homem a tiro no S. Cristóvão

293
Publicidade





Policiais militares prenderam, na tarde de sexta-feira da semana passada, 13, um homem suspeito de homicídio. Adilson Antônio Ventura, 41, recebeu voz de prisão às 13h34, no bairro Enxovia, um dia depois da morte de Jonas Antunes Pereira, 51. O homem recebeu um disparo de arma de fogo.

A vítima foi atingida quando se encontrava na rua João Felício Magaldi, na vila São Cristóvão. Uma equipe da PM esteve no local, às 20h, e conversou com testemunhas, um segurança de 49 anos e uma dona de casa de 45. A mulher era esposa do comerciante.

O óbito foi constatado no local, por um médico que integra equipe da unidade de suporte avançado do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). Conforme a PM, Pereira estava caído na calçada da rua quando recebeu o atendimento. O local precisou ser isolado até a chegada de peritos.

A equipe da PM localizou o suspeito dentro de um sítio. Na propriedade, os militares encontraram munições de diversos calibres. A corporação chegou até o paradeiro de Ventura depois de receber “diversas denúncias anônimas”.

Publicidade

Nas imediações da propriedade, a equipe promoveu um “grande cerco policial”. A operação resultou na detenção em flagrante. Ventura permaneceu detido na delegacia da Polícia Civil depois de prestar depoimento. Ele responderá pelos crimes de homicídio e posse de munição de uso permitido.

A morte do comerciante é a segunda registrada em Tatuí desde o início do ano. Ainda no dia 12, a PM atendeu à ocorrência do primeiro registro de assassinato.

O morto, um comerciante de 51 anos, chegou a ser socorrido por unidades de resgate, mas não resistiu aos ferimentos. A corporação recebeu chamado de localização às 19h, feita por um motorista de 48 anos, que ligou para informar a localização do cadáver de um homem não identificado, perto da fazenda Astória.

O corpo estava em um trecho da rodovia Gladys Bernardes Minhoto (SP-129) e apresentava perfurações, aparentemente, provocadas por disparos de arma de fogo.

A vítima é branca, tinha os cabelos lisos e na cor castanho escuro, 1,65 metro de altura e pesava 70 quilos. Não portava documentos pessoais.

Com o homem, os policiais encontraram apenas uma aliança. A perícia do IC (Instituto de Criminalística) de Itapetininga compareceu ao local para exames, junto com integrantes da equipe de investigações de homicídios da Polícia Civil.


Publicidade