Placas turísticas começam a ser instaladas

Sinalização indica locais de interesse e orienta quanto a percursos e serviços auxiliares

541
A sinalização turística identifica as vias e os locais de interesse (foto: Eduardo Domingues)
Publicidade
Da reportagem

Por meio da Secretaria Municipal de Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude, a prefeitura iniciou, durante o fim de semana anterior, a fase de execução do convênio de reforma e adequação das placas de sinalização turística.

O montante de R$ 103.000,02, proveniente do Fundo Estadual de Melhorias dos Municípios Turísticos, é garantido por conta do título de MIT (município de interesse turístico) que Tatuí recebeu em 2017, possibilitando a reforma de 34 placas de sinalização e orientação turística e a confecção e instalação de 15 novas.

A sinalização turística identifica as vias e os locais de interesse, orientando os condutores de veículos quanto a percursos, destinos, distâncias e serviços auxiliares, além de ter como função a educação junto ao usuário.

A Abet (Agência Brasileira de Engenharia Turística) – com sede em Belo Horizonte (MG) – é a empresa responsável pela execução da obra. Além de atualizar a sinalização turística do município, será implantado o sistema internacional bilíngue, com informações em português e inglês.

No sábado, 23, a empresa começou a instalação de postes na cidade. O secretário municipal do Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude, Cassiano Sinisgalli, informa terem sido colocados 15 novos postes. A previsão é de que a empresa retorne a Tatuí para seguir com as instalações no dia 6 de junho, um sábado.

Publicidade

“O prazo estipulado é de 60 dias, mas acredito que a empresa deve concluir o serviço antes. Estamos aproveitando a quarentena, com um movimento menor de pessoas nas ruas, para adiantarmos o serviço”, afirmou Sinisgalli.

O secretário revelou que solicitara ao publicitário Rodrigo Villa a criação de uma logomarca para ser colocada nas placas, remetendo aos títulos de Capital da Música, Terra dos Doces Caseiros e Cidade Ternura.

“As placas turísticas terão um complemento com esses símbolos da nossa cidade. Está ficando muito bonito. Elas serão diferenciadas, com um layout repaginado, e Villa está criando uma logomarca que dará um destaque muito importante”, completou.

O titular da pasta aponta que a Capela do Bemfica e o centro – onde há edificações históricas – devem receber novas placas com algumas indicações que estão faltando. Conforme ele, “por serem novos equipamentos culturais ou turísticos”.

O secretário adianta estarem sendo preparadas indicações sobre novos pontos, como o MIS (Museu da Imagem e do Som) e a UPA (unidade de pronto atendimento).

Além dos equipamentos turísticos, as placas indicarão localidades importantes, como a prefeitura, a Câmara Municipal e a Santa Casa de Misericórdia, por exemplo.

O projeto de atualização turística foi aprovado pelo Comtur (Conselho Municipal de Turismo) e, posteriormente, pelo COC (Conselho de Orientação e Controle), pertencente ao Fundo de Melhoria dos Municípios.

O convênio, referente ao pleito de 2018, foi assinado pela prefeita Maria José Vieira de Camargo no dia 30 de novembro de 2018, no Dadetur (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos), em São Paulo.

No entanto, o convênio chegou a ser cancelado quando o governador João Doria assinou o decreto 64.067, publicado no Diário Oficial, em janeiro de 2019, que estabeleceu diretrizes para a reavaliação e cancelamentos de transferências de recursos que já haviam sido assinados no ano anterior.

Na região, além de Tatuí, outras oito cidades foram afetadas pelo decreto: Águas de Santa Bárbara, Boituva, Campina do Monte Alegre, Cesário Lange, Itararé, Paranapanema, São Miguel Arcanjo e Piraju.

“Desde o primeiro dia após o contingenciamento, estivemos presentes em todas as reuniões da Secretaria Estadual de Turismo e da Amitesp (Associação dos Municípios de Interesse Turístico do Estado de São Paulo)”, frisou Sinisgalli, na ocasião.

Contudo, para liberar o recurso referente ao ano de 2018, o governo estadual decidiu realizar descontos nos três pleitos seguintes: de 20%, em 2019; 60%, em 2020; e de mais 20%, em 2021.

Desta forma, o valor de 2019 seria de R$ 395.930,91, mas foram descontados R$ 22.056,80 para compor o convênio 2018, deixando disponíveis R$ 373.874,11, para revitalização e reforma de toda a parte estrutural do prédio do antigo matadouro municipal, que abrigará o MIS.

A medida ainda permitirá que sejam descontados R$ 66.170,40 do montante a ser disponibilizado em 2020 e mais R$ 22.056,80 da verba do ano seguinte. O valor a ser pleiteado neste ano ainda não foi divulgado devido à pandemia de Covid-19.

O empresário César Augusto Araújo, presidente do Comtur, reforça a importância das placas para os turistas. Também reconhece a necessidade de reforma das placas já instaladas, para se adequarem a uma nova norma de informativos.

O presidente ressalta a importância do projeto, pois consta no PDT (Plano de Desenvolvimento Turístico), aprovado por unanimidade pelos conselheiros, em reuniões promovidas pelo Comtur juntamente com o Departamento Municipal de Turismo, da Secretaria Municipal de Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude.

Sinisgalli acrescenta que a execução do projeto “é mais uma lição de casa que a administração municipal está colocando em prática”. As placas de sinalização turística são exigências a MITs e estâncias turísticas.

Conforme o titular da pasta, a reforma e a confecção das placas são importantes na preparação do município para receber os turistas após o controle da pandemia, além de serem mais um passo em busca da elevação de Tatuí a estância turística.

“Estamos preparando o município. Após a pandemia, assim que estivermos liberados para promovermos eventos com aglomerações, Tatuí estará pronta na parte de sinalização turística”, reiterou.

“Acredito que será muito importante, e vai contar muitos pontos para o ranqueamento do município entre os MITs, que, em breve, será um candidato para se elevar a estância turística”, sustentou Sinisgalli.

O secretário ainda acentuou que o valor pôde ser investido devido ao título de MIT. “Esta verba é um convênio com o governo estadual para ser 100% utilizada em obras turísticas. Não podemos gastar em outras obras, somente nas turísticas”, concluiu.

Publicidade