Pilotos que sofreram acidentes receberam atendimento em 1min

    153
    Publicidade
    EleService institucional
    Alessandra Bonilha, dra
    Anglo
    Siltec





    Um minuto é o tempo que as equipes do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) de Tatuí levaram para prestar atendimento aos pilotos Monique Camargo e Willian Pereira Leandro, que sofreram acidentes no domingo, 4.

    Eles participavam das provas da segunda etapa do Campeonato Paulista Motocross MX1-MX2, realizada em comemoração aos 187 anos de Tatuí.

    Conforme a coordenadora do serviço no município, a enfermeira Andréia Fonseca, além dos dois, outros seis pilotos receberam primeiros-socorros nessa mesma média de tempo. “A maioria das quedas, de menor gravidade”, comentou.

    Monique e Leandro precisaram de atendimento diferenciado. Contudo, todos os pilotos foram transferidos para o Pronto-Socorro Municipal “Erasmo Peixoto”. De acordo com o Samu, os dois em estado mais grave perderam a consciência.

    Publicidade
    EleService institucional
    Anglo
    Alessandra Bonilha, dra
    Siltec

    Os acidentes ocorreram quase no mesmo ponto da pista. Monique foi a primeira a cair. No impacto, ela bateu a cabeça e ficou inconsciente. “Os dois convulsionaram, tanto a moça como o jovem”, relatou a coordenadora do Samu.

    Segundo a enfermeira, a equipe adotou o procedimento padrão, primeiro retirando o capacete dos pilotos, colocando o colar cervical e, depois, “pranchando” (acomodando-os em macas) os dois até as ambulâncias.

    Duas delas ficaram de prontidão no evento, sendo uma de suporte avançado e outra de suporte básico.

    “Aconteceu tudo muito rápido. Não chegamos a ver o acidente, mas ela (Monique) apresentou todos os sintomas de quem havia batido muito forte a cabeça”, descreveu Andréia.

    Conforme a coordenadora, Monique e Leandro perderam a consciência. A moça teve transferência efetivada para hospital de São Roque, na segunda-feira, 5, após ficar quase um dia em Tatuí.
    Já o piloto foi levado, no mesmo dia 4, para o hospital “Cruz Azul”, da Polícia Militar de São Paulo, pela própria equipe do Samu.

    Os dois acidentes mais graves ocorreram quase no mesmo trecho da pista do Motódromo Municipal “Altair Passerani Filho”. Leandro sofreu queda um pouco mais distante do ponto em que Monique se acidentou. Ele caiu perto do pódio; ela, mais à frente.

    Para atender aos pilotos e o público que acompanhou o evento, o serviço deslocou um médico, duas enfermeiras, uma técnica em enfermagem e dois socorristas ao bairro Inocoop.
    “Acompanho o evento há anos (prestando atendimentos), mas acredito que este seja o primeiro que o Samu esteve presente”, disse.

    Andréia afirmou, ainda, que a equipe de atendentes é preparada para trabalhar em grandes eventos. “O atendimento é sempre muito rápido, principalmente, quando se trata de trauma, para o qual temos treinamento”.

    “Tenho muito orgulho de fazer parte da equipe do Samu. Eles (os socorristas) foram fantásticos e não pararam um único minuto”, concluiu a coordenadora.


    Publicidade
    EleService institucional
    Anglo
    Siltec
    Alessandra Bonilha, dra