Pela Capital da Música

492
Publicidade

A versão on-line do guia turístico e gastronômico “Tatuí Cidade Ternura” já está disponível com livre acesso no portal “O Progresso Digital”. A publicação em digital traz todas as informações da versão impressa.

A segunda edição do guia chegou aos assinantes no primeiro final de semana deste mês, em paralelo à distribuição dirigida a órgãos do setor, como o Comtur (Conselho Municipal de Turismo) e a Secretaria Municipal de Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude.

O guia reúne informações turísticas dos principais pontos de visitação do município, dados relacionados à história e eventos locais, além de listagem dos estabelecimentos de gastronomia e hotelaria locais.

A publicação, novamente, recebeu chancela do Comtur, citada pelo presidente do órgão, Wagner Eduardo Graziano, como referência, tal como também a reconheceu o chefe de gabinete da Secretaria Estadual de Turismo, Daniel Marcon Parra – como exemplo para outros municípios recém-elevados à condição de MIT, como Tatuí.

E, para reforçar ainda mais o estímulo ao turismo – por meio do “bom atendimento” –, o guia é concluído com a relação de todos os estabelecimentos já certificados com o selo de qualidade turística, parceria do próprio Comtur com o São Paulo Visitors & Bureau.

Publicidade

Completando a proposta de divulgação e buscando atender ao “público externo”, o jornal disponibilizou a reprodução de todo o guia em formato digital. A versão on-line pode ser vista na página inicial de “O Progresso Digital” (www.oprogressodetatui.com.br).

O objetivo dessa nova etapa da iniciativa é levar informações úteis a turistas interessados em conhecer a cidade. De modo a torná-lo mais completo ainda, o guia digital poderá ser atualizado ao longo do ano.

Outro aspecto abordado pelo jornal sobre o turismo, também nesta semana, resultou em conclusão inconteste e definitivamente positiva: os tatuianos aprovam em massa a tematização da cidade como Capital da Música.

A verdade é que seria por demais estranho algo distante dessa realidade, mas é sempre oportuno reforçar o óbvio, especialmente quando este óbvio só carrega aspectos positivos.

A música em Tatuí – que extrapola ao próprio Conservatório – é sua maior virtude, sua “marca” mais significativa. É a característica que pode lhe marcar definitivamente a identidade não só em um título tradicional, mas por meio de um conjunto de ações e geração de novos patrimônios concretos!

Para se efetivar um projeto de futuro dessa envergadura, é necessário levar (muito) a sério a orientação do secretário do Turismo do Estado, Laércio Benko.

Quando em recente visita à cidade, ele evidenciou que “a elevação de Tatuí como MIT (Município de Interesse Turístico) representa uma pepita de ouro entregue de presente à cidade, e cabe aos políticos locais embalá-la corretamente antes de entregá-la à população”.

Por consequência, Benko defendeu a correta premissa de que as cidades beneficiadas deveriam investir em suas peculiaridades, buscando, assim, reforçar suas identidades e, por estas, finalmente, atrair os turistas.

Frente a essa consciência, é muito animador o resultado de enquete promovida pelo jornal O Progresso ao longo desta semana. Tomando o tema como assunto, a pesquisa apontou opções para os investimentos na área de turismo local.

Precisamente, foi questionada a necessidade (ou não) de se definir uma tematização para a identidade turística de Tatuí. Entre cinco opções (incluindo a “não” necessidade de um tema em específico, que obteve apenas um a cada 20 votos), consolidou-se o óbvio: música!

A aposta em Tatuí como Capital da Música também na instância turística recebeu o equivalente a 70% dos votos. Na sequência, praticamente empatadas, ficaram as opções de investimento nas tradições caipiras e nos doces (texto completo nesta edição).

O resultado evidencia e reitera que, sim, o tatuiano reconhece suas virtudes e, afinal, demostra consciência e muito produtivo senso de oportunidade. Disto, só pode surgir um promissor caminho rumo à estância turística!

Publicidade