Pediatria retorna a PS e Prefeitura anuncia planos voltados a crianças

279
Publicidade





O Pronto-Socorro Municipal “Erasmo Peixoto” voltou a contar com atendimento de pediatria. Desde a segunda-feira, 15, o especialista Jorge Alfredo Orsi passou a dar plantões no ambulatório. Ele regressou às atividades depois de entendimento com o Executivo e quase um ano depois de ter sido desligado.

De acordo com o prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu, o pediatra atende diariamente, mas somente no período da tarde. Nos horários em que não estiver de serviço, a população conta com o serviço de retaguarda da Santa Casa.

O hospital oferece atendimento de diversas especialidades, como ortopedia, neurologia, cardiologia e ginecologia, entre outros.

“A diferença é que o médico volta a prestar um atendimento mais específico para as crianças que vão até o pronto-socorro levadas pelos pais”, disse o prefeito.

Publicidade

Manu afirmou que Orsi havia sido desligado pela Prefeitura não a pedido da São Bento Saúde, mas “após entendimentos”. A empresa de administração hospitalar presidida pelo frei Bento de Aguiar e Silva geriu o ambulatório e a Santa Casa entre outubro do ano passado e o início deste ano.

“Na realidade, ele (o médico pediatra), naquele momento, estava querendo dar um tempo. Ele precisava resolver alguns pontos pessoais, e nós acabamos chegando a um consenso. Então, ele afastou-se do pronto-socorro”, afirmou.

O médico decidiu retornar para o posto depois de, novamente, conversar com a administração da Santa Casa. Segundo Manu, a comissão provisória que comanda o hospital “achou por bem retomar o serviço e incluir um especialista da área”.

“Vendo, também, a preocupação da população e buscando melhorar cada vez mais o atendimento, nós decidimos que essa seria a decisão mais acertada”, disse Manu.

O prefeito informou que o médico aceitou “prontamente o convite” para voltar a trabalhar no pronto-socorro. Durante a conversa com a comissão provisória e o prefeito, Orsi apresentou sugestões que se transformaram em planos. A Prefeitura tem dois projetos a serem implantados e que são voltados às crianças.

O Executivo programa a criação de um ambulatório exclusivo para atendimento pediátrico na UPA (unidade de pronto atendimento) e uma ala infantil junto ao Cemem (Centro de Especialidades Médicas Municipais).

Ambas as propostas, porém, deverão ser efetivamente instaladas a partir do ano que vem. O motivo é a queda na arrecadação de recursos.

Manu disse que as propostas já constavam em plano de governo, apresentado em 2012. Entretanto, frisou que, por conta da recessão econômica do país – que afetou a arrecadação do município –, o Executivo não pôde colocá-las em prática nos quatro anos de governo (tempo de mandato).

“Estamos partindo, nesse momento, para a realização de testes para implantar os projetos. O médico já faz um atendimento diferenciado por meio de convênio particular, e é o que nós vamos começar a desenhar para a Prefeitura”, contou.

A ideia é incluir, nos quadros do Cemem e da UPA, mais quatro profissionais pediatras. A equipe ficaria responsável por fazer todos os tipos de atendimentos, desde os básicos até os de urgência e emergência, sendo 24 horas na UPA.

“Estamos estudando os projetos, que foram sugeridos por Orsi durante a nossa conversa, mas que já constavam no nosso planejamento”, enfatizou o prefeito.

De acordo com ele, a previsão inicial era de colocar novos profissionais para atendimento infantil no primeiro ano de gestão. “Nós tínhamos essa ideia, mas, devido à questão financeira e a crise financeira pela qual estamos passando, não tivemos meios para tirar os projetos do papel”, lamentou.

Por esse motivo – e, especialmente, por não constarem em previsão na LOA (Lei Orçamentária Anual) deste ano –, as propostas seriam iniciadas em 2017.

“Se nós passarmos pelo pleito e seguirmos por mais quatro anos, o pediatra vai nos auxiliar especificamente na efetivação desses projetos”, afirmou.

Como no PS, o Cemem receberia atendimento de corpo de profissionais em um determinado período. Manu disse que a proposta é de, em princípio, oferecer a especialidade para mães que levam os filhos no horário da tarde.

Na UPA, que deverá funcionar ininterruptamente, o atendimento deverá ser 24 horas por dia. Os médicos do pronto atendimento trabalhariam em sistema de plantão.

Conforme o prefeito, a criação do espaço na UPA não implicará em mudanças no contrato firmado entre a Prefeitura e o Instituto Hygia. No fim do mês passado, a administração transferiu para a OS (organização social) a tarefa de construir, equipar e administrar a unidade, que funcionará no bairro Cecap.

“A gestão da UPA já contempla pediatria, além da ala adulta. O que nós faremos é a inclusão desse modelo de atendimento na infantil”, descreveu o prefeito.

Manu também reforçou previsão divulgada pelos representantes do instituto responsável pela conclusão da unidade. Conforme ele, o imóvel deverá ser inaugurado em outubro.

Nesse mês, a empresa está realizando o acabamento interno (com instalação de pisos e vitrôs). No mês que vem, os trabalhos envolverão as partes externas do prédio.

“O instituto mantém a previsão, mas estamos em cima para que ele cumpra o prazo”, concluiu.


Publicidade