‘Paulo Setúbal’ premia autores e alunos

17º Prêmio Literário e 18º Concurso tiveram cerimônia de encerramento na sexta

252
Vencedores do 'Concurso Paulo Setúbal' foram conhecidos na sexta, durante cerimônia de premiação no Teatro 'Procópio Ferreira' (foto: Eduardo Domingues)
Publicidade
Fabio Villa Nova
Antuerpia

O teatro “Procópio Ferreira” recebeu, na noite de sexta-feira, 2, escritores, poetas e alunos das redes pública e privada de ensino para a cerimônia de premiação do 17º Prêmio Literário e do 18º Concurso que levam o nome do escritor Paulo Setúbal.

O evento ainda teve o lançamento do tabloide com os trabalhos de todos os vencedores dos certames, organizado pelo Departamento Municipal de Cultura, da Secretaria de Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude e que será encartado no jornal O Progresso na edição de final de semana.

A cerimônia teve início com apresentação do Grupo Seresteiros com Ternura, formado por Godoy Nogueira na viola, Pedro Adilson Pavanelli no violão, Paulo Rita Aguiar no cavaquinho, Carlos Mendes na timba e Maria Inês Camargo na voz, levando ao público sucessos da MPB.

Na sequência, a noite foi conduzida pela professora Dalila Ribeiro e pelo diretor municipal da Cultura, Rogério Vianna, com a divulgação dos premiados.

O 17o Prêmio Literário Paulo Setúbal, de abrangência nacional, somou 544 inscritos nas modalidades conto, crônica e poesia, em aumento de 44,4% em relação ao ano anterior, que tivera 303 participantes.

Publicidade
Fabio Villa Nova
Antuerpia

Nas mesmas categorias, o certame ainda premiou três escritores tatuianos de um total de 42 inscritos, por meio do Prêmio “Galardão” – destinado exclusivamente a obras de autores nascidos ou residentes há mais de dois anos em Tatuí.

A premiação para cada uma das categorias foi de R$ 2.000, para o primeiro lugar, R$ 1.000, para o segundo e R$ 500, para o terceiro, mesmo valor para os tatuianos agraciados com o Prêmio Galardão.

Escritores de 102 cidades brasileiras, de 19 estados e do Distrito Federal, participaram do concurso. Entre eles, Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina e São Paulo.

Representantes de quatro estados do país estiveram entre os primeiros colocados e os que receberam menções honrosas. No entanto, na categoria crônica, os dois maiores prêmios foram entregues a escritores tatuianos.

Lúcio Rodrigues Júnior, residente no município há quatro anos, alcançou a primeira colocação, com a obra “Ram Móveis”. Na edição de 2018, ele havia ganhado o Prêmio “Galardão” de poesia e uma menção honrosa na categoria conto.

Rodrigues Júnior afirmou ter sido uma surpresa a vitória na categoria crônica. Ele atua como treinador de equipes municipais de damas e como árbitro em campeonatos amadores de futebol. Contudo, ressaltou o “amor que tem pela literatura” e pediu para que os escritores continuem participando dos concursos Paulo Setúbal.

Citando a mentora, a poetisa de Cerquilho Isabel Pakes, Rodrigues Júnior aconselhou os amantes da literatura: “Quando escrever, guarde o texto na gaveta. Após um tempo, tire-o da gaveta, veja o que escreveu e acrescente, antes de guardar de novo. Utilizando a gaveta como se fosse um forno literário, um dia o texto estará pronto”, recomendou.

O tatuiano Odimar Justino Martins Proença foi o segundo colocado na categoria crônica, com a obra “O Universo Numa Folha de Papel”, e ainda ganhou o Prêmio “Galardão” de poesia, com o texto “Passos e Versos”.

O premiado apontou a importância do prêmio como incentivo à literatura, relembrando que fora em um festival como este que descobrira o dom para a poesia, aos 35 anos.

“Eu escrevia bastante, mas nunca poesia, até que, participando de um festival, criei a minha primeira poesia e acabei vencendo. Desde então, nunca mais parei. Estou com 53 anos e participo de vários concursos pelo Brasil, isso me incentiva muito a continuar escrevendo”, disse ele.

Conforme Proença, as premiações entregues no teatro “Procópio Ferreira” trazem uma “atmosfera diferente”. “Quando eu estava do outro lado, sentado na poltrona, eu queria subir ao palco como vencedor”, revela.

Ele ainda acrescenta a importância do tabloide encartado por O Progresso. “A pessoa pode ver no tabloide que um escritor tatuiano foi premiado e despertar o interesse pela literatura. De repente, pode ler e até dizer: o que ele escreveu, eu também posso”, completou Proença, aos risos.

Ainda na categoria crônica, o autor da obra “O Quixotesco Cavaleiro da Distopia”, o paulistano Luiz Eduardo de Carvalho, ficou com a terceira posição.

Ele frisa que o Prêmio Literário Paulo Setúbal é “um baluarte de resistência em favor da cultura nacional, massageando cada ponto onde ela reside”.

“A cultura reside na minha crônica, no poema de um, no conto de outro, no desenho de cada criança. Fomos todos massageados e revigoramos nessa luta de revitalização da cultura”, declarou.

O Prêmio “Galardão” da categoria crônica foi entregue a André Stahl de Góes, pela obra “Por Razões Estéticas e de Existência, Esse Texto Possui Um Título Muito Grande”. Com o texto “Canções Para o Fogo Roubado”, o escritor tatuiano ainda recebeu uma menção honrosa do Prêmio “Galardão” de conto.

O prêmio máximo da categoria conto foi entregue a Rodrigo Antônio Cardoso, de São José dos Campos, com a obra “Lia de Itamaracá e o Circovolante”. Já na poesia, Gabriel Eduardo Bortulini, de Porto Alegre (RS), foi o vencedor, com a obra “Soneto (Ou Dedo Médio) ao Capitão”.

O último tatuiano agraciado com o Prêmio “Galardão” foi Alexandre Aparecido de Oliveira Cardoso, na categoria conto, com a obra “Bella Vista”.

A 17a edição do prêmio entregou, pela primeira vez, menções honrosas ao Prêmio “Galardão”. Além de Góes, mais quatro tatuianos tiveram os trabalhos reconhecidos pela comissão julgadora.

Receberam menções honrosas de poesia os escritores Jessé Emanoel Antônio dos Santos, com a obra “Capítulo”, e André Bueno Kaires, que participa do evento desde a primeira edição e, neste ano, com o texto “Balada”, completou nove premiações.

Na categoria crônica, Marina Pedroza Lion, autora de “Catarse em Vinho Tinto”, recebeu a menção honrosa dedicada aos escritores do município. Assim como a professora Mariana Fogaça Calviño, com o texto “Quando as Almas se Encontram”. A docente também recebeu o mesmo reconhecimento na categoria conto, com “A Mulher Sem Rosto”.

Segundo o diretor municipal da Cultura, Rogério Vianna, o evento deste ano superou as expectativas em diferentes aspectos, agregando ainda mais participantes e trazendo resultados positivos para o município.

Ele frisou que, com a novidade de menções honrosas – inclusive, ao Prêmio “Galardão” -, a comissão organizadora conseguiu o que planejava, que era aumentar o número de competidores de tatuianos e incentivá-los a participar do concurso.

Nesta edição, das 27 premiações entregues, incluindo as menções honrosas, 11 ficaram com escritores da cidade. Segundo Vianna, a premiação de Rodrigues Júnior e Proença em uma modalidade de abrangência nacional evidencia o potencial cultural dos tatuianos.

“Tatuí tem grandes escritores com representatividade no cenário nacional, visto que recebemos inscrições de 102 cidades brasileiras”, avalia o diretor municipal.


Festa dos estudantes

Após a premiação nacional, o evento seguiu com a revelação dos vencedores do 18o Concurso Paulo Setúbal – Literatura e Artes Visuais, este de cunho municipal e dirigido aos alunos do ensino fundamental e médio das redes municipal e estadual de ensino, pública e privada.

As premiações aconteceram entre as modalidades literatura e artes visuais, divididas em cinco categorias: ensino fundamental 1o e 2o ano e ensino fundamental 3o ao 5o ano, nas quais o trabalho consistiu em um desenho; ensino fundamental 6o e 7o ano e ensino fundamental 8o e 9o ano, com a produção de texto; e ensino médio 1o ao 3o ano, em que o trabalho também consistiu na produção de texto.

Como novidade, neste ano, houve alterações nos valores oferecidos, fazendo com que a premiação total fosse aumentada em R$ 2.000.

Em 2018, o professor do aluno vencedor recebia R$ 500 e não havia recompensa em dinheiro para o docente do estudante que alcançava a segunda colocação.

Ao todo, o concurso deste ano teve a premiação no valor total de R$ 10 mil. Os alunos vencedores e os respectivos professores ganharam certificados, troféus e R$ 600 cada. Já a unidade escolar dos vencedores recebeu troféu e um selo literário do Concurso Paulo Setúbal.

Os estudantes que ficaram na segunda posição, assim como os respectivos docentes, tiveram direito a certificados, troféus e R$ 400 cada, enquanto a escola recebeu certificado literário de segundo lugar.

O tema do concurso deste ano foi o “Discurso da Academia Brasileira de Letras – 85 anos de História (1934-2019)”.

Vianna conta que, nos trabalhos, os alunos utilizaram dois trechos do discurso realizado pelo escritor no ato de posse dele na ABL. Setúbal foi o terceiro ocupante da cadeira 31, eleito em 6 de dezembro de 1934.

“Eles usaram a primeira estrofe, na qual Paulo Setúbal agradece os insignes, e a segunda parte, quando o escritor pede licença aos acadêmicos para falar da própria mãe, que foi uma grande incentivadora e que permitiu a formação dele na política, na literatura e em toda a vida”, observou.

Entre os alunos e escolas premiadas, a rede municipal teve destaque, obtendo 15 das 29 premiações. Após receber duas menções honrosas do Prêmio “Galardão”, Mariana ganhou ainda destaque na edição 2019 do concurso, pois voltou ao palco para entregar a premiação a oito dos alunos que orientara.

Mariana é professora do Colégio Anglo e teve alunos alcançando a primeira e a segunda colocações nas três modalidades de literatura, garantindo diversos “Selos de Qualidade Literária” à instituição, além de mais duas menções honrosas.

No ensino fundamental 6o e 7o ano, Mariana entregou o certificado de primeiro lugar a Luiza Valdrighi Marinho, com a obra “A Minha Inspiração”. A irmã dela, Laura Valdrighi Marinho, escreveu “Uma Mãe para um Filho”, texto considerado o segundo melhor da modalidade.

No 8o e 9o ano, a obra “O Padrão”, de Catarina Costa Barreto, alcançou o título da modalidade. “Primaveril”, da aluna Maria Eduarda Xavier Soares, foi contemplado com o segundo lugar. Giovana Cunha dos Santos, autora de “Valorizar”, recebeu uma das menções honrosas.

A premiação de literatura ao ensino médio foi entregue de forma semelhante: o primeiro lugar à obra “Diário de Morte”, da autora Fernanda Antunes; o segundo, ao texto “A Coreografia das Letras”, da estudante Isabella Koyama; e uma menção honrosa a “São Paulo, 28 de abril de 2019”, da aluna Hillary Fabiana Tereza Farah Zanella.

Fernanda expôs que as aulas de Mariana são “incríveis, e ela ajuda muito os alunos”. A vencedora da modalidade de ensino médio está no terceiro ano e pretende cursar direito na Fdusp (Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo), local onde Paulo Setúbal se formou, em 1914.

Premiada nas três edições anteriores do concurso, a estudante afirmou que “admira o escritor tatuiano e escrever sobre ele flui, pois é preciso se doar de coração”.

“Os detalhes sobre a vida de Paulo Setúbal não são encontrados no Google ou no Wikipédia. Você tem de ir ao museu para conseguir ter um contato mais profundo”, observou.

A premiada confessou estar sendo muito emocionante ter vencido no último ano em que podia participar. Se preparando para vestibulares, ela conta estar tendo um contato intenso com os livros, o que a ajudou na produção do texto vencedor.

“’Brás Cubas’ é um clássico. Tivemos uma aula anterior sobre o assunto, e pensei: é muito interessante você escrever sendo alguém morto. Conclui que seria uma ideia diferente e acreditei que conseguiria tornar isso emocionante”, revela Fernanda.

A professora Mariana afirmou que “todo trabalho de sucesso é feito em conjunto” e que “os prêmios são méritos da escola, dos alunos e dos pais”. Embora os alunos tenham alcançado bons resultados em edições anteriores, ela confessa que não esperava tantos prêmios e ser reconhecida individualmente.

“A minha alegria foi em dobro: pela vitória dos alunos e pelos meus textos que receberam menção honrosa. Muitos alunos já sabem que eu também escrevo e me incentivam muito”, comentou.

Segundo Mariana, “para obter êxito em qualquer parte da vida, é importante aliar a fórmula amor e esforço”. “Por isso, meus alunos trabalham muito, e sempre tentando fazer tudo com muito amor”, complementou.

As modalidades de artes visuais garantiram o Selo de Qualidade Literária às Emefs “Professor Accácio Vieira de Camargo” e “Professor Firmo Antônio de Camargo Del Fiol”.

O aluno Felipe Pinto da Silva Fonseca foi o vencedor da categoria a estudantes de seis e sete anos, enquanto Lorena Alves de Oliveira ficou com a segunda posição. Ambos estudam na Emef “Professor Accácio Vieira de Camargo”, sendo orientados pela professora Elis Regina Prestes Barbosa.

A docente Silvia Canto, da Emef “Professor Firmo Antônio de Camargo Del Fiol”, orientou os dois desenhos premiados na categoria do terceiro ao quinto ano. Lethicia Gabriela Sales foi a primeira colocada e Ana Beatriz Silva, a segunda.

Para a prefeita Maria José Vieira de Camargo, a realização da Semana Paulo Setúbal “valoriza as obras do maior escritor de Tatuí e um dos maiores do país”.

Ela afirmou que Tatuí cresceu e, em conjunto com a população, tem “a missão de conduzi-la às próximas gerações”, acrescentando que os estudantes fazem parte da “construção do novo momento”.

“A memória cultuada do escritor Paulo Setúbal nos faz acreditar que o futuro será construído com os valores da educação. Só a educação pode mudar o Brasil”, declarou Maria José.

O secretário municipal do Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude, Cassiano Sinisgalli, destacou a organização do evento, afirmando que se trata de “um dos principais concursos do país”.

O secretário agradeceu à família Setúbal, responsável pela doação de R$ 22 mil entregues em prêmios. Ainda parabenizou a todos que estiveram envolvidos no evento, em especial, os alunos e professores. “É muito gratificante quando recebemos uma pilha de inscrições. A gente fica cada ano mais contente”, salientou Sinisgalli.

As palavras de Sinisgalli foram reforçadas pelo Secretário Municipal de Educação, Miguel Lopes Cardoso Júnior. Ele observou a qualidade dos trabalhos desenvolvidos para o concurso

“Todos vocês nos enchem de orgulho, pois já são referências à nossa cidade. Todo ano, somos surpreendidos com a qualidade dos trabalhos apresentados e, desta vez, não foi diferente”, completou Cardoso Júnior.

Em 2019, os troféus dos certames Paulo Setúbal, foram confeccionados em latão polido aos contemplados na primeira posição, em alumínio polido para os segundos colocados e latão de castanho aos terceiros. Todos os troféus são personalizados com base de granito e plaqueta em latão com os nomes gravados dos vencedores.

Três grupos de jurados ficaram responsáveis por escolher os melhores trabalhos literários e de artes visuais para o Concurso e o Prêmio. No nacional, a banca foi formada por José Rubens Incao, Maria Virgília Frota Guariglia e Myrna Eli Atalla Senise da Silva, todos da Academia Sorocabana de Letras.

Os trabalhos de redação dos ensinos fundamental e médio foram avaliados pelo editor de O Progresso, Ivan Camargo, pela professora Cimira Cameron e pelo escritor Ary Roberto de Souza Pinto. Já os desenhos da categoria artes visuais foram avaliados pelos artistas plásticos Carmelita Monteiro, Jaime Pinheiro e Mingo Jacob.

Publicidade
Fabio Villa Nova
Antuerpia

DEIXE UMA RESPOSTA

entre com sua mensagem
entre com seu nome