Parlamentares abordam corte de verba e obra de revitalização

    736
    Publicidade
    Alessandra Bonilha, dra
    EleService institucional
    Anglo
    Siltec

    Durante a sessão ordinária da noite de segunda-feira, 6, o corte de 30% da verba de recursos federais para universidades e institutos e a reforma de revitalização da praça Martinho Guedes, a praça da Santa, foram abordadas pelos vereadores.

    Uma moção de repúdio ao atual ministro da Educação, Abraham Weintraub, e duas de apelo – uma ao próprio ministro da pasta e outra ao presidente da República, Jair Messias Bolsonaro -, foram protocoladas e assinadas por outros parlamentares.

    Os documentos abordam o corte de 30% das verbas destinadas para universidades e institutos federais, a partir do segundo semestre deste ano. A medida foi divulgada pelo MEC (Ministério da Educação), na terça-feira, 30 de abril.

    Eduardo Dade Sallum (PT), assinou uma moção de apoio ao Condephat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico e Artístico de Tatuí). Conforme a matéria, o conselho protocolou uma representação ao Ministério Público por possíveis irregularidades no processo de reforma da Praça da Santa.

    Sallum também protocolou uma moção de aplausos e congratulações aos jornalistas Florestan Fernandes Júnior e Mônica Bergamo, pela realização de uma entrevista com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

    Publicidade
    Alessandra Bonilha, dra
    Anglo
    EleService institucional
    Siltec

    Entretanto, a matéria foi rejeitada, pois não teve o número mínimo de seis assinaturas de parlamentares. A Câmara Municipal possui 17 vereadores e pelo menos um terço dos edis devem assinar uma matéria para que seja integrada à pauta da reunião.

    A sessão ordinária aprovou 24 indicações, 82 requerimentos e outras 11 moções. O presidente da Casa de Leis, Antônio Marcos de Abreu, convocou uma sessão extraordinária, na qual os vereadores acataram quatro projetos de lei – dois do Poder Legislativo e dois do Executivo -, um projeto de decreto legislativo e um projeto de resolução.

    Os parlamentares ainda aceitaram o pedido do vereador Ronaldo José da Motta (PPS), solicitando que o prazo da CEI (comissão especial de inquérito) para investigação do Tatuiprev (Instituto de Previdência Própria de Tatuí) fosse estendido por mais 60 dias.

    Publicidade
    Alessandra Bonilha, dra
    Anglo
    Siltec
    EleService institucional