‘Obras adicionais de ponte inaugurada vão seguir’, diz secretário

771
Publicidade
Siltec

As obras adicionais da ponte do Jardim Paulista devem continuar. É o que antecipou o secretário municipal de Obras e Infraestrutura, Marco Luis Rezende.

Em entrevista a O Progresso, o titular da pasta afirmou que a inauguração foi possível graças ao empenho da administração. Rezende contou que a obra teve início a partir da interdição parcial do acesso, o que ocorreu há quase dois anos.

A ponte precisou ser fechada em um dos sentidos em 10 de janeiro de 2017. No dia 18 do mesmo mês e ano, houve a interdição definitiva. Em fevereiro de 2017, a Prefeitura construiu uma ponte de madeira, de forma provisória, para atender aos moradores.

De acordo com o secretário, a construção da ligação demorou a começar (teve início em março deste ano, com o içamento das primeiras vigas) por conta do projeto. “Precisamos puxar um pouco mais o centro da nova ponte para que pudesse sobrar espaço para fazermos a rotatória da avenida”, explicou.

A Prefeitura teve que ter mais tempo para preparar a área e, posteriormente, encaixar a ponte para que pudesse dar acesso à avenida. “Foi uma obra que demorou um ano e pouco, mas também que teve interferência das chuvas”, argumentou.

Publicidade
Siltec

Segundo o secretário, a obra não está “totalmente pronta”. Como a avenida já havia sido construída e a ponte, finalizada, a Prefeitura decidiu liberar os acessos. Falta, ainda, encerrar a contenção do lado do bairro da margem do ribeirão com o bolsacreto.

A secretaria também precisa concluir os “guarda-corpos”, como são chamadas as estruturas que protegem os pedestres. Os guarda-corpos são barreiras instaladas nas laterais da ponte que funcionam como atenuadores de choque dos veículos, facilitando o retorno à pista da maneira mais natural possível.

“Não deu tempo de entregar hoje (dia 21), mas esse dispositivo será instalado. Vai mais uns 30 dias para que possamos concluir tudo”, projetou Rezende.

Publicidade
Siltec