O que é gonorreia?

517
Publicidade

Gonorreia é uma doença sexualmente transmissível (DST) comum, que afeta tanto homens quanto mulheres. Ela pode ser transmitida em qualquer contato sexual, seja penetração vaginal ou anal, sexo oral e pode ter manifestações em outros órgãos, como na pele, olhos e articulações.

É uma das infecções sexualmente transmissíveis (ISTs na nova sigla) que mais têm crescido no Brasil e no mundo. Além disso, em 2017, a Organização Mundial da Saúde alertou para como a bactéria “Neisseria gonorrhoeae” está se tornando cada vez mais resistente a antibióticos.

Gravidez e recém-nascidos

Gestantes com gonorreia podem infectar seus bebês durante o parto. Além disso, a gonorreia pode aumentar o risco de prematuridade. Em geral, os bebês infectados apresentam conjuntivite.

Os sintomas costumam ser semelhantes a uma conjuntivite: olhos vermelhos e inchaço das pálpebras, que surgem entre dois e quatro dias após o nascimento. Pode haver manifestações mais graves, incluindo meningite.

Publicidade

Causas

A gonorreia é causada pela bactéria “Neisseria gonorrhoeae”, também conhecida como gonococo. Qualquer indivíduo que tenha qualquer prática sexual pode contrair a gonorreia. A infecção pode ser transmitida por contato oral, vaginal ou anal.

A bactéria se prolifera em áreas quentes e úmidas do corpo, incluindo o canal que leva a urina para fora do corpo, a uretra. Pode ser encontrada também no sistema reprodutor feminino, que inclui as tubas uterinas, o útero e o colo do útero.

Fatores de risco

Alguns fatores considerados de risco podem facilitar a contaminação com a bactéria causadora da gonorreia.

Confira: pouca idade; vários parceiros sexuais; parceiro com histórico de qualquer infecção sexualmente transmissível; não usar camisinha durante o ato sexual; uso abusivo de álcool ou de substâncias ilegais, que é um fator de risco para o sexo desprotegido.

Na maioria dos casos, a gonorreia passa despercebida. Quando há sintomas, podem ser confundidos com outras infecções.

Sintomas no homem

No pênis, os sinais mais comuns da gonorreia são: dor e ardência ao urinar; secreção abundante de pus pela uretra; dor ou inchaço em um dos testículos.

Sintomas na mulher

Já na vagina, os sintomas são: aumento no corrimento vaginal, que passa a ter cor amarelada e odor desagradável; dor e ardência ao urinar; sangramento fora do período menstrual; dores abdominais; dor pélvica.

Sintomas gerais

A gonorreia também pode surgir em outras partes do corpo. Reto – os sintomas comuns na região anal são coceira, secreção de pus e sangramentos; olhos – dor, sensibilidade à luz e secreção de pus em um ou nos dois olhos; garganta – dor e dificuldade de engolir, presença de placas amareladas na garganta; articulações – se a bactéria afetar alguma articulação do corpo, esta poderá ficar quente, vermelha, inchada e muito dolorida.


Em recém-nascidos

Normalmente, os recém-nascidos contaminados com gonorreia no momento do parto podem apresentar sintomas semelhantes à conjuntivite, como: olhos vermelhos e Inchaço das pálpebras. Em casos mais graves, podem ter infecções na corrente sanguínea e meningite.

Ajuda médica

Marque uma consulta com um especialista se notar algum dos sintomas descritos. Procure ajuda médica também se seu parceiro for diagnosticado com gonorreia ou qualquer DST. A doença pode passar despercebida porque os sintomas nem sempre estão presentes. Na consulta, tire todas as suas dúvidas.

Veja alguns exemplos do que você pode perguntar ao médico:

Quais exames são necessários para fazer o diagnóstico?

Meu parceiro também deve realizar esses exames?

Devo realizar exames para detectar outras DSTs?

Como prevenir gonorreia no futuro?

Tratamento

O tratamento é feito com antibióticos receitados pelo seu especialista! Mulheres podem consultar um (a) ginecologista e os homens, um urologista. Obs.: não existe vacina contra gonorreia.

Fonte: https://www.minhavida.com.br/saude/temas/gonorreia

* Médico com título de especialista em pediatria pela Associação Médica Brasileira (AMB) e Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e diretor clínico responsável pela Alergoclin Cevac (Centro de Vacinação).

Publicidade