Notas policiais

724
Publicidade
  • Gerente é ameaçada de morte durante tentativa de extorsão

Uma gerente de 42 anos foi ameaçada de morte durante tentativa de extorsão. Um desconhecido ligou para a empresa em que ela trabalha, no centro, afirmando que a mataria se não fizesse vales postais para ele. O caso aconteceu na manhã de terça-feira, 3.

Conforme relatado, por volta das 11h, ela atendeu a ligação na empresa, pela qual um homem teria dito que ela tinha de fazer cinco vales postais em nomes que ele informaria. O valor de cada vale seria de R$ 1.000.

De acordo com o boletim de ocorrência, durante a ligação, o homem começou a ameaçar a vítima, afirmando que havia um rapaz com uma moto em frente à empresa e, caso ela não fizesse os vales, ordenaria que ele entrasse no local para matá-la.

A gerente afirmou à PC ter olhado em frente ao estabelecimento e constatado que, realmente, havia um rapaz parado em uma moto. Nesse momento, ela pediu a uma das funcionárias que acionasse a Polícia Militar.

Segundo o boletim, antes da chegada da viatura, a vítima teve de realizar um dos vales exigidos. Entretanto, a gerente lançou o valor de R$ 1 no sistema, ao invés de R$ 1.000, para que gerasse um número de vale e o criminoso acreditasse que estava sendo obedecido.

Publicidade

Ainda segundo o BO, ao chegar no local, a PM abordou o motociclista, mas ele alegou que não tinha nenhum vínculo com o ocorrido e só estava esperando uma pessoa.


  • Golpistas dão prejuízo de R$ 4.000 e pedem mais R$ 1.000

Uma farmacêutica de 29 anos foi vítima de estelionato ao acreditar ter pagado pela negociação de um acordo. Os golpistas conseguiram R$ 4.000 e ainda tentaram pegar mais R$ 1.000 dela. O crime aconteceu na segunda-feira, 2.

Segundo o boletim de ocorrência, a farmacêutica entrou no site da Assessoria Aymoré e foi redirecionada a um aplicativo de mensagens para iniciar conversa com a suposta empresa de cobranças Assessoria Aymoré Santander. Ela foi atendida e tratou sobre o contrato de financiamento de uma moto que estava atrasado.

Segundo o boletim, a suposta empresa ofereceu um desconto de quitação do financiamento. A dívida era de R$ 7.738,92, mas o acordo foi selado no valor de R$ 4.000. O atendente passou os dados bancários de “Diogo Pereira dos Santos” para que ela fizesse a transferência bancária, efetuada quatro horas depois.

A vítima enviou o comprovante da transferência, mas a suposta assessoria do Banco Santander teria afirmado que ainda faltavam R$ 1.000. Teria alegado que a farmacêutica tinha visto o valor errado, pois o contrato era no valor de R$ 5.000 e não de R$ 4.000.

De acordo com o BO, “a empresa fez ameaças” para que mais dinheiro fosse depositado e a vítima e o esposo notaram que se tratava de golpe. A mulher ainda afirmou que a suposta assessoria continua enviando mensagens ao telefone dela.


  • Rapaz deixa chave em moto e ‘amigo’ leva o veículo embora

Um ceramista de 33 anos teve uma motocicleta levada da frente da casa dele, no Jardim Aeroporto, no sábado, 23 de novembro. Ele entrou na residência, deixando a chave na ignição da moto. Um “amigo” saiu com o veículo e não o devolveu até o registro do boletim de ocorrência, na quinta-feira, 5.

Conforme relatado, na noite do dia 23, o ceramista estava em frente à casa dele, conversando com dois amigos, quando um outro rapaz teria chegado no local e permanecido “batendo papo” com eles.

Segundo o boletim, após 20 minutos, o ceramista entrou no imóvel, deixando a chave e o capacete na motocicleta estacionada na rua. Aproveitando a ausência da vítima, o rapaz colocou o capacete e deixou o local com o veículo.

Quatro dias depois, o tio do rapaz teria ligado para a vítima, informando que o sobrinho dele estava em Sorocaba e devolveria a moto no sábado, 30 de novembro. Porém, o indivíduo não entregou o veículo e o tio dele não o teria visto mais.


  • 2 furtos de fiações em obras são registrados em 24 horas

Em cerca de 24 horas, dois furtos de fiações elétricas de residências em obras foram comunicados na Delegacia Policial. O boletim de ocorrência do primeiro caso, acontecido no Alto do Santa Cruz, foi comunicado na terça-feira, 3, às 13h, e o segundo, ocorrido no Jardim Módena, registrado às 12h30, do dia seguinte.

Conforme relatado pela vítima do primeiro furto, um balconista de 24 anos, no dia 24 de novembro, ele foi com a namorada na casa que estão construindo. Ao chegar no imóvel e tentar acender a luz, teriam percebido que o interruptor estava quebrado e sem a fiação elétrica.

A vítima disse à PC que a janela de um dos quartos estava danificada e um alçapão, estourado. Posteriormente, constatou que toda a fiação da residência teria sido furtada, sendo 120 metros de fio 2,5 milímetros, 70 metros de fio 1,5 milímetro, 56 metros de fio de seis milímetros e 33 metros de fio de dez milímetros, totalizando 279 metros de fiação.

Segundo o relato da vítima do segundo caso, um músico de 55 anos, na manhã de segunda-feira, 2, ele esteve na casa que está reformando e notou que a porta da sala estava aberta.

Conforme o boletim, no interior do imóvel, a vítima viu duas banquetas utilizadas pelos criminosos para cortar as fiações em cima de uma mesa. Os bandidos furtaram, ao todo, 68 metros de fiação, sendo 30 metros de fio de dez milímetros, 20 metros de fio de 12 milímetros, 8 metros de cabo de TV e 10 metros de cabo de internet, além de um motor de geladeira.

Publicidade