Notas policiais

968
Publicidade
  • Bandidos invadem imóvel de analista de sistemas no “JT”

Um analista de sistemas de 33 anos teve a residência invadida e diversos objetos furtados. O crime aconteceu no Jardim Tóquio, na manhã de quarta-feira, 8, e foi comunicado no Plantão Policial, à tarde.

Conforme o relatado, a vítima esteve fora do imóvel entre às 8h45 e às 12h45 e, ao retornar ao local, encontrou o portão encostado e uma janela lateral danificada.

Da janela, teriam sido removidas duas grades de segurança, aparentemente, à força. Segundo a vítima, a porta lateral foi encontrada destrancada e no interior do imóvel, os pertentes estavam revirados.

De acordo com o analista, foram subtraídos: uma mochila escolar; um videogame (Xbox One), com um controle e um jogo; três maletas porta-joias com anéis, brincos, gargantilhas e pulseiras, entre joias e semijoias; dois óculos de sol; e dois celulares (ambos da marca Samsung, modelo J2 e J5 Prime).


  • Vítima perde mais de R$ 2 mil no golpe ‘conto do motoqueiro’

Um homem de 72 anos caiu em golpe de estelionatários e teve um prejuízo de R$ 2.630. O caso aconteceu no dia 25 de abril, porém, a vítima registrou o boletim de ocorrência somente na quinta-feira, 9.

Publicidade

De acordo com o registro policial, na data do crime, a vítima recebeu uma ligação pedindo para que ligasse para a central da Pan Cartões. A afirmação era de que “o cartão havia sido clonado e uma compra feita no valor de R$ 1.450”.

Conforme solicitado, o homem teria entrado em contato com a empresa e conversado com um atendente chamado Thiago Silva e, inclusive, teria afirmado que o cartão estava em própria posse e não havia feito nenhuma compra.

De acordo com o BO, a vítima foi instruída a fazer uma carta de próprio punho, declarando que não fizera nenhuma compra no cartão. O homem ainda deveria assinar a carta e colocá-la em um envelope, junto com o chip do cartão, pois um motorista iria buscá-lo para perícia da Fibra Banco. Segundo a vítima, um motoqueiro passou buscar o envelope em cinco minutos.

De acordo com o relatado, a vítima teria ligado novamente para a Pan Cartões solicitando o cancelamento do cartão. Porém, o atendente teria informado que o homem havia caído no “conto do motoqueiro” e ainda que constaria outro pagamento de R$ 1.180.

Conforme o BO, o banco cedeu a localização dos dois pagamentos, um em São Paulo e outro, em Itaquaquecetuba. Segundo a vítima, o motoqueiro seria moreno e conduzia uma moto vermelha.


  • Celular de menor é levado de vestiário de estádio no “SC”

Um estudante de 16 anos teve o celular furtado de dentro do vestiário do estádio “Menotti de Campos”, do Santa Cruz, enquanto jogava futebol. O delito aconteceu na noite de quarta-feira, 8, e foi comunicado na Delegacia Central, na tarde do dia seguinte.

Conforme relatado, o adolescente estava jogando futebol no campo do estádio, quando teria acontecido uma confusão e várias pessoas estariam se agredindo. Após o tumulto, o menor teria ido ao vestiário e notado que a própria bolsa havia desaparecido.

De acordo com o boletim de ocorrência, a bolsa de tecido da vítima estava dentro do vestiário do estádio, contendo algumas roupas R$ 3 e um celular, da marca Samsung, modelo Moto G6 Play.


  • Criminosos invadem chácara e furtam 3 casas no “Palanques”

Três casas foram invadidas e furtadas em uma chácara no bairro dos Palanques durante a última semana. Os crimes teriam acontecido entre às 18h de terça-feira, 7, e 13h de quarta-feira, 8, período em que os proprietários se ausentaram do imóvel.

A proprietária de uma das moradias, uma dona de casa de 48 anos, registrou a ocorrência na Delegacia Central na tarde de sexta-feira, 10. Segundo ela, pessoas desconhecidas danificaram a janela de uma das casas existentes na chácara para forçar a entrada.

Aparelho de som, cortador de grama, televisão, receptor de sinal de TV digital, uma bomba hidráulica, cabos elétricos, peças de roupas, panelas e assadeiras foram subtraídas da moradia.

A vítima ainda informou que uma segunda casa existente no mesmo terreno – pertencente a um irmão dela – e outra propriedade vizinha também foram furtadas no mesmo período. A mulher não apontou suspeitos, nem testemunhas.

Publicidade