‘Não essenciais’ devem seguir em quarentena, aponta enquete

393
Publicidade
Da redação

A maioria dos tatuianos entende que os trabalhadores de serviços “não essenciais” devem manter-se em quarentena domiciliar. A enquete realizada nesta semana pelo jornal O Progresso, em seu portal de notícias (www.oprogressodetatui.com.br), apurou que 68% dos leitores acreditam que a medida evita o contágio pelo Covid-19, enquanto 32% discordam.

A questão foi colocada em pauta diante da suspensão dos serviços não essenciais em Tatuí, respeitando-se os decretos estadual e municipal. Eles determinam a adoção do regime de quarentena de 24 de março a 7 de abril.

Para esta semana, o jornal aborda o suposto aumento de preço de diversos produtos durante o período de pandemia do coronavírus.

O consumidor que encontrar botijão de gás de cozinha de 13 quilos sendo vendido por valor mais alto que R$ 70 deve denunciar a prática de preço abusivo, conforme orienta o Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) de Tatuí (reportagem nesta edição). Também conforme o órgão, a compra exagerada de produtos pode levar à escassez e consequente aumento de preços.

Em função disso, a enquete questiona: “Você pretende estocar produtos – particularmente alimentícios – durante o período de quarentena?”.

Publicidade

A pergunta pode ser respondida, a partir deste sábado, 4, com as opções “sim” ou “não”. A votação se encerra na próxima quinta-feira, 9, às 16h30, com publicação do resultado na edição do dia 12.

Publicidade