Monumento de Nacif Farah é restaurado e reinstalado em praça

1396
Monumento foi instalado em 2011, em frente à Escola Estadual “Barão de Suruí” (foto: AI Prefeitura)
Publicidade

A Prefeitura reinstalou, nesta quinta-feira 16, na praça Paulo Setúbal, conhecida como “Praça do Barão”, o monumento do professor e músico Nacif Farah, após ser restaurado pelo artista plástico Claudio Camargo.

O monumento foi instalado em 2011, em frente à Escola Estadual “Barão de Suruí”, como ato de homenagem ao primeiro professor de música dessa unidade de ensino.

A próxima restauração será da o monumento dos seresteiros, instalado em 13 de dezembro de 2013, na praça Manoel Guedes, a “Praça do Museu”.

O monumento é composto por sete personalidades que fomentaram o gênero seresta na Capital da Música: Noel Rudi, Zé Fiuza, Ditinho Rolim, Joãozinho do Irineu, Osmil Martins e Raul Martins, além do ex-prefeito e poeta Paulo Ribeiro.

A assessoria de comunicação do Executivo lembra que, por meio de Ribeiro, em uma noite de seresta, no ano de 1967, junto a uma roda de amigos que executavam músicas do cancioneiro popular, surgiu o sentimento de transformar Tatuí na Capital da Música, redundando em lei estadual no ano de 2007.

Publicidade

Nacif Farah nasceu em Capivari, no dia 22 de agosto de 1902, filho de José Ignácio Farah e Eduarda Lhamas Farah, foi casado com a professora Francisca Vieira de Camargo Farah, nascida em Tatuí, com a qual teve dois filhos: a professora Alzira Camargo Farah Loretti e o pianista Mário Edison Camargo.

Nacif faleceu em Tatuí em 15 de outubro de 1955, data em que se comemora o Dia do Professor.

Era formado no curso de farmácia pela Faculdade de Farmácia e Odontologia de Ribeirão Preto. Lecionou música nas cidades de Franca, Casa Branca e Mogi Mirim. Tem a formação musical devida ao cônego Oscar Sampaio Peixoto, que procurou familiarizá-lo com os “segredos” da harmonia e o contraponto.

Em 1931, Nacif veio a Tatuí, sendo o primeiro professor de música do Ginásio do Estado, que é hoje a E. E. “Barão de Suruí”, na qual também, lecionou a disciplina de química por muitos anos.

Organizou e regeu um orfeão de muitas vozes, que conquistou prêmios pelo Estado de São Paulo. Foi um professor “completo”, pois, além de aulas de suas disciplinas, orientava os alunos nos mais amplos aspectos da educação integral.

É o autor da obra sacra “Sete Palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo na Cruz”, a três vozes mistas (soprano, contralto e baixo), com acompanhamento de órgão ou harmônio, premiada pelo governo da Espanha e até executada durante as cerimônias da Semana Santa em igrejas da França, Portugal, Espanha e Brasil.

“O revisor dessa obra ficou extasiado diante dos profundos conhecimentos contrapontísticos demonstrados no trabalho do então jovem compositor, de 23 anos de idade”, aponta a assessoria do Executivo.

Com 16 anos, Nacif compôs duas fantasias, “Éster” e “Noêmia”, prenúncio de um compositor sinfonista, e foi o criador do coral Santa Cecília, da Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição, sendo seu organista e regente.

Toda a obra composta por Farah apresenta variedade rítmica, melódica, riqueza harmônica e trato contrapontístico. Nas suas composições musicais, utilizou-se de poesias de Castro Alves, Fagundes Varela, José Lannes e Paulo Sílvio Azevedo.

Restaurações

O trabalho de restauração dos monumentos trata-se de um projeto realizado pela Prefeitura, por meio das Secretarias de Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude e de Obras e Infraestrutura, que teve início em outubro de 2017.

Já foram entregues restaurados os monumentos “O Maestro”, situado na avenida Coronel Firmo Vieira de Camargo; “Bimbo Azevedo”, na Praça da Matriz, em frente à casa em que viveu o músico; “João Baptista Del Fiol”, na Praça da Matriz, em frente à rua XI de Agosto; e “Nacif Farah”, na praça Paulo Setúbal, em frente à Escola “Barão de Suruí”.

“Essa ação conta com o apoio financeiro da família Setúbal e com a singularidade relevante do artista plástico e escultor Cláudio Camargo”, ainda conforme divulgado pela assessoria.

“Com mais esse ato, a Prefeitura de Tatuí acentua o intuito de salvaguardar e valorizar esse bem vocacional da cultura tatuiana, que é a música, tão importante para a cultura e o turismo da cidade”, conclui a nota à imprensa.

Publicidade