Maioria diz que Saúde deve ser a prioridade no ano de 2018

314
Publicidade

Saúde, trabalho, infraestrutura, educação e segurança pública. Das quatro áreas, a primeira foi a escolhida como prioritária em enquete virtual realizada pelo jornal O Progresso. A pesquisa apontou que 44% dos participantes elegeram a saúde como o campo mais importante para as ações municipais.

O bissemanário perguntou aos leitores, na última edição de 2017, qual deveria ser a principal meta do governo municipal em 2018. A pesquisa recebeu votos até a tarde de sexta-feira, 5.

O resultado apontou que os leitores querem que a administração municipal dê atenção prioritária à Saúde, com a implantação de um centro de hemodiálise e a conclusão da UPA (unidade de pronto atendimento).

Para 31% dos leitores, o trabalho deveria ser privilegiado. O entendimento é que as ações deveriam ser concentradas na viabilização de novas empresas e em curso de qualificação e encaminhamento para o mercado de trabalho.

A infraestrutura, que abrange operações tapa-buraco, recapeamento e implantação de asfalto, figurou como terceira opção, com 19%. Em contrapartida, 3% optaram pela Educação, para abertura de novas creches e ampliação do número de escolas de ensino fundamental e médio.

Publicidade

Outros 3% também elegeram a segurança pública como área a ser priorizada pela Prefeitura no decorrer do ano. A opção incluía, como medidas, a instalação da cerca eletrônica e o monitoramento de ruas por câmeras.

A questão teve como base balanço divulgado pela prefeita Maria José Vieira de Camargo em entrevista a O Progresso. Em dezembro, a chefe do Executivo falou sobre projetos realizados em 2017 e projetou ações para este ano.

A enquete virtual é realizada semanalmente, desde 2005, e a partir de reportagens publicadas pelo jornal. Nesta semana, o jornal sugere discussão sobre desigualdade social.

Dados do MDS (Ministério do Desenvolvimento Social), do governo federal, apontam que a cidade tem 2,2% de sua população vivendo em condição de extrema pobreza (reportagem nesta edição).

O relatório é elaborado com dados variados, incluindo os do Cadastro Único, usado para conceder benefícios.

Partindo desse princípio, o jornal pergunta: “Qual sua opinião sobre os projetos sociais oferecidos pelo governo federal para a população de baixa renda em Tatuí?”.

As respostas: “Concordo, por ser um modo de atingir a igualdade social”, “Não concordo e nem discordo, pois eles não são a única solução”, “Discordo, porque assistencialismo não ajuda em nada”. Elas podem ser escolhidas em www.oprogressodetatui.com.br a partir da tarde deste sábado, 6, até o dia 12.

O resultado será divulgado no dia 14, no jornal impresso e em “O Progresso Digital”.

Publicidade