Iniciado novo monitoramento em escolas

Secretaria da Educação planeja instalação de 800 câmeras em unidades municipais

753
Secretária de educação e a prefeita Maria José Vieira de Camargo visitando escolas que receberão a tecnologia (foto: AI Prefeitura)
Publicidade

O setor de TI (tecnologia da informação) da Secretaria Municipal de Educação dará início, neste final de semana, à instalação de 24 câmeras de monitoramento e sistemas de alarmes de segurança em duas escolas de ensino infantil.

Até o próximo ano, a intenção é atingir os 65 prédios municipais com mais de 800 aparelhos, conforme a secretária municipal da pasta, Marisa Aparecida Mendes Fiusa Kodaira adiantou a O Progresso.

De acordo com Marisa, inicialmente, o sistema de segurança será instalado nas Emeis (Escola Municipal de Ensino Infantil) “Maria de Lourdes Rosa Bueno”, no Parque San Raphael, e na “Winie Sarli Fitts”, no Jardim Rosa Garcia. Juntas, as unidades atendem quase 300 crianças.

“As câmeras foram adquiridas através de compra direta, em modo emergencial, para atender às duas unidades. Em breve, será feita uma licitação para a instalação de 800 câmeras em todas as creches e escolas”, revelou a secretária.

Segundo Marisa, os aparelhos, adquiridos pela prefeitura, são de qualidade HD e gravam em alta resolução. Além das câmeras, os circuitos de segurança contarão com central de alarme completa, sensor de movimento e sensor magnético. O sistema permitirá vigilância 24 horas em uma central de monitoramento dentro da Guarda Civil Municipal.

Publicidade

“O objetivo principal das câmeras é vigiar o patrimônio. Mas, acredito que o sistema instalado dentro das escolas e creches deve trazer mais segurança tanto para os alunos quanto para as equipes que trabalham nas unidades”, avaliou.

A secretária ressaltou que a iniciativa é da prefeitura, que busca evitar novas invasões. “Tivemos uma fase difícil de furtos recorrentes nas escolas, principalmente em creches e pré-escolas”, contou.

Marisa não possui o número exato de furtos registrados, mas, por levantamento informal, somente neste ano, foram noticiados, na Delegacia Central, pelo menos cinco casos em unidades escolares. “Na maioria das vezes, levaram objetos de pequeno valor”, apontou.

Merenda, botijão de gás e panelas foram os alvos mais recorrentes. Mas, também, houve casos em que os ladrões levaram massinhas, lápis de cor, guache e trabalhos das crianças.

“São coisas que não dá nem para estipular um valor. Causa um desgosto muito grande quando o diretor da escola chega para trabalhar e vê a porta estourada, vidro quebrado e outros atos de vandalismo. Temos que evitar estes crimes”, reforçou.

De acordo com Marisa, a escolha pela implantação nas duas unidades em modo emergencial foi justamente o número de furtos que as unidades vêm sofrendo.

“A creche do San Raphael sofreu três ou quatro furtos seguidos e a do Jardim Rosa Garcia, também. Então, optamos por fazer um projeto-piloto nestas duas”.

Para Marisa, além de evitar os furtos, os sistemas de segurança poderão identificar possíveis criminosos. “As câmeras foram colocadas em lugares estratégicos. Estamos bastante otimistas com a instalação. Acredito que, com isso, as escolas e as creches vão ter muito mais segurança”, frisou.

Segundo a secretária, o processo de implantação do sistema nas escolas vem sendo discutido desde o ano passado. Em abril, a prefeitura anunciou que faria licitação para contração do serviço, contudo, conforme Marisa, o custo seria muito alto.

Desde então, a administração vem buscando uma maneira de adquirir os aparelhos. “Desta forma que estamos fazendo, vai ser feita uma ata de registro de preço, compram-se as câmeras e, aos poucos, elas vão sendo instaladas”, explicou.

“Assim, o custo é bem mais interessante para nós. Além de trazer economia para o município, teremos mais comodidade, já que os aparelhos serão da prefeitura e não haverá data de finalização de contrato, como era feito anteriormente”, afirmou.

O setor de TI da Secretaria Municipal de Educação realizou estudo com o posicionamento estratégico das câmeras, evitando “pontos cegos” e direcionando os aparelhos para as entradas e saídas das unidades.

“Já está tudo pontuado, localizado onde serão instaladas essas câmeras, escola por escola, creche por creche, já tem tudo certinho. Assim que licitar a aquisição dos aparelhos, vamos analisar a ordem das escolas que receberão a tecnologia”, garantiu.

De acordo com Júnior Almeida, diretor do setor de TI, a intenção é priorizar as unidades onde houve mais casos de furtos. “Fizemos um levantamento das escolas mais afetadas por vandalismo e pretendemos começar por elas”, disse o diretor.

Ele acrescentou que as câmeras devem “intimidar” os criminosos. “Se alguém decidir se aventurar e entrar nas escolas, com certeza, será pego e identificado”, assegurou Almeida.

O diretor ressaltou que, além do arquivo do circuito interno, que ficará registrado por pelo menos 15 dias, as imagens serão gravadas instantaneamente no sistema de monitoramento que ficará na GCM.

“Mesmo que o criminoso tente levar ou destruir o sistema de armazenamento de imagem, ele já estará identificado. Tem uma câmera exclusiva para monitorar o aparelho. Se alguém tentar mexer, já ficará gravado. Acho que teremos um resultado muito positivo com a implantação deste sistema”, avaliou.

“Nós prezamos muito pelo cuidado com as crianças e é bom deixar claro que o objetivo não é vigiar ninguém, em hipótese alguma. Contudo, podemos dizer que o sistema de imagem também será uma importante ferramenta para esclarecer possíveis questionamentos quanto ao andamento dos trabalhos nas escolas”, finalizou.

Publicidade