Inauguração gera expectativas e desconhecimento de usuários

215
Publicidade





Cristiano Mota

Usuários da UBS aguardam melhora no atendimento com novo PA

 

A inauguração do pronto atendimento gerou expectativas e revelou desconhecimento por parte de pacientes da região do Jardim Santa Rita de Cássia. Na manhã de quinta-feira, 3, a maioria dos pacientes ouvida pela reportagem de O Progresso disse esperar melhora no atendimento. Um deles, um metalúrgico de 27 anos, declarou estar surpreso com a solenidade.

Moradora do Santa Rita, a ajudante de produção Camila Roberta Bueno Marques, 25, afirmou que o bairro “estava precisando” de um atendimento diferenciado. Conforme ela, a expectativa é de que o PA possa atender melhor as crianças e adultos.

Publicidade

A paciente afirmou que o atendimento no bairro é bom e que os moradores esperam não precisarem mais se deslocar ao centro para serem atendidos após as 17h. “Às vezes, a gente não tem condução para ir”, citou.

Camila afirmou que quem não possui automóvel tem de recorrer à GCM (Guarda Civil Municipal), ou ao Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

De acordo com ela, em algumas situações, há demora no transporte. “Agora, estando aqui (o pronto atendimento), a gente vem direto”, disse.

João Fabio de Barros Junior, 28, compareceu à UBS “Roseli de Oliveira Camargo”, no dia da inauguração do PA. Ele mora no Conjunto Habitacional “Mário dos Santos” e analisou que o serviço evitará reclamação da população. “Ouvi falar muito bem do postinho daqui”, alegou.

A dona de casa Adriana de Fátima Camargo, 39, aguardava consulta quando houve a solenidade de inauguração do pronto atendimento. Sobre o serviço, ela disse que espera um bom atendimento, mas ressaltou que o PA possa ser prejudicado pela falta de médico.

“Precisa de mais médicos, o atendimento no posto é muito demorado. Estou com problema no nariz (rinite) e faz um mês que estou procurando médico. Aqui, o problema é o profissional, mas, quando eles vêm, sou bem atendida”, disse.

O prefeito José Manoel Correa Coelho, Manu, citou que a Prefeitura já resolveu a questão da falta de profissionais. O serviço será oferecido por meio de convênio com a Santa Casa, que terceirizou a contratação de médicos plantonistas.

A questão da falta de médicos também foi apontada pela desempregada Marli Aparecida Raimundo Ramos, 33. Para a reportagem, ela disse que estava apreensiva porque o marido havia necessitado de atendimento junto à UBS, mas precisou aguardar mais de um mês para passar com um profissional.

Marli afirmou que a expectativa é grande em torno do pronto atendimento. “Se for tudo aquilo que estão prometendo, vai ser um grande feito para o bairro”, disse.

Já o metalúrgico Marcelo Correa de Andrade, 27, foi pego de surpresa com a inauguração. O trabalhador aguardava atendimento na UBS quando notou a presença de autoridades. “Não sabia da inauguração. Cheguei e levei um choque”, disse.

O metalúrgico faz parte da parcela da população que receberá orientações por parte dos profissionais da UBS e do PA. A coordenação quer evitar que os moradores deixem de utilizar o posto de saúde e os programas da rede básica.

“Se o que disseram é verdade, vai ampliar os horários também. Será ótimo para a população. Tomara que o PA dê certo, porque já alivia muito”, concluiu o metalúrgico.


Publicidade