Imunoterapia – parte III

2527
Publicidade

Apresentamos hoje dois tipos de imunoterapia que fazemos há mais de 15 anos em nossa clínica, com excelentes resultados: contra o Herpes Simplex e contra a Cândida Albicans (Monilia).

Imunoterapia anti-herpética

Tratamento de crianças acima de 12 anos e adultos, que apresentam Infecções herpéticas de repetição, na região oral, labial ou nos genitais.

Composição: antígenos de Herpes Simplex Vírus (HSV) inativados, obtidos em cultura in vitro, suspensão de “Propionibacterium parvum”, cloreto de sódio, fosfato de sódio e potássio, fenol, gel de hidróxido de alumínio. A vacina anti-herpética não é um hemoderivado.

Indicações: Herpes Simplex recidivante labial e genital

Publicidade

Modo de aplicação: injeção subcutânea profunda (usamos a região acima do cotovelo).

Esquema de aplicação: iniciar pelo frasco 1, ao término passar para o 2 e terminar no frasco 3 (6 doses cada um com intervalo de uma semana entre as doses, completando 18 semanas de tratamento).

Efeitos colaterais: reações locais, eritematosas e intumescidas nas 24h. Após a aplicação, que regridem em 48h, é normal. Em reações mais intensas, reduzir a dose.

Contraindicações: gravidez, doenças imunológicas, doenças debilitantes, tratamentos imunossupressores e estados febris.

Outras informações: a vacina é conservada em geladeira entre 4 e 8 ºc. Não se encontra à venda nas farmácias. Validade de cada frasco: 24 meses.

Apresentação: kit de três frascos com seis doses cada, sendo que o primeiro tem dez doses. Está disponível em nossa clínica de vacinação particular (Cevac).

Imunoterapia para candidíase (Candidina)           

É um tratamento para pacientes – principalmente para mulheres – imunoestimulante, que apresentam vulvovaginite de repetição ou crônica por Monília (Cândida albicans).

Composição: a Candidina é um extrato de cultura de Cândida albicans (Monilia) em meio sintético líquido. A Candidina é obtida em fase miceliana e leveduriforme. Após a cultura, o caldo é purificado, para posterior dosagem de nitrogênio proteico e teste de potência.   É um imunoestimulante da resposta celular: células T, macrófagos, células K e NK. O produto também pode ser associado ao Propionibacterium parvum.

Indicações: infecções crônicas por vírus, bactérias e fungos, especialmente nas micoses superficiais, vaginais em mulheres, desenvolvendo corrimentos ou sistêmicas por levedura do gênero cândida.

É indicada para a terapia imunoestimulante em indivíduos apresentando depressão da imunidade celular como nas neoplasias e infecções crônicas e em mulheres que apresentem infecção crônica e corrimento por cândida (Monília). Também é utilizado para intradermorreações de leitura tardia, na confirmação do diagnóstico das micoses por cândida.

Contraindicações: não existe. Reações colaterais: Na maioria dos pacientes, ocorrem reações no local da aplicação, porém reversíveis e toleradas.

Posologia e apresentação: é aplicada por via SC profunda. São 20 semanas de tratamento, sendo aplicada uma dose a cada sete dias (total de três frascos com seis doses cada um, sendo que o primeiro tem dez doses). Kit com três frascos, de mesma concentração, numerados de 1 a 3 para orientação na administração das doses.

Fabricado por conceituado laboratório do Rio de Janeiro, especializado em imunoterapia. A vacina deve ser mantida em geladeira (4º a 8º C). Está disponível em nossa clínica de vacinação partícula (Cevac).

Fonte: Immunotech – FDA Allergenic.

* Médico pediatra com atuação em alergia e imunologia, membro da Asbai (Associação Brasileira de Alergia e Imunologia).

Publicidade