Homicídios têm queda de 50% em um ano

Redução também atinge índices de roubo e furto; PM faz mais de um flagrante por dia

846
Comandante da 2ª Cia da PM, capitão Bruna Carolina dos Santos Martins fala dos índices de criminalidade (foto: @pmsp_foco)
Publicidade
Da reportagem

A violência no município diminuiu entre os meses de janeiro e novembro de 2019 em relação ao mesmo período do ano passado. A informação consta de balanço divulgado pela Secretaria de Segurança Pública do estado de São Paulo.

Segundo levantamento realizado pelo órgão, a queda é constatada nos principais índices de criminalidade, alcançando redução de 50% nos casos de homicídio doloso, 31,5% nos registros de roubo e 21,5% nas ocorrências de furto.

Em números, a queda representa redução de oito para quatro casos de homicídio doloso. Os de roubo caíram de 149 em 2018 para 102 no ano passado. Já os casos de furtos caíram de 905 para 710.

Os dados divulgados pela secretaria trazem, ainda, mapeamento da produtividade dos órgãos de segurança – polícias Civil e Militar – no município. De janeiro a novembro de 2019, foram instaurados 1.175 inquéritos policiais e registrados 540 flagrantes.

Segundo a mesma fonte, foram registrados 44 casos de porte de entorpecentes, 351 de tráfico de drogas e 40 de porte ilegal e apreensão de arma. No mesmo período, foram apreendidos 173 menores de idade e presas 680 pessoas em flagrante. Outros 249 maiores e um menor foram detidos e apreendidos via mandados.

Publicidade

A O Progresso, a comandante da 2a Companhia da Polícia Militar, capitão PM Bruna Carolina dos Santos Martins, destacou que o resultado obtido “vem das ações realizadas no combate ao crime pelas forças de segurança do município”.

“Estamos combatendo acirradamente o tráfico de drogas que impacta diretamente em outros denominadores criminais. Quanto mais a gente prender o traficante, menores vão ser os números de furto e roubo também, porque os usuários furtam e praticam pequenos roubos, muitas vezes, para poder comprar drogas”, argumentou a comandante.

Segundo ela, pelo menos duas operações conjuntas são realizadas por semana envolvendo equipes da PM, Guarda Civil Municipal e Polícia Civil em todos os bairros da cidade. Isso, além das ações estaduais, como as operações “Rodovia Mais Segura”, “São Paulo Mais Segura” e “Interior Mais Seguro”.

Conforme levantamento divulgado a O Progresso, somente a PM realizou mais de um flagrante por dia no ano de 2019, totalizando 408 ocorrências de categorias diversas nos meses de janeiro a dezembro do ano passado.

A produtividade da PM ainda atingiu 37.618 pessoas abordadas, 1.062 escoltas, 3.526 ocorrências atendidas, 2.312 boletins de ocorrências registrados, 768 pessoas presas, 23 quilos de drogas apreendidos, 22.579 veículos vistoriados e 185 procurados pela Justiça recapturados.

“Quanto mais nós aumentamos a nossa produtividade, mais temos a tendência de diminuir os índices de criminalidade. Esses números representam que meus policiais estão bem atuantes na missão de manter a cidade segura. Vejo estes números como muito positivos”, observou a comandante.

A capitão PM também ressaltou o trabalho de inteligência feito pelos órgãos de segurança no sentido de combate ao crime, apontando os estudos de mapeamento das áreas com mais ocorrências e índices de criminalidade.

“A segurança pública é algo complexo, demanda mobilidade, autuação e planejamento constante. Nos mapeamentos, constatamos que o crime é migratório; quando a gente satura uma região, o crime migra para outros lugares. Então, sempre fazemos estes estudos e trabalhamos em conjunto com a GCM e a PC”, afirmou a comandante.

Além da atuação dos militares, a capitão PM destacou que, em 2019, houve aumento da frota para o patrulhamento ostensivo e preventivo, com cinco novos veículos quatro rodas e uma motocicleta.

Ainda apontou que a base da PM em Tatuí recebera pinturas em algumas salas e passa por reformas. Além disso, na área externa, está sendo implantado um estacionamento com cobertura e um pequeno lago para carpas, “para melhorar o aspecto da base e dar maior conforto no atendimento à população”.

A comandante contou que, no ano passado, foi implantado, na base da PM, um sistema de pesquisa de satisfação do público. “O pessoal vem aqui e, com o QRCode, pode nos dar uma devolutiva do nosso atendimento, seja na viatura ou aqui na base. Aí, temos um retorno sobre como está sendo o nosso atendimento e o que podemos melhorar”, comentou a capitão.

Ela ainda apontou que as atividades sociais realizadas pela PM em 2019, como forma de prevenção e orientação, também influenciam na redução dos índices de criminalidade “atuais e futuros”.

Uma das principais ações voltadas à orientação, conforme a capitão, é o Proerd (Programa de Resistência às Drogas e a Violência). No ano passado, mais de 7.700 crianças, do quinto ano da rede municipal, estadual e particular do município, foram formadas pelo projeto.

“A expectativa para 2020 é aumentar o número de alunos atendidos pelo programa. Em Capela do Alto e Quadra, 100% das crianças de quinto ano já são atendidas e, em Tatuí, nosso foco é alcançar esta abrangência também”, antecipou.

Outro programa voltado às ações preventivas é o Vizinhança Solidária, que, em 2019, ampliou a área de atuação. O projeto – que envolve a comunidade – começou a ser realizado em 2018, no bairro Vale dos Lagos, e, no ano passado, chegou também aos bairros Pacaembu e Portal das Nogueiras.

De acordo com a capitão, ações preventivas implantadas pela Polícia Militar, com a ajuda da comunidade, têm contribuído para reduzir os índices de furtos e roubos praticados em chácaras e residências dos bairros.

A comandante explicou que o projeto é da polícia, mas só funciona com o apoio da comunidade. Os moradores participam de reuniões e recebem orientações de segurança. A proposta consiste em incentivar a vizinhança a adotar medidas capazes de prevenir delitos e colaborar com o policiamento.

Com o programa, os próprios moradores devem observar as situações suspeitas – como a de um automóvel estranho estacionado em uma determinada rua ou uma pessoa desconhecida que não costuma frequentar o bairro – e, antes de o crime ser praticado, comunicar à polícia.

A ação preventiva é desenvolvida com auxílio das redes sociais e aplicativos que permitem comunicação rápida. “Os participantes têm um grupo no WhatsApp integrado com a PM, no qual um avisa o outro sempre que há alguma circunstância que eles consideram estranha ou suspeita”, contou.

A mobilização, segundo a comandante, serve de alerta e intimidação para os ladrões e quadrilhas especializadas em assaltos. Em consequência, ela afirma que as ocorrências de crimes como assaltos e furtos são reduzidas, assim como outros delitos, como furtos de veículos e junto a moradores.

A capitão – que está no comando da PM de Tatuí desde o 2018 – reforçou que, desde que assumira o batalhão, tem a instalação do programa “Vizinhança Solidária” como meta para a cidade e adiantou que a intenção é expandir o projeto, inserindo-o em outros bairros.

“Estamos alinhando a implantação do projeto junto com a Associação Comercial também para que as lojas façam este trabalho de prevenção, em colaboração com a Polícia Militar da mesma forma como já fazemos nos bairros. Isso é um ganho muito grande para a população”, comentou.

A comandante informou que a adesão é voluntária e salientou ser necessário o engajamento dos lideres comunitários para que outros bairros também façam parte do programa. Os interessados devem procurar a companhia da PM ou o Conseg (Conselho Comunitário de Segurança).

Uma vez manifestado o interesse, a PM oferece orientações para explicar aos demais moradores do bairro como funciona o projeto. Havendo interesse da comunidade, uma pessoa do bairro será o tutor do programa – um representante direto do bairro junto ao Conseg.

Além da segurança, a comandante destacou que o programa “Vizinhança Solidária” traz diversos benefícios para a comunidade.

“Não há custos, há uma aproximação da Polícia Militar com a sociedade, e a população acaba criando um vínculo de confiança com o policial, além da diminuição dos índices criminais, já mapeados e comprovados em cidades que contam com o projeto”, acrescentou.

Para finalizar, a comandante salientou que, para 2020, a expectativa é melhorar ainda mais os índices de segurança e aumentar a aproximação com a sociedade civil, por meio dos projetos mantidos pela PM.

“Também temos outros projetos sociais que podem ser implantados neste ano, estamos estudando, em parceria com o Conseg. Além disso, vamos continuar trabalhando para atingir a tão almejada sensação de segurança pública, que é o principal objetivo frente à companhia, e pautando também pela transparência dos nossos serviços”, concluiu a comandante.

Convênio de cooperação

Outra melhoria para a área de segurança pública foi anunciada, na sexta-feira, 10, pela prefeitura. Na ocasião, a prefeita Maria José Vieira de Camargo recebeu o delegado Osmar Guimarães Júnior, diretor do Deinter (Departamento de Polícia do Interior), de Sorocaba, para renovar o convênio de cooperação entre a prefeitura e a Delegacia de Polícia local e recebeu, como doação do Deinter, um veículo descaracterizado, para uso nas investigações gerais.

Segundo ranking formulado pelo Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Tatuí é a quarta cidade mais segura do Brasil. O estudo foi publicado pelos principais veículos de imprensa do país, em junho de 2018.

De acordo com o relatório, que considerou os municípios com mais de cem mil habitantes, Tatuí tem taxa de 5,9% (de homicídios por mil habitantes). Está apenas atrás de Brusque (SC), com 4,8; Atibaia (SP), com 5,1; e Jaraguá do Sul (SC), com 5,4. Das dez primeiras, seis estão no estado de São Paulo e duas, em Minas gerais.

Publicidade