Hélio Burini

414
Publicidade





Olha a equipe “periquita” (como era chamada naqueles tempos pela imprensa), antes de perder para o São Paulo por 2 tentos a 1 pelo campeonato paulista. Agenor e Sabino fizeram os gols do tricolor, e Hélio Burini anotou o tento palmeirense.

Essa partida aconteceu no dia 3 de marco de 1962. E, quase um mês depois, estrearia no time verde um meia-esquerda que faria sucesso e se tornaria ídolo e um dos grandes craques da história do clube: Ademir da Guia.

Em um amistoso contra o antigo Paulista de Santa Bárbara do Oeste-SP, o “divino” envergaria pela primeira vez a camisa verde em uma vitória apertada: 4 a 3 frente à equipe interiorana. Uma semana depois, na sua segunda partida, faria seu primeiro gol. Desta vez, na derrota para a Internacional de Limeira, por 4 a 2. Assim foi até sua despedida, atuando 901 vezes.

Portanto, o habilidoso Hélio Burini, mesmo sendo um grande jogador, não teve mais chances no clube, indo, depois, defender o Bragantino. Era um jogador de boa visão de jogo e inteligente, porém, não dava para competir com o craque Ademir da Guia.

Publicidade

Recordando então o Palmeiras de 1962, em pé à esquerda: Djalma Santos, Valdir, Valdemar Carabina, Aldemar, Zequinha e Geraldo Scotto. Agachados: Gildo, Américo Murolo, Vavá, Hélio Burini e Geraldo José. Grandes jogadores, inesquecíveis histórias do futebol.

NOTA: As fotos são do arquivo pessoal do autor, que data de 50 anos. Ele, como colecionador e historiador do futebol, mantém um acervo não somente de fotos, mas de figurinhas, álbuns, revistas, recortes e dados importantes e registros inéditos e curiosos do futebol, sem nenhuma relação como os sites que proliferam sobre o assunto na rede de computadores da atualidade


Publicidade