Grupo de Percussão do CDMCC realiza concerto eclético nesta quarta-feira

335
Publicidade

Arquivo O Progresso

Pianista Cristiane Blóes está entre os músicos especialmente convidados para a apresentação

 

O Grupo de Percussão do Conservatório de Tatuí abre a série de apresentações musicais do teatro “Procópio Ferreira”, este mês, com concerto na quarta-feira, 7, às 20h30.

 

Sob coordenação de Luis Marcos Caldana, o concerto será formado por repertório “eclético”. “Estamos escolhendo obras diferentes, para marcar o retorno às aulas. Já definido, está um medley de Led Zeppelin, boa opção para quem gosta do gênero”, disse Caldana sobre a obra “Tributo a John Bonham”, que tem arranjo de Jef Moore.

 

Publicidade

O programa do concerto conta, ainda, com as composições “Sinfonia para Seis, op. 34”, de Robert Russel; “Ziriguidum, op. 82”, de Paulo Lima; “Honer”, de David Maslanka; “Lyle Mays”, de Pat Metheny; e “Phase Dance”, de Tom Warrington.

 

Participam do concerto, como músicos especialmente convidados, a pianista Cristiane Bloes, o contrabaixista Tiago di Bella e os percussionistas Andreza Vieira, Douglas Rafael, Fernando Reis e Gabriel Novaes.

 

Em atividade por mais de três décadas ininterruptas, é o mais antigo grupo do gênero no país. Criado em 1975, com objetivo de oferecer aos estudantes de níveis básico, intermediário e avançado da escola de música a oportunidade de executar peças específicas para grupos de percussão, “algo raro no país”.

 

“Com isso, os instrumentistas poderiam obter aperfeiçoamento individual e aprimorar a experiência de apresentação em grupo”, acentua a assessoria de comunicação do Conservatório.

 

Ao longo de sua história, já contou com mais de 200 percussionistas-integrantes. Além de executar clássico e popular, o grupo estimula a composição de novas obras, incentiva a formação de público para os mais variados estilos e populariza a percussão, agregando características performáticas e de dança.

 

Em 2006, lançou o primeiro CD, “30 Anos de História”, “com objetivos de agradar aos mais diferentes gostos, registrando não somente os grandes clássicos ou as festejadas obras contemporâneas”.

Publicidade