Grupo de Música Raiz faz concerto neste domingo

Show traz algumas das mais tradicionais modas de viola brasileiras

606
Grupo se apresenta no teatro 'Procópio Ferreira', com entrada gratuita (foto: AI Conservatório)
Publicidade
Da redação

Algumas das mais tradicionais modas de viola da música brasileira serão apresentadas neste domingo, 15, pelo Grupo de Música Raiz do Conservatório de Tatuí. O show, que mescla canções caipiras e eruditas, será no teatro “Procópio Ferreira”, às 11h, com entrada gratuita.

De acordo com o coordenador do grupo, o violeiro e professor Zeca Collares, o repertório valoriza algumas das obras-primas da música brasileira de raiz, como “De Papo Pro Ar” (Joubert de Carvalho e Olegário Mariano), “Viola Quebrada” (Mário de Andrade), “Azulão do Reino Encantado” (Lourival dos Santos) e “Tristeza do Jeca” (Angelino de Oliveira).

Além de “Beira Mar Novo” (tradicional), “Maricota Sai da Chuva” (Marcelo Tupynambá), “O Trenzinho do Caipira” (Heitor Villa-Lobos), “Moda da Pinga” (Ochelsis Laureano), “O Trem Tá Feio” (Tavinho Moura) e “Sonho de Menino” (Zeca Collares).

O Grupo de Música Raiz do Conservatório de Tatuí foi criado no início de 2018, pouco tempo depois da inclusão do curso de viola caipira na grade de habilitações oferecidas pela escola de música tatuiana.

Collares destaca que o principal objetivo do Grupo de Música Raiz é promover a difusão da tradição caipira, resgatando canções populares da “música brasileira de raiz”. Além da viola, o grupo reúne alunos de outros cursos mantidos pelo Conservatório, como percussão, violão, cordas e canto popular.

Publicidade

Apesar de ter uma formação recente, o grupo já conquistou um público e acumula apresentações importantes, como a abertura do Fórum Regional de Pontos de Cultura, promovido pelo governo de São Paulo, algumas edições do projeto Música na Praça, o Encontro de Música Raiz e concertos em algumas cidades da região.

O coordenador Collares é compositor, instrumentista de viola caipira, pesquisador da cultura popular brasileira e bacharel em cinema pelo Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio (Ceunsp).

Iniciou o ofício de violeiro nas rodas de Folia de Reis na região de Grão Mogol (MG), onde nasceu. Em 1984, fez parceria com o folclorista, compositor e cantor Dino Lopes, ponto de partida para sua carreira musical.

Estudou MPB no Tema Centro Musical de Marília (SP) com o professor Paulo Estêvão – o “Tevão” – na década de 1990. É um dos fundadores do grupo Mucunã de música regional brasileira. Soma mais de 20 anos de carreira e oito CDs lançados dentro do universo da viola caipira.

Além de coordenar o Grupo de Música Raiz, é professor do curso de viola caipira do Conservatório.

A bilheteria funciona de terça-feira a sexta-feira, das 13h30 às 17h30 e das 19h às 21h; sábados e domingos, das 15h às 21h; ou uma hora antes do início do evento.

Publicidade