Grêmio estudantil ajuda a integrar alunos com comunidade e famí­lia

720
Publicidade
Siltec





Amanda Mageste

Diretor e membros do grêmio da EE ‘Chico Pereira’ acreditam em bons resultados

 

O diretor da Escola Estadual “Chico Pereira”, Marco Antônio Vieira, afirmou que o “Grêmio Estudantil Escolar” é muito importante para a integração entre alunos, professores, escola, comunidade e família.

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo realizou pesquisa em 3.380 unidades de ensino médio e chegou à conclusão de que as agremiações formam lideranças importantes na tomada de decisões internas e colaboram para bons resultados.

Publicidade
Siltec

De acordo com Vieira, o grêmio enriquece o espaço escolar e proporciona atividades de lazer, recreação, cultura, valoriza projetos educacionais e auxilia em divulgações de campanhas sociais e reuniões da própria escola.

Ele acredita que os grêmios possibilitam maior aproximação da família na escola, valorizam o espaço escolar e a harmonia da escola. “Até porque a autonomia exige uma maior participação, você não pode ter autonomia se não participa”.

Segundo o diretor, quanto maior a participação dos alunos em grêmios ou projetos escolares, maior o grau de comprometimento e valorização das partes. Cada um age e assume a responsabilidade dentro da finalidade de cada segmento escolar existente.

Conforme o Nuart (Núcleo de Articulação e Iniciativas Junto a Pais e Alunos), a presença de grêmio possibilita mudanças na rotina escolar.

“Levantamento preliminar revela que 29% dos grupos têm como foco organizar atividades esportivas; outros 27% se dedicam na promoção de eventos culturais dentro e fora da unidade de ensino. O entretenimento é responsável pela atenção de 15% dos grêmios”, afirmou a assessoria de comunicação e imprensa da Secretaria da Educação.

Segundo o diretor, o grêmio da escola “Chico Pereira” é bastante atuante em atividades escolares e de lazer.

“O grêmio ajuda a proporcionar recreações e eventos importantes, que, talvez, a direção ou os professores não teriam condições e nem tempo hábil de organizar, como campeonatos, organizações de tabelas e projetos de exercício de cidadania”, disse Vieira.

De acordo com a Secretaria da Educação, o espírito de liderança e responsabilidade é um dos papéis dos grêmios, mas, além disso, os líderes estudantis são figuras importantes na gestão das escolas e colaboram para melhorar a aprendizagem.

Cada mandato das agremiações dura um ano, ou seja, em todos os anos há eleição de chapas. De acordo com Vieira, em 2013, foram quatro chapas a disputar as eleições na escola.

Conforme o diretor, qualquer aluno do ensino médio da “Chico Pereira” pode iniciar uma chapa e concorrer. “Dá a impressão de uma eleição mesmo, majoritária. É com urna, e a escola inteira pode participar e votar”.

“Normalmente, eles (os alunos) ficam duas a três semanas fazendo campanha, divulgando a intenção do que querem melhorar na escola, principalmente, no recreio”, explicou Vieira.

Em época que antecede a eleição, os alunos, segundo o diretor, “lutam pelo espaço deles”, batem em casas de outros estudantes pedindo votos e fazem promessas de eventos e campeonatos.

Na escola, há uma sala em que a agremiação eleita pode se reunir todos os dias da semana para discutir melhorias para a escola e alunos. Os membros do grêmio da “Chico Pinheiro” têm uniformes diferentes dos demais estudantes, para que seja mais fácil localizá-los.

O diretor afirmou que algumas “briguinhas”, que havia no intervalo, praticamente não existem mais, depois de a chapa atual colocar músicas e fazer jogos durante o recreio.

Os alunos que não fazem parte da agremiação, segundo Vieira, ficam atrás dos membros pedindo mudanças e campeonatos.

O diretor ressaltou que há uma professora responsável por ajudar e orientar os membros do grêmio sobre problemas relacionados à escola e atitudes e promessas que eles podem, ou não, fazer.

“A orientação tem que ser diária, porque senão eles extrapolam. Por mais que a gente dê responsabilidade, às vezes, eles têm aquela utopia de falar que vão mudar tudo. Não têm o disciplinamento de ordem legal do que pode e o que não fazer, e isso é natural”, afirmou Vieira.

O diretor defendeu ser essencial que as pessoas saibam que o grêmio é muito importante para a escola e auxiliem todos os projetos.

“É importante que as famílias saibam que os filhos estão na escola aprendendo o exercício de cidadania, pois isso é um exercício de cidadania. Quando você luta pelo seu espaço, quando busca ações que valorizam o homem e o seu meio de atuação, você está valorizando a própria comunidade em que a escola está inserida”.

A presidente do grêmio da EE “Chico Pereira”, Maria Eduarda Ferreira dos Santos, 15, e o vice-presidente, Adilson Marcos da Silva Junior, 16, afirmaram que estão muito satisfeitos com as ações que eles, juntos aos membros, tomaram durante o mandato e pretendem continuar a chapa para se candidatarem novamente.

“É uma experiência nova, a gente organiza recreio, coloca brinquedos interativos para eles (alunos), cordas, pebolim, pingue-pongue, jogos de damas”, disse Adilson.

“Este ano, fizemos campeonato de futebol até com medalhas para a turma que ganhasse, foi tudo preparado antes”, contou Maria Eduarda.

Para a compra de medalhas, os membros tiveram a ideia de fazer correio elegante para as turmas da manhã e, junto com os bilhetes, entregavam pirulitos para os que recebiam os recados dos “admiradores”.

“Todo mundo participou, foi muito bonito, todos viram que seria para eles, que o dinheiro era voltado ao campeonato”, afirmou Adilson. Ele contou que conseguiram arrecadar mais de R$ 200 e que o campeonato foi um sucesso entre os alunos e competidores.

Também informou que os que não estavam interessados em assistir aos jogos ficaram no pátio da escola, pois os membros do grêmio deixaram música tocando no local, visando essas pessoas.

Além disso, Maria Eduarda contou que estão desenvolvendo projeto para um campeonato de vôlei e dança para as meninas.

A presidente disse que é muito importante o trabalho do grêmio na escola. “A importância, para mim, é ajudar as pessoas na escola. As crianças, várias vezes, vêm pedir coisas para mim, e a gente faz de tudo para colocar, para ajudar, mesmo, a escola”.

Como criar um grêmio

Conforme a Secretaria da Educação, para construir um grêmio estudantil escolar, é necessário, primeiramente, comunicar a proposta à direção, organizar uma comissão para esclarecer aos outros estudantes quais as funções do colegiado, formar um estatuto e convocar uma assembleia. A segunda etapa é a escolha de representantes.

“Para garantir a renovação dos líderes e chapas, a cada ano, novas eleições são convocadas pelos estudantes. O objetivo é que a alternância promova uma maior interação entre a escola, família e comunidade”, ressaltou a assessoria de comunicação e imprensa.


Publicidade
Siltec