Garota de 8 anos compõe canção e ‘espalha amor’ durante a pandemia

Música de Mariah retrata lembranças afetivas e desejo de ‘curar o mundo’

639
Publicidade
Da redação

Na tentativa de ocupar o tempo enquanto permanece na residência durante o período de isolamento social, a menina Mariah Franco Nunes Rosa, de oito anos, compôs uma canção expressando a saudade da rotina dela antes da pandemia.

A música “Curativos de Amor” surgiu como uma sugestão de passatempo e contou com a participação de familiares, mesmo à distância. A pequena tatuiana nutre o sonho de ser artista, como cantora e atriz.

Conforme a mãe, Débora Cristina Franco Nunes Rosa, elas já haviam realizado diversas atividades em meio ao isolamento, como pintar quadros. A mãe ensinou, inclusive, “brincadeiras antigas”, que a menina ainda não conhecia. Débora conta que foi a filha quem teve a ideia de cada uma escrever uma música.

“A Mariah começou a escrever a música dela e eu, a minha. Porém, quando ela me mostrou a composição, fiquei emocionada, pois conseguiu expor tudo o que estávamos sentindo”, revelou a mãe.

Após ouvir sugestões de Débora para novas rimas à composição, a menina enviou uma mensagem para a tia dela, que reside em Botucatu e canta músicas religiosas. Mariah queria uma melodia para poder cantar a música que havia escrito.

Publicidade

Quatro dias depois, a tia retornou a mensagem com a canção pronta para a sobrinha. Posteriormente, a menina pediu para que o pai dela, Eduardo Nunes Rosa, executasse a parte instrumental, ao violão, para que pudesse cantar. “Foi assim que gravamos o vídeo da Mariah cantando a música dela”, completou Débora.

Além do pai e da tia, a garota – nascida e crescida na “Capital da Música” – possui outras referências na família. Conforme a mãe, Mariah cresceu ouvindo o avô materno tocar música raiz caipira.

“A Mariah sempre gostou de cantar e gravo desde quando era pequena. Quando foi ao Conservatório, além das aulas de canto, ela se encantou e começou a aprender a tocar violino”, conta.

“Contudo, neste ano, as aulas no Conservatório tiveram de parar, devido ao coronavírus. Ela estava um pouco triste por ter de ficar somente dentro de casa e sugeriu que fizéssemos a música”, completou a mãe.

Na composição, Mariah mostra que sente falta dos amigos e fez questão de registrar o amor pelos avôs. Segundo a mãe, a filha tinha a mania de apertar as bochechas dos avós quando os visitava, em uma chácara próxima a Botucatu.

“Nós fomos até lá para vê-los, porém, de longe. A Mariah queria abraçar os avós, mas não podia, e isso a entristeceu. Eu explico como devemos nos prevenir dos perigos, mas ela ainda não tem muita noção do que realmente está acontecendo”, declarou.

Assistente social da prefeitura, Débora e o marido continuam trabalhando, e estão se revezando para ficar com a filha. Na casa, os pais criam brincadeiras e atividades e despertaram em Mariah o gosto pela culinária.

“Estamos tentando não demonstrar a nossa angústia em relação ao atual momento que estamos vivendo. Quando estamos com a Mariah, assistimos filmes e inventamos brincadeiras, além de dançar e cantar o dia inteiro. Ela é a nossa alegria dentro de casa”, frisou Débora.

Quando a quarentena for encerrada, segundo Débora, Mariah quer fazer uma grande festa. “Quando tudo isso passar, ela diz que quer reunir a família e todos os amigos e fazer uma grande festa para comemorar”, concluiu a mãe.

Publicidade