Fusstat fecha cotas para patrocínio de reforma em andar da Santa Casa

Órgão garante renovação de leitos e mobiliário de atendimento do SUS

1124
Segundo a presidente Sônia Maria Ribeiro da Silva, do Fusstat, reforma custará R$ 165 mil por andar (foto: Cristiano Mota)
Publicidade
Siltec

O Fusstat (Fundo Social de Solidariedade de Tatuí) concluiu a primeira etapa da campanha de arrecadação de fundos para a reforma de quartos do edifício “Orlando Bolzan”, da Santa Casa de Misericórdia. O anúncio foi feito pela presidente do órgão, Sônia Maria Ribeiro da Silva, na semana passada.

Inicialmente, o Fusstat iria reformar um quarto que serviria como “chamariz” para que empresários e organizações da sociedade civil adotassem outros cômodos. Todavia, logo na primeira semana de campanha, foram conseguidas doações para os 11 quartos que integram o piso térreo do edifício.

O Fusstat estima que a reforma de cada quarto deva custar R$ 15 mil em média. Duas das acomodações serão custeadas com recursos do órgão.

O dinheiro foi arrecadado em bazar realizado pelo Fusstat e em rifas vendidas pelas conselheiras. Cada quarto acomoda até três pacientes. A reforma ultrapassa R$ 165 mil por andar.

“A maior parte dos esforços está na Santa Casa. É muito duro para os pacientes e familiares ficarem no hospital e sem conforto nenhum. Nós queremos colocar poltronas, trocar as camas e substituir os suportes para o soro, além de disponibilizar biombos para os pacientes terem maior privacidade”, declarou.

Publicidade
Siltec

Alguns detalhes do plano inicial foram mudados após reunião com enfermeiros do hospital. Os profissionais sugeriram que os suportes para medicamento intravenoso sejam fixados na parede, livrando o espaço no chão para poltronas aos acompanhantes. Atualmente, os familiares de pacientes ficam acomodados em cadeiras plásticas.

“Nós conversamos para saber o que é mais necessário no dia a dia. Estamos planejando trocar as portas de 70 cm por outras de 90 cm, para poder passar macas e cadeiras de rodas. Ainda assim, não teremos alterações no orçamento inicial”, informou.

O plano do Fusstat é de reformar, até o final do ano, 11 quartos do pavimento térreo. Outros 22 estão “na fila de espera”, aguardando doações. A expectativa é de que cada andar seja reformado um por vez, para que o trabalho não altere a rotina do hospital.

“Até o final do ano, vamos entregar todos os quartos (do térreo). Como conseguimos o dinheiro para os 11 quartos, vamos reformar a ala inteira de uma vez”, antecipou.

“Estamos encomendando as camas, o mobiliário, e vamos solicitar apoio dos funcionários da Prefeitura para os trabalhos da reforma”.

Por ora, de acordo com Sônia, a reforma não inclui a sala de serviços dos enfermeiros, tampouco o corredor. Conforme a economia feita na compra dos móveis e na reforma, o Fusstat poderá incluir novos serviços.

O edifício é totalmente usado no atendimento de pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde). O terceiro andar é ocupado pelos pacientes psiquiátricos, o que deve mudar após a reforma. A Santa Casa estuda trocar a ala psiquiátrica de lugar com a reforma.

“O nosso sonho começou com a Casa de Abrigo Institucional. Foi uma reforma impressionante. Eles estavam num imóvel perto da Casa do Bom Menino, e a Promotoria de Justiça pediu um lugar mais acolhedor. Começamos a campanha para trocar algumas coisas e terminamos por conseguir todos os móveis novos”, contou.

Em uma das reuniões do Fusstat, foi aventada a possibilidade de fazer uma campanha semelhante para o único hospital que atende pelo SUS na cidade.

“No início, eu imaginava o custo de R$ 6.000 por quarto, mas vimos que necessitavam de tanta coisa que o orçamento foi para R$ 15 mil, e vamos trocar por tudo novo”, comentou.

“No nosso bazar, conseguimos R$ 15.450. Isso para um bazar é muita coisa, ainda mais levando em consideração que tínhamos realizado outra edição dois meses antes”.

Os alimentos vendidos no bazar do Fusstat foram comprados pelas próprias conselheiras, com recursos particulares. Com a medida, a margem de lucro aumentou e todo o dinheiro será aplicado na reforma do primeiro quarto do hospital.

Com esse cômodo garantido, as conselheiras do Fusstat assumiram novo desafio: a reforma de um segundo quarto.

Três quartos dos recursos para a nova empreitada já foram garantidos. Parte do dinheiro foi conquistada com rifa e outra, com doação da ACE (Associação Comercial e Empresarial de Tatuí).

O restante do dinheiro será angariado na Festa da Pizza. O evento será realizado no dia 19 de agosto e deve garantir os R$ 5.000 restantes para a reforma.

“Vamos comprar vinho e servir pizza pronta. Quem quiser poderá comprar a pizza e levar para assar em casa. Serão 200 pizzas”, relatou.

Com as camas velhas, o Fusstat estuda realizar empréstimos para famílias de acamados carentes. A procura pelo móvel justifica o serviço, de acordo com a presidente.

Além da reforma no edifício “Orlando Bolzan”, programada para este ano, o Fusstat adquiriu R$ 5.000 em itens de hotelaria para a Santa Casa. A compra incluiu lençóis e fronhas a serem usados nos quartos do hospital.

Publicidade
Siltec