Frutos do mar e massas abrem série de festivais do Ópera Mix em 2019

Evento especial teve novamente à frente o chef italiano Augusto Piras

9558
Publicidade

O Ópera Mix abriu a série de festivais gastronômicos de 2019 em grande estilo na noite de quarta-feira, 13. Frutos do mar e massas formaram a base de um novo menu assinado pelo renomado chef italiano Augusto Piras.

Nascido na região italiana da Sardenha, residindo no Brasil desde 2000 e com mais de 30 anos dedicados à gastronomia, Piras é considerado um dos chefs mais respeitados do mundo.

No primeiro evento especial do ano, os proprietários do Ópera Mix, Gláucio e Liza De Marchi, reforçaram a maior tradição do restaurante, que já soma 12 anos: a de se reinventar.

“Seguimos buscando novidades para oferecer algo que chame a atenção e agrade aos clientes”, pontuou Gláucio. Ele também ressaltou que Piras é o chef com maior conhecimento sobre frutos do mar que já esteve à frente de um festival gastronômico no Ópera Mix.

Com base nessa experiência, frutos do mar e massas estiveram presentes no amuse bouche (ninho de massa fillo com camarão e fios de legumes ao molho cítrico); na entrada (salada morna de cogumelos frescos na cestinha de salmão defumado com brotinhos); e nos pratos principais (ravioli caseiro de ovos “profundo mar” com redução de crustáceos, mexilhões frescos e anéis de lula e o dueto de cherne e bacalhau em lascas ao molho de sauvignon, espiral de batatas e miniaspargos ao vapor).

Publicidade

O evento ainda apresentou, para a sobremesa, suflé gelado de queijo mascarpone com granadine de romã e sorbet de framboesa.

O chef revela que buscou oferecer ao público um cardápio leve, para que, além de satisfazer todos os paladares, os clientes chegassem ao final do jantar sentindo-se bem e plenamente satisfeitos.

“Quando se serve um menu, a primeira preocupação do chef é de que o cliente chegue até o final sem se sentir daquela forma que não aguenta mais, pois isso não é legal”, acentuou Piras.

O chef afirma que o amuse bouche foi um tira-gosto, para se comer à mão, abrir o paladar e começar o jantar. A entrada, composta por um salmão defumado com cogumelos e brotos, propiciou o “início dos sabores” da noite gastronômica.

Conforme Piras, o ravioli recheado foi o grande destaque, apresentando um sabor realmente esplendido. Na opinião de Gláucio, realmente, o ravioli foi o melhor prato da noite, “tanto pelo sabor quanto pela elaboração”.

Na sequência, ainda foi oferecido aos clientes do Ópera Mix uma combinação de bacalhau com cherne, acompanhada de uma delicada espiral de batatas.

Por fim, o público ainda pôde desfrutar a sobremesa, composta pelo suflé gelado de queijo mascarpone e sorbet de framboesa, confeccionados na máquina italiana do Ópera Fresh. “Uma sobremesa bem caseira, produzida por nós. Tudo feito na casa”, assegurou Piras.

A inovação do restaurante é audaciosa, uma vez que os ingredientes utilizados no festival – os frutos do mar – requerem cuidados especiais e extrema sensibilidade, conforme enfatizou o chef.

Os mexilhões, por exemplo, vieram de Florianópolis (SC), por avião, e, ao chegarem em São Paulo, tiveram de ser entregues ao usuário final o mais rapidamente possível, para manterem-se frescos.

“Fomos buscar os mexilhões em São Paulo na véspera, para trabalharmos com um produto fresco. São especiarias que não dá para se comprar na esquina”, salientou Gláucio.

O proprietário do Ópera Mix destaca que o principal objetivo do restaurante é proporcionar uma nova experiência aos clientes, permitindo a evolução do paladar de cada um.

Gláucio observa que, diferentemente de cidades como São Paulo ou Campinas, no Ópera Mix, os clientes têm a oportunidade de desfrutar da alta gastronomia por um preço muito mais acessível.

Um festival que conta os preparativos dos alimentos iniciados de quatro a cinco dias antes do evento, segundo Piras, custaria, aproximadamente, três vezes mais que o valor encontrado no Ópera Mix, em Tatuí.

O empresário reforça a importância de se aprimorar o conhecimento gastronômico, acrescentando que os jantares especiais promovidos pelo restaurante representam investimentos voltados exatamente a esse propósito.

Ele ainda indica que a evolução do paladar permite que os clientes comparem o Ópera Mix a outros estabelecimentos.

“Queremos mostrar o nosso diferencial, essa é a nossa obrigação. A pessoa pode comer em outro local e, depois, analisar as diferenças de sabor”, comentou Gláucio.

“Isso se chama educação alimentar. Há pessoas que não possuem um hábito ‘gourmet’, e o acordo primário de um dono de restaurante é ensinar as pessoas a comerem de forma boa e saudável”, completou Piras.

No encerramento do quarto festival com menu assinado pelo chef italiano, a equipe do Ópera Mix assegura que, cada vez mais, os clientes estão se sentido satisfeitos.

Gláucio avalia que, a partir dos festivais, o restaurante está tendo, em média, o retorno de cerca de 70% do público. “Os clientes estão voltando. Depois de comparecerem em três festivais seguidos, eles voltam mais uma vez. Isto é bom sinal”, certifica o empresário.

Para o próximo mês, já está previsto o segundo evento gastronômico de 2019 no Ópera Mix. Dia 24 de abril, uma quarta-feira, a partir das 20h, o chef Piras retorna para promover uma nova degustação temática, por meio do festival “Uma Noite na Riviera Francesa”.

O menu especial deve contar, entre outros pratos, com foie gras, pato e sopa de lentilha francesa com trufas. “Vamos mexer com produtos ‘top’”, garante Piras.

“Nossa intenção é fazer um novo evento para mostrar ao público como o Ópera Mix é diferente”, conclui Gláucio.


Rua 13 de Fevereiro, 240 – Tatuí
F: 3305-3000 / 98165-3000
operamix.com.br
@opera.mix

Publicidade