Frentista é morto durante assalto a posto de combustí­veis no ‘Astória’

805
Publicidade

 

Um frentista de 41 anos foi morto a tiros durante assalto a um posto de gasolina. O roubo ocorreu na madrugada de domingo, 8, na avenida Hélio Reali, no Residencial Astória.

De acordo com a Polícia Civil, Flávio de Moura Rodrigues levou quatro tiros de uma dupla de ladrões. Os bandidos chegaram ao posto por volta das 4h, portando dois revólveres e anunciando o assalto.

O frentista, ao perceber a intenção dos ladrões em assaltarem o posto, tentou correr, porém, foi alcançado por um dos bandidos. Sob a ameaça de ser alvejado, a vítima entregou a própria carteira ao ladrão.

Enquanto a vítima era abordada por um dos ladrões, o outro entrou no escritório do posto de gasolina e roubou o dinheiro que estava no caixa. Conforme o boletim de ocorrência, foram levados cerca de R$ 120 em espécie.

Publicidade

O momento em que Rodrigues foi morto não foi filmado pelas câmeras de monitoramento do posto de gasolina. Os tiros ocorreram em um beco escuro, longe do alcance das câmeras.

Apesar de ferido, o frentista correu até a casa do gerente do posto, que fica a poucos metros do local, na rua Izael Lobo Martins. Lá, conseguiu ajuda, e a PM foi acionada.

Os militares chegaram a levar Rodrigues ao Pronto-Socorro Municipal “Erasmo Peixoto”. O frentista foi atendido, mas morreu em decorrência de complicações dos ferimentos.

A Polícia Civil estuda a hipótese de que os ladrões estavam em uma motocicleta e uma picape Fiat Fiorino. Imagens de câmeras de monitoramento de locais próximos ao latrocínio foram requisitadas. Investigadores querem saber as placas e características dos veículos usados no assalto.

Os investigadores coletaram dois copos plásticos que os ladrões teriam usado durante o assalto. Nos objetos, haveria impressões digitais dos suspeitos.

Segundo o delegado José Luiz Silveira Teixeira, a Polícia Civil entrará em contato com concessionárias de rodovias da região para saber se os veículos usados no roubo saíram da cidade.

“Nas filmagens, não dá para ver as placas dos veículos. Talvez, com a ampliação, consigamos ver. Entretanto, vamos investigar características da moto e do carro usados, como adesivos, para fazermos a identificação”, explicou.

Policiais do SIG (Setor de Investigações Gerais) ouviram testemunhas e vizinhos do posto assaltado. Entre as pessoas que passaram por oitivas, estão dois caminhoneiros que estavam dormindo em boleias de caminhões no estacionamento do posto.

Segundo as testemunhas, foram disparados quatro tiros. O corpo da vítima foi levado ao IML (Instituto Médico Legal) de Itapetininga, onde legistas o submeteram a exame necroscópico.

“Não sabemos ao certo quantos tiros foram disparados, porém, nos informaram quatro. Um dos tiros acertou a parte dianteira de um dos caminhões estacionados”, informou.

Comerciantes de estabelecimentos próximos também poderão ser ouvidos, conforme o delegado. Há a possibilidade de os ladrões terem rondado o posto de combustíveis nas noites que antecederam ao latrocínio, a fim de estudarem a rotina do local.

“Estamos vendo com as pessoas se elas têm mais informações. Normalmente, quando acontecem esses assaltos, eles ocorrem após planejamento. Os ladrões ficam de olho no local que será alvo”, afirmou Teixeira.

Os vizinhos do posto de gasolina, após terem mostrado certa “cisma” em dar declarações aos policiais civis, estão colaborando com os investigadores. Apesar da ajuda da população, Teixeira evitou dar prazos para as prisões dos suspeitos.

“Nossos investigadores estiveram no local rapidamente, porém, infelizmente, como não tem pessoas que viram a ação dos ladrões, vamos ter que nos basear nas declarações e nas imagens das câmeras”, disse.

Para o delegado, as gravações das câmeras mostram que o frentista não teria reagido ao assalto, apenas tentado correr quando percebeu que os criminosos estavam armados.

 

 

Publicidade