Femague visa parto humanizado e oferece curso de doulas em Tatuí

Inscrições se encerram nesta próxima sexta-feira; vagas são limitadas

735
Diretora Renata Loretti fala sobre curso inédito em Tatuí (foto: Diléa Silva)
Publicidade

A Escola Técnica “Dr. Gualter Nunes”, da Femague (Fundação Educacional “Manoel Guedes”), realizará, no segundo semestre, o primeiro curso de doulas. As inscrições estão abertas e podem ser realizadas até sexta-feira, 26, na sede da unidade. As vagas são limitadas.

De acordo com Renata Loretti, diretora da escola, o curso, inédito na cidade, é voltado a pessoas da área da saúde ou interessados no assunto e que queiram prestar assistência humanizada durante o pré-natal, parto e pós-parto.

“A doula é a profissional capacitada para proporcionar conforto físico e emocional durante o ciclo gravídico (gestação, parto e pós-parto), através de métodos não farmacológicos de alívio da dor e bem-estar emocional, espiritual e social”, explica a diretora.

Pesquisas realizadas na última década demonstraram que, sob a supervisão de uma doula, o parto evolui com maior tranquilidade e rapidez e com menos dor e complicações tanto maternas quanto fetais.

A profissão, ainda pouco conhecida, é apontada pelos grupos que defendem o parto natural como importante na humanização. Segundo Renata, uma doula não pode realizar partos, mas detém conhecimentos técnicos que auxiliam as mulheres na hora do nascimento do bebê.

Publicidade

A diretora ressalta que a inserção desses profissionais na assistência reduz os índices de parto cirúrgico, aumenta a satisfação do casal, diminui o índice de depressão pós-parto e melhora as chances de sucesso na amamentação.

“Na hora do parto, a doula realiza massagens e dá suporte para que as grávidas controlem a respiração e encontrem posições ideais; depois, pode ensinar técnicas de amamentação e orientar as parturientes de diversas formas”, argumentou a diretora.

Na parte teórica do curso, são abordados temas como o trabalho de uma doula, ética profissional, dinâmicas do parto, aleitamento materno e práticas integrativas (exercícios preparativos para o trabalho de parto).

“Já para a parte prática, consegui parceria com a Santa Casa para a gente dar 40 horas de estágio para os alunos. Eles vão poder ir até a maternidade e acompanhar partos, fazendo todos os procedimentos da doula na parturiente”, comentou a diretora.

O curso possui carga horária de 92 horas, com formação teórica e prática. Além disso, a formação oferecida pela Femague tem como diferencial, o estágio supervisionado, conforme frisa a diretora.

“O curso é uma grande novidade, poucas instituições da região, como em Sorocaba e Itapetininga, têm essa formação, mas nenhuma delas oferece o estágio. Fiz questão de colocar este diferencial para que os alunos saiam do curso com a prática necessária”, argumentou Renata.

As aulas serão quinzenais, aos sábados e domingos das 9h às 17h, no período de 3 de agosto a 8 de dezembro.  O investimento para a formação é de R$ 1.500. O valor pode ser parcelado em até cinco vezes de R$ 200.

Renata destaca que, como ainda existem poucas instituições com essa formação, pode haver um bom campo de trabalho às pessoas que fizerem a capacitação, pois existem poucos profissionais no mercado.

“É uma profissão que poucas pessoas conhecem, mas os que conhecem amam. Muitas pessoas procuram este tipo de profissional e, em Tatuí, ainda não existe nenhuma pessoa com essa formação. Então, acredito que aquelas que se formarem terão um grande mercado na cidade”, concluiu a diretora.

Publicidade