Feira do Doce recebe público com música

Programa deste fim de semana tem choro, seresta e apresentação de bandas aclamadas

1114
Publicidade

Iniciada na sexta-feira, 21, a Feira do Doce atrai o público pela variedade, apresentando mais de 250 tipos de produtos. A festa também tem como chamariz uma programação musical intensa, que soma 24 horas de apresentações nos três dias.

Realizada pela Prefeitura, em parceria com a Aprodoce (Associação dos Produtores de Doce de Tatuí) e apoio da Caixa Econômica Federal, do governo federal e da Secretaria de Turismo do governo do Estado, a festa gastronômica terá a presença de grupos de choro, de seresta e bandas. Os músicos convidados para animar a plateia no coreto da Praça da Matriz integram o Festival Capital da Música.

A expectativa da municipalidade é de que, com as atrações e os doces, a cidade tenha mais “visibilidade internacional”. Do mesmo modo que a feira, o evento é realizado em três dias. Neste ano, o festival musical presta homenagem ao maestro Antônio Carlos Neves Campos, falecido em outubro de 2013.

No total, 19 formatos de grupos musicais e dos mais variados gêneros integram o evento. As apresentações tiveram início às 10h de sexta-feira, com a Banda Regimental da GCM (Guarda Civil Municipal). Um pouco mais tarde, a partir das 12h, o palco foi ocupado pelos integrantes do Trio Evelise Almeida.

À tarde, o programa seguiu com grupo de metais BR Bass, às 13h. Depois, às 16h, foi a vez do Trio à Brasileira. Os integrantes do grupo Seresteiros com Ternura animaram o público às 17h30.

Publicidade

À noite (após o fechamento desta edição), outras duas atrações estavam agendadas. A primeira, a Banda VodkaJoe, se apresentaria às 19h; e a segunda, a Camerata Les Ensembles, a partir das 20h30.

Neste sábado, seis grupos sobem ao palco. O primeiro é a Bravo Combo, às 11h. A partir das 12h30, o som fica por conta do Quarteto Tatuí Sax. Júlio Nassi está confirmado para animar o público às 14h.

Ainda no período da tarde, a atração é a Banda RivolTrio, às 15h30. Depois, sobem ao palco, às 18h, o Samba em Família, e a Banda Simphony, às 20h30.

O cantor Flaviano Gomes está encarregado de abrir a programação deste domingo, às 10h. Um pouco mais tarde, às 12h30, o grupo Seresteiros com Ternura fará a segunda participação no festival, seguido do Trio Choro Enturmado, às 14h.

As outras atrações são a Banda Smart, confirmada para as 15h15, e o grupo Readrisax, às 17h30. O festival terá encerramento, a partir das 20h30, pela Banda Four Stages.

O programa foi definido pela associação, em reuniões mediadas pelo secretário municipal do Esporte, Cultura, Turismo, Lazer e Juventude, Cassiano Sinisgalli. Há mais de dois meses, ele tem participado de encontros para viabilizar a realização do evento, somando colaborações diversas.

Uma delas com a participação do jornal O Progresso. O bissemanário entregou, no mês passado, 300 exemplares do guia “Cidade Ternura” à secretaria municipal. Parte dos materiais está em exibição na festa, em estande turístico montado pelo órgão em parceria com o Comtur (Conselho Municipal de Turismo).

“Esta é uma parceria que vejo que é fruto da modernidade. Todos temos de andar juntos. Esta colaboração do jornal mostra que a iniciativa privada caminha lado a lado com a iniciativa pública. E nós temos feito bastante disso, até para a realização da Feira do Doce, com a ajuda de empresas”, descreveu.

Sinisgalli enfatizou que foi em função dos apoios que a Prefeitura resolveu transformar a festa em feira. A meta é não só aumentar o número de pessoas em circulação no espaço, como as condições de profissionalização aos expositores.

Neste ano, incentivados pela Prefeitura, o secretário antecipou que muitos dos produtores de doces ampliarão as possibilidades de venda. De acordo com ele, em alguns dos estandes, os consumidores têm a chance de fazer uso de cartão de crédito. Para o secretário, este recurso representa mais comodidade ao público, ao mesmo tempo em que aumenta o volume de vendas.

No caso do guia, Sinisgalli reforçou que ele auxiliará a municipalidade a divulgar as outras atrações do município. Tatuí pretende investir na divulgação dos espaços turísticos, por conta da elevação a MIT (Município de Interesse Turístico).

A meta é aumentar a circulação de visitantes, focando no crescimento da arrecadação e para atender aos requisitos impostos pelo convênio. O governo do Estado de São Paulo deve avaliar, a cada três anos, se os municípios atendidos pelo MIT estão seguindo as recomendações para continuar recebendo recursos.

Uma das principais atrações turísticas da cidade é a Feira do Doce. O evento é realizado com apoio de diversas entidades, como o Fusstat (Fundo Social de Solidariedade). Neste ano, a presidente do órgão, Sônia Maria Ribeiro da Silva, destacou boa parte da equipe de trabalho para a produção de doces.


“Queremos fazer uma festa bonita. Para isto, trazemos muitas novidades”, antecipou. As inovações incluem a adição de produtos, como o bolo de rolo, típico da região Nordeste do país. “É um item exclusivo, que só nós temos”, contou Sônia.

A lista de produtos vendidos pelo Fusstat, no estande próprio, inclui brigadeiros “gourmet”, com ingredientes que vão de caipirinha a limão siciliano. Todos os produtos estão sendo comercializados em embalagens exclusivas.

Elas são todas fabricadas pelas professoras do curso de panificação artesanal, oferecido para a comunidade nos centros de capacitação.

“A forminha do brigadeiro, para que as pessoas tenham ideia, é de chocolate”, acrescentou Sônia. A presidente do Fundo Social também descreveu que a entidade está vendendo geleia de pimenta, maçã do amor, beliscão e chupetinhas. Todos os produtos são exclusivos da entidade.

“Nós até pedimos para a secretaria, quando nos reunimos para definir os detalhes, que não tivéssemos os mesmos itens que os demais expositores”, ressaltou.

Os produtos começaram a ser desenvolvidos pela equipe de docentes do Fusstat há dois meses. Desde o período, o grupo se dedicou tanto à fabricação dos doces quanto à confecção das embalagens, também exclusivas.

“Tivemos muita sorte. Temos duas professoras excelentes. Uma delas trabalhou no Buffet França, com a dona Lu Alckmin, no Palácio dos Bandeirantes. Elas têm experiência e estão no Fundo Social por solidariedade”, disse Sônia.

De acordo com a presidente, o mesmo sentimento é o que une toda a equipe da instituição. O grupo – que soma forças de parte dos alunos dos cursos de panificação – produziu 4.000 doces. Todos estão à venda até este domingo.

A equipe ainda não tem ideia de quanto deve arrecadar com a comercialização. “Esta é a primeira feira que eu vou participar, estando à frente do Fundo Social. Então, não temos uma base de cálculo”, explicou a presidente.

Sônia antecipou, no entanto, que o grupo manterá equipes em sistema de escala. As voluntárias trabalharão no estande das 10h às 22h, em duas turmas, uma que assume as tarefas das 10h às 16h, e a outra, das 16h até às 22h.

Também por ser “ano de estreia”, Sônia acrescentou que o Fundo Social não desenvolverá oficinas, como a de produção de cupcakes, como nos anos anteriores.

Publicidade