Faustino

335
Publicidade





Ponteiro direito, baixinho, veloz, de dribles rápidos, e por isso difícil de ser marcado. Alcides da Cruz Faustino chegou em abril de 1961 no São Paulo F.C., vindo da Ferroviária, de Araraquara (SP), trocado pelo também ponteiro direito Peixinho.

No Tricolor, alternou ótimos e maus momentos, principalmente na parte disciplinar, por não preservar o preparo físico, mas sempre demonstrando raça e coragem. Travou duelos duros e emocionantes com seus marcadores.

Notadamente com Ferrari (Palmeiras), Edson (Corinthians) e Edilson (Portuguesa de Desportos). Em 1967, passou a atuar no Bragantino, clube de Bragança Paulista (SP), e, já em fim de carreira, defendeu o Comercial, de Tietê (SP).

Era professor de educação física em uma faculdade de Santo André (SP) quando faleceu em 1983, baleado na capital de SP, depois de reagir a um assalto.

Publicidade

A foto é da equipe do São Paulo, comandada pelo treinador Flávio Costa, posada no Morumbi em junho de 1961, na derrota para a Portuguesa de Desportos por 2 a 1, em partida amistosa. Na época, havia terminado o torneio Rio-SP e as equipes estavam se preparando para o campeonato paulista.

Em pé: Vilásio, Poy, Deleu, Wilson Pimentel, Dario, Riberto e o massagista Serrone. Agachados: Faustino, Amauri, Baiano, Benê e Canhoteiro. Uma recordação dos bons tempos, quando o estádio do Morumbi era recém-inaugurado e se jogava com a bola vermelha, conforme a foto.

NOTA: As fotos são do arquivo pessoal do autor, que data de 50 anos. Ele, como colecionador e historiador do futebol, mantém um acervo não somente de fotos, mas de figurinhas, álbuns, revistas, recortes e dados importantes e registros inéditos e curiosos do futebol, sem nenhuma relação como os sites que proliferam sobre o assunto na rede de computadores da atualidade.


Publicidade