Estudante representa Tatuí na Assembleia

    Jozeana Beserra Vitorino, aluna da “Altina”, foi eleita para o Parlamento Jovem Paulista

    1591
    Jozeana com o colega Wellington Souza (foto: Gabriel Guerra)
    Publicidade
    Alessandra Bonilha, dra
    EleService institucional
    Siltec

    A estudante Jozeana Beserra Vitorino, de 15 anos, aluna do primeiro ano do ensino médio da Escola Estadual “Altina Maynardes Araújo”, no bairro Boqueirão, foi eleita para o Parlamento Jovem Paulista da Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo).

    Escolhida pelo “Partido dos Direitos Humanos”, a estudante representará o município em sessão especial da Câmara estadual, receberá o título de “deputada” e apresentará um projeto, de autoria dela, escolhido para ser apreciado no plenário da casa legislativa.

    “Eu não esperava ser selecionada. Quando vi o meu nome no site oficial, nem acreditei. Já mandei mensagem para todo mundo”, conta Jozeana.

    Os projetos foram enviados entre os dias 5 de fevereiro e 16 de março, para análise de uma comissão. A divulgação dos deputados jovens escolhidos foi publicada na segunda-feira da semana passada, 2 de abril.

    A estudante tatuiana irá participar de uma recepção e da sessão plenária dos dias 26 e 27 de abril, quando os deputados estaduais cedem os lugares deles para jovens estudantes de todo o Estado.

    Publicidade
    Siltec
    Alessandra Bonilha, dra
    EleService institucional

    A aluna formulou projeto de lei que trata da obrigatoriedade de se disponibilizar funcionários aptos na comunicação por meio da Libras (Língua Brasileira de Sinais) nas repartições públicas do Estado de São Paulo.

    O projeto contou com o auxílio da professora Alessandra Pires e do vereador João Éder Alves Miguel (PV).

    “Eu não conhecia o projeto Parlamento Jovem, conheci através da professora Alessandra. Ela levou o vereador João Éder até a escola para fazer uma palestra e explicar o que era o programa”, conta a estudante.
    “Fui gostando e conhecendo como funcionava. Me interessei sobre o assunto. Sentamos, pesquisamos e me baseei em outros textos para ter ideia do que fazer”, explicou.

    O Parlamento Jovem Paulista foi realizado pela primeira vez em 1999 e tem como objetivo levar escolas, professores e alunos para a convivência do legislativo, mostrando a importância e influência do processo legislativo em suas vidas.

    “Queria apresentar algo bem diferente. Conheci uma professora que dava aulas de libras e que foi até a escola dar uma palestra sobre o assunto. Comecei a me interessar sobre isso”, lembra.

    “Depois, falei com a professora Neli, do Sesi, que me passou muitas coisas, e foram surgindo ideias. Fui pesquisando mais a fundo e cheguei à conclusão do tema do meu projeto”, relatou Jozeana.

    Foram selecionados 47 estudantes paulistas, que representarão os partidos temáticos escolhidos pelos alunos. O Partido Cultura e Educação teve 21 eleitos, seguido pelo Partido dos Direitos Humanos (7), Saúde (7), Agricultura e Meio Ambiente (6), Segurança Pública (2), Transportes e Urbanização (2), Defesa do Consumidor (1) e Esportes e Turismo (1).

    “Estou muito ansiosa, estudando bastante o projeto para poder defender ele com clareza na Assembleia, e acho que vai ser uma experiência incrível. Vai trazer muito conhecimento para mim”, argumentou a estudante.

    No dia da sessão especial, os deputados jovens irão dirigir todos os trabalhos do parlamento, apresentar propostas para melhorar as condições de vida do povo paulista e falar sobre as suas iniciativas.

    Também participarão das comissões e elegerão a mesa diretora, composta pelo presidente, vice-presidente, primeiro e segundo-secretário.

    Os jovens deputados e seus responsáveis legais ficarão em um hotel, em São Paulo, com as despesas pagas pela Assembleia Legislativa.

    “Eu escutava que os políticos são todos ladrões, que a política no Brasil é muito ruim e, agora, meu pensamento mudou. Acho que as pessoas têm preconceito e não dão uma chance para ver como realmente funciona”, pondera a estudante.

    “Acho que todos devem ter uma noção sobre a política. Se a pessoa não vai atrás, não procura, não sabe votar, acaba colocando pessoas erradas no poder e, depois, fica se lamentando nas redes sociais”, definiu a jovem.

    Entre os critérios utilizados para a aprovação das propostas, estão o respeito ao formato do projeto de lei, conforme instruções contidas em um manual; correção gramatical, concisão e clareza; pertinência em relação ao tema do partido; originalidade e com proposta realizável.

    Jozeana conta que conhece pessoas com deficiência auditiva e que auxiliar a comunicação desses cidadãos foi um dos motivos que a levaram a apresentar o projeto de lei que defenderá na tribuna da Assembleia.

    As atividades serão realizadas nos plenários “Juscelino Kubitschek”, “Dom Pedro I”, “Tiradentes” e “José Bonifácio”, os mesmos lugares onde se reúnem as comissões e são realizadas as sessões na Alesp.

    A iniciativa contará com a assistência técnica dos servidos da Casa e será transmitida pela TV Assembleia, com os projetos publicados no “Diário Oficial” do Poder Legislativo.

    Participam do Parlamento Jovem estudantes do 9º ano do ensino fundamental, alunos do ensino médio e do técnico integrado ao ensino médio das escolas públicas e particulares do Estado.

    Outro estudante da escola Altina Maynardes, Wellington Vinicius Almeida Souza, também preparou projeto para participar do programa, que será apresentado no próximo ano.

    O jovem, de 14 anos, pretende instituir o projeto “Ação Ambiental Escolar”, visando chamar atenção ao Dia Mundial da Reciclagem, realizado em 17 de maio.

    Alves Miguel falou sobre a importância do interesse dos jovens pela política e destacou que Tatuí já teve outros jovens selecionados para participar do programa da Alesp. O vereador levou os dois estudantes para acompanhar uma sessão ordinária da Câmara estadual.

    “Durante as férias de julho, semanalmente, eles iam até a Câmara para discutir os assuntos dos projetos, me mandavam mensagens sobre o andamento das pesquisas e mostraram interesse em participar dessa iniciativa”, comentou Alves Miguel.

    Jozeana contou da emoção em conhecer a casa legislativa do Estado de São Paulo: “Foi muito emocionante chegar lá, ver e ter essa noção. A sensação é incrível de ver as pessoas, a mesa, como tudo funciona. Fiquei imaginando: será que daqui alguns anos eu vou estar aqui?”.

    Sonhando em se formar professora, a estudante do ensino médio revelou que fica incomodada com a falta de mulheres na política nacional. Na semana passada, ela esteve na Prefeitura de Tatuí, onde foi recebida pela prefeita Maria José Vieira de Camargo.

    “Acho que as mulheres deveriam se interessar mais por política e buscar, assim como os homens, estar representando e falando o que pensam”, concluiu.

    Publicidade
    EleService institucional
    Siltec
    Alessandra Bonilha, dra

    2 COMENTÁRIOS

    1. Sou muito grata pela matéria, ficou excelente, realmente muito boa, gratidão!
      👏👏👏

    2. Muito obrigado pela matéria , “O jovem em si tem que ter um conhecimento sobre a política”

      Muita gratidão ao pessoal do (O Progresso )
      que nós recebeu muito bem , com atenção sou grato por tudo isso .

    Comments are closed.