Encontro do Fusstat reúne 80 voluntárias e conselheiras na VE

1334
Publicidade

 

O Fusstat (Fundo Social de Solidariedade de Tatuí) realizou na segunda-feira, 6, a primeira reunião geral do órgão. O encontro, no centro de capacitação da vila Esperança, reuniu 80 pessoas, das quais, 65 voluntárias.

De acordo com a presidente Sônia Maria Ribeiro da Silva, o encontro serviu para traçar as metas do Fundo neste ano e os cursos a serem oferecidos nos centros de capacitação.

“Apresentamos os centros de capacitação para as voluntárias novas, expliquei como é o funcionamento do Fundo Social, falei sobre os nossos projetos e expliquei como pegamos o Fusstat e que nos mantemos por doações e da boa-vontade dos voluntários”, explicou.

Neste ano, o Fusstat realizou bazar que arrecadou mais de R$ 27 mil e promoveu a reabertura do projeto Envelhecer com Qualidade de Vida. O programa atende 180 idosos de todos os bairros da cidade, no Parque Ecológico Municipal “Maria Tuca”.

Publicidade

“A nossa reunião serviu para acertarmos os ponteiros e prepararmos para o reinício das atividades dos centros de capacitação. Nós ouvimos cada uma das voluntárias e acertamos como serão os cursos e de que modo serão feitos”, comentou Sônia.

De acordo com ela, os cursos serão iniciados após os reparos nos centros de capacitação. Algumas unidades já passaram por reforma e outras terão intervenções nas próximas semanas. Os materiais utilizados para as reformas foram doados por lojas de materiais de construção da cidade.

“Estamos trabalhando para começarmos o mais rápido possível. Faremos isso quando todos os equipamentos estiverem revisados e os locais, limpos, pintados e dedetizados. Nós lidamos com alimentação e não podemos trabalhar em locais sem manutenção”, acentuou.

Cozinha Solidária

O projeto Doce Lar passará por reformulação no espaço onde é realizado e no conteúdo dado às participantes. A partir deste ano, passará a chamar-se Cozinha Solidária. A ideia da presidente do órgão é dar maior dinamismo aos cursos ministrados nos locais, que passarão a ser “rápidos e práticos”.

“Queremos cursos diferentes, para o dia a dia, festas, alimentação funcional e que possam gerar renda para as participantes, desde que tudo ligado à cozinha”, contou.

A sede do projeto, na travessa Godoy Moreira, na vila Esperança, passa por reformas. A cozinha será ampliada e receberá porcelanato. Com a reformulação, o local será capaz de aumentar o atendimento.

“Recebemos porcelanato de doação e vamos utilizá-lo na reforma. Queremos dar duas a três aulas simultaneamente na nova cozinha, que será imensa”, ressaltou.

 

Publicidade