Emef local recebe representantes do “Ayrton Senna” e do McDonald’s

    Escola foi sede de evento que serviu para avaliar parcerias na Educação

    167
    Representantes do IAS e do McDonald’s conversaram com as crianças sobre atividades de programa (foto: AI Prefeitura)
    Publicidade
    EleService institucional
    Alessandra Bonilha, dra
    Anglo
    Siltec

    No dia 30 de abril, a Emef “Prof. Paulinho Ribeiro”, localizada no bairro Tanquinho e pertencente à rede municipal de ensino, da prefeitura, sediou reunião para tratar de resultados obtidos pelas parcerias na área da Educação.

    Estiveram presentes o secretário da Educação, professor Miguel Lopes Cardoso Júnior, o diretor de negócios do Instituto “Ayrton Senna” (IAS), Thiago Fernandes, a coordenadora de negócios do IAS, Priscila Mello, o diretor de impacto social e desenvolvimento do McDonald’s, Gabriel Serber, e o gerente de comunicação do McDonald’s, Leandro Lima, além de todo o corpo docente da escola.

    Os representantes do IAS e do McDonald’s visitaram as salas de aula e conversaram com as crianças, que disseram quais tipos de atividade vêm realizando e o que estão achando do acompanhamento que vem sendo feito quanto à frequência dos alunos na escola e ao incentivo à leitura.

    Apesar de o foco ser nos alunos dos terceiros anos do ensino fundamental, todas as salas de aula da escola, do primeiro ao quinto ano, possuem duas planilhas colocadas na parede, sendo uma para controle de tarefas de casa, presenças e faltas e outra, para a leitura de livros que os alunos leem.

    No primeiro caso, se os alunos fizerem as tarefas de casa e apresentarem-nas no dia seguinte para a professora, eles recebem uma marcação na cor verde na planilha.

    Publicidade
    Anglo
    Alessandra Bonilha, dra
    EleService institucional
    Siltec

    Se não levarem as tarefas, recebem uma marcação na cor azul. Quando faltam sem avisar ou sem dar justificativa, recebem uma marcação vermelha.

    Quando entregam atestados médicos ou os pais ou responsáveis comunicam o motivo da falta, o nome desses alunos recebe uma marcação em amarelo naquele dia em que não estiveram presentas na classe.

    Já no segundo caso, a planilha possui o nome dos livros disponíveis para leitura e os nomes dos alunos da classe. Os estudantes levam os livros para casa e têm cerca de uma semana para o devolverem e, posteriormente, conversarem com a professora sobre o que acharam da obra literária.

    Quando os alunos gostam dos livros que leram, a professora faz uma marcação na cor verde na planilha de leitura. Caso não gostem do livro, fica registrado na cor vermelha.

    Porém, até o momento, não há marcações em vermelho nessa lista, demonstrando que os alunos estão interessados, praticando a leitura e, principalmente, gostando de ler.

    Se algum aluno apresenta muitos índices vermelhos ou azuis nas planilhas, os pais são chamados para conversar com os professores e verificar os motivos pelos quais tem faltado, não tem entregue as tarefas de casa ou não demonstra interesse pela leitura.

    Os alunos são divididos em quatro níveis de aprendizado. Aqueles que alcançam os níveis três e quatro são retirados da sala convencional e têm aulas com um professor à parte. Aqueles que fazem parte dos níveis um e dois permanecem na sala de aula, para que o professor realize atividades que atendam às necessidades desses alunos.

    Essa metodologia, implantada em 2018, em parceria com o Instituto “Ayrton Senna”, “tem feito com que a aprendizagem dos alunos tenha apresentado melhoras, proporcionando até mesmo uma competição saudável entre os alunos, que se sentem motivados e procuram, ao máximo, estar com o quadro de tarefas, presença e leitura em ordem”, assegura a assessoria de comunicação da prefeitura.

    Os professores possuem planejamento e seguem rotina semanal, contando, inclusive, com apostilas fornecidas pela Secretaria Municipal de Educação, por meio da parceria com o IAS.

    A cada 15 dias, eles realizam experiências científicas com os alunos e, mensalmente, entregam à coordenação da escola os resultados obtidos por meio do trabalho.

    O diretor de negócios do Instituto “Ayrton Senna”, Thiago Fernandes, disse ter sentido que os professores, a coordenação e a Secretaria de Educação estão “completamente engajados com uma ação que deixou de ser apenas uma teoria”.

    “Nós vimos um programa absolutamente incorporado na rotina dos educadores e, mais importante ainda, gerando impacto dentro das salas de aula”, disse ele.

    Fernandes afirmou ter sido “um privilégio passar a manhã escutando as crianças e os educadores”, e que espera poder retornar outras vezes ao município.

    Já o diretor de impacto social e desenvolvimento do McDonald’s, Gabriel Serber, contou que o objetivo da visita era acompanhar o impacto que a parceria da prefeitura com o IAS está tendo dentro das salas de aula, para o ensino básico das crianças.

    Serber contou que visitara três classes de terceiro ano e tivera a oportunidade de conversar com professores, diretores e com o secretário da Educação, Cardoso Júnior.

    “Percebemos um trabalho maravilhoso, com foco na leitura e na escrita. As crianças também foram muito amigáveis conosco, apresentaram seus trabalhos e nos contaram a importância do que fazem diariamente na escola. E, por isso, com essa parceria, queremos fortalecer a Educação em Tatuí e em todo o Brasil”, ressaltou.

    Cardoso Júnior comentou que a visita proporcionara uma troca de experiências, na qual os professores puderam expor os resultados da parceria da prefeitura com o Instituto “Ayrton Senna” e o McDonald’s – na condição de investidor parceiro do IAS -, acrescentando que os visitantes puderam ouvir das próprias crianças o que elas estão achando desse método de ensino.

    “Os visitantes se demonstraram bastante surpresos com o empenho de toda a equipe pedagógica da escola, e a nossa expectativa é que possamos ampliar o nosso trabalho na cidade”, afirmou.

    Publicidade
    Alessandra Bonilha, dra
    Siltec
    EleService institucional
    Anglo