ELEIí‡í•ES 2016 – Expectativa sobre shopping é abordada (ENTREVISTA)

440
Publicidade





Vídeo 1: https://www.youtube.com/watch?v=eZLonqUbmxU
Vídeo 2: https://www.youtube.com/watch?v=Sxz7JvN6FFg
Vídeo 3: https://www.youtube.com/watch?v=Wal-Qxww66k
Vídeo 4: https://www.youtube.com/watch?v=Eq8J3f88YIo

 


 


 

Publicidade

A construção de um shopping center na cidade monopolizou as atenções políticas neste ano, chegando, até, a impor mudança na lei de zoneamento.

Qual o grau de importância que o senhor dá a esse empreendimento e quanto aposta na concretização efetiva dele, assim como da nova “entrada” para o município?

José Guilherme Negrão Peixoto (Guiga)

Bem, você trazer qualquer empreendimento, que vai ser uma geração de empregos para a cidade, é muito bem-vindo. Então, acredito que a vinda de um shopping center, como qualquer outra empresa, vai gerar empregos para a cidade.

Nós temos que preparar e qualificar essas pessoas que querem ter empregos na área comercial, na área de infraestrutura de um shopping Center, para que tenha, sim, mão de obra qualificada. Nós estamos esperando quanto à aposta que se falou.

Se virá ou não virá, não é um problema nosso. Nós, sim, queremos que venha qualquer tipo de empresa, seja em qualquer gestão, gestão anterior, ou atual. O shopping center pode, sim, ser uma realidade para Tatuí, e estamos torcendo para isso.

Quanto à nova entrada de Tatuí, com a vinda do shopping, vai ter que ser feita. E Tatuí tem área, tem condições fáceis de fazer uma nova entrada. Só você pegar a saída do shopping, você descer aqui até quase o Manduca (ribeirão), que você vai ter uma nova entrada para a cidade.

Até porque a atual entrada já é uma entrada de décadas e décadas e décadas. E nós temos que, realmente, fazer uma entrada bonita, para que Tatuí seja, realmente, a “Cidade Ternura”. E o shopping, que seja bem-vindo para a cidade.

José Manoel Correa Coelho (Manu)

A mesma importância que eu dei para conseguir efetivar esse projeto. Tatuí, há quantos anos a gente vem ouvindo falar, em outras administrações, que Tatuí ia ter um shopping. E, graças a Deus, na nossa gestão, tivemos a oportunidade de conhecer empresários que acreditaram na nossa administração.

Então, nesse momento de crise que estamos vivendo, é preciso ter criatividade, superação e reengenharia para conseguir fazer essas coisas.

Conseguimos quem vai fazer a avenida e quem vai fazer o shop-ping. É um investimento, dos dois, de R$ 230 milhões, que vai gerar quase 4.000 empregos na nossa cidade e vai criar um novo vetor econômico, uma nova Tatuí, uma nova cidade, que é um local onde vai ser aberta essa avenida.

Atrás do shopping, virão outras empresas, outros empregos para a nossa cidade. Então, não tenha dúvida que é o maior projeto que essa cidade já teve.

Por isso que eu me empenhei ao máximo. E mais uma vez tive embate político com a Câmara, e é esse embate político que prejudica a cidade, porque é um projeto que só traz benefício, não tem custo para o município.

Então, por isso que eu mobilizei toda a sociedade, mobilizei as igrejas, mobilizei a imprensa. Perdi a primeira votação, mas acreditei, como sempre acredito, no nosso potencial. E conseguimos aprovar esse projeto que vai ser o salto de qualidade que Tatuí merece.

Luiz Gonzaga Vieira de Camargo (Gonzaga)

Olha, vamos aqui falar a verdade. Este shopping, tomara que ele aconteça. Mas, eu tenho certeza absoluta que ele jamais acontecerá no curto e médio prazo, porque, com a crise que o país atravessa, ninguém se atreveria a fazer um investimento dessa envergadura neste momento.

O shopping é bem-vindo, eu sou um empresário. Eu sou daqueles que querem o progresso da cidade. Mas, para fazer um empreendimento deste, nós precisamos de muito estudo.

Inclusive, qual o impacto econômico que ele vai influir no nosso comércio tradicional. Será que o nosso comércio tradicional, que gera tantos empregos na nossa cidade, que atravessa tantas dificuldades, estaria em condições de receber um investimento desses? Competir com um investimento dessa envergadura?

Não vejo essa possibilidade, no momento, mas sou a favor, sim, de um shopping. E, se for um projeto correto, decente, terá o meu apoio, com toda certeza.

Rogério de Jesus Paes (Milagre)

O shopping é bem-vindo na cidade, entendeu? Todos, a gente vê os jovens, hoje, aí, eles não têm um lugar para eles passearem, para eles irem. E o shopping seria um lugar ideal para eles passearem, sem dúvida, entendeu?

Traria também novos empregos, porque geraria muito bem para a cidade, isso. Mas, eu não vejo uma perspectiva concreta disso. Você entendeu? Eu fico naquele, na dúvida. Esse shopping vem? Esse shopping não vem?

Até agora, ninguém sabe falar a verdade sobre se vem ou não vem esse shopping. Então, se vim, será bem-vindo. Será ótimo para Tatuí. Sem dúvida, porque geraria novos empregos. As pessoas também teriam onde passear, aonde ir, se divertir um pouquinho.

Hoje, o pessoal sai daqui e vai para Sorocaba, lugar mais próximo de shopping. Então, seria bom, sim. Mas, Deus é pai também. Eu vejo muita dúvida sobre a concretização desse shopping, que eu acho que não vejo uma clareza, um esclarecimento concreto sobre isso.


Pelo menos nos índices oficiais do governo do Estado, a criminalidade em Tatuí diminuiu de maneira geral. A que atribui essa melhora? E quais seus principais planos para a área da segurança pública?

José Guilherme Negrão Peixoto (Guiga)

A segurança pública, nossa chapa é formada até por um vice-prefeito que trabalhou na área de segurança pública, que é o coronel Wagner Rodrigues.

Eu, conversando com ele, nós achamos alguns pontos em outras cidades que já têm, e nós queremos trazer aqui para Tatuí.

Nós queremos uma unificação, uma política fácil entre Polícia Militar, Guarda Municipal e Polícia Civil, juntamente com Bombeiro e Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

Hoje, se você tem algum problema na sua casa, você não sabe que número você telefona, se chama o Samu, se chama o Bombeiro, se chama a Guarda Municipal.

Nós queremos trazer uma tecnologia, um software que já está em várias cidades, que unifique todas as chamadas em um número só. Um exemplo: 191, no qual esse direcionamento vai ser feito para qualquer que seja a situação que o munícipe está passando, seja para o Bombeiro, seja para o Samu, seja para a Polícia Militar, Polícia Civil e a Guarda Municipal.

Isso é uma realidade em diversas cidades nacionais, e nós vamos implantar em Tatuí para que, cada dia mais, a gente combata a segurança na nossa cidade.

José Manoel Correa Coelho (Manu)

Nós conseguimos atingir os melhores números. Desde 15 anos que Tatuí não tinha esse índice. Foi um trabalho que nós fizemos em conjunto com a Secretaria de Segurança Pública, trabalhando com as outras forças policiais, mas o maior investimento, na Guarda Municipal.

Todos com coletes próprios, todos com viaturas novas. Quando assumimos, as viaturas não tinham condições de rodar. Nenhuma moto estava funcionando. Hoje, as motos estão andando, viatura nova, os guardas em maior número. Hoje, são 150 homens, tá? E aí investimos em tecnologia.

Nós colocamos isso como plano de governo. A barreira eletrônica impede que o criminoso entre na cidade. Um criminoso nunca vem com veículo quente, ele vem com veículo roubado. A partir do momento que ele entra na cidade, vai soar o alarme e vai prender o bandido.

Nenhum caixa eletrônico foi arrombado em Tatuí. É o maior exemplo que a segurança, hoje, aqui, é número um da região. Todas as cidades têm isso. É só comparar.

Agora, vamos colocar essas câmeras em maior número na cidade. Vou aumentar os guardas para 200 guardas. Vamos efetivar um sonho meu, que é a viatura móvel em todos os bairros da cidade, e colocar os guardas cada vez mais bem armados, até com armas não letais, para que a gente possa, sim, ter aqui dentro da cidade cada vez mais essa segurança que, hoje, a própria secretaria nos avaliza.

Luiz Gonzaga Vieira de Camargo (Gonzaga)

Olha, eu atribuo a um trabalho feito pela Polícia Militar, pela Polícia Civil e pela nossa Guarda Municipal, também, por que não? Nós queremos ampliar esse atendimento, voltar o atendimento da Guarda Municipal na nossa zona rural, que hoje todos os postos que nós abrimos na nossa gestão estão fechados. Americana, bairro dos Mirandas, Enxovia. Esses bairros, simplesmente, ficam à mercê, durante a noite, sem controle nenhum.

Nós queremos dar mais tranquilidade e segurança, principalmente na área rural, que vem sofrendo com roubos, com invasões. E isso precisa ser coibido.

Nós queremos modernizar a nossa Guarda, inclusive, com tecnologia embarcada nos carros da Guarda Municipal, com GPS, identificando as propriedades por números para, quando ocorrer uma dificuldade, uma falta de segurança, pelo próprio código da propriedade, o carro da Guarda levará o guarda municipal para atender a ocorrência, ou indicar para a Polícia Militar.

Queremos voltar, novamente, a integrar o trabalho da Guarda Municipal com a Polícia Militar, com a Polícia Civil, como nós fizemos no passado. Ter uma sala de gestão integrada para melhorar a segurança pública da nossa cidade.

E mais: o tempo já deu, não posso concluir, mas eu tenho, no meu programa de governo, vários detalhes a respeito da questão da segurança pública na nossa cidade, que eu recomendo que seja lido pelos munícipes.

Rogério de Jesus Paes (Milagre)

Hoje, eu vejo a unificação das polícias em Tatuí vem trazendo grande benefício. Diminuiu bastante a criminalidade. Porque eles estão unidos, a Guarda Municipal, a Polícia Militar, a Polícia Civil. E isso faz com que fortaleça a nossa polícia. E a segurança, sim, ela vai diminuir bastante.

E eu vejo, assim, que precisamos aumentar ainda mais a Guarda Municipal. A Guarda Municipal de Tatuí, hoje, ela é bem ativa. Eles trabalham bem pela cidade. Eles desenvolvem um trabalho muito útil no seu dia a dia, durante no seu dia a dia, aqui na cidade.

Vejo, hoje, que a Guarda Municipal ela traz uma segurança. O povo, hoje, acredita na Guarda Municipal. Por isso, eu pretendo aumentar o número de guardas civis municipal.

E também a Polícia Militar, trabalhando em conjunto com a Guarda e a Polícia Civil, eu vejo que eles vêm resolvendo um trabalho muito importante para a nossa cidade. Eu vejo crescer a confiança hoje na polícia, e isso faz com que a população se sinta bem segura sobre isso também.


Apesar da crise econômica – que faz a oferta de empregos diminuir -, persiste a realidade de que Tatuí carece de mão obra especializada. Como pretende combater esse problema?

José Guilherme Negrão Peixoto (Guiga)

Esse problema faz parte do nosso plano de educação. Nós temos que buscar, no governo estadual, ou no governo federal, possibilidade de cursos profissionalizantes em nossa cidade.

Hoje, Tatuí precisa de soldador. Nós temos que pensar que, daqui alguns dias, inaugura a Noma na nossa cidade, e tem como característica básica a mão de obra de soldador.

Nós temos que qualificar pessoas da área de eletricidade, como também diversas áreas, como: secretárias, cabeleireiras. Nós queremos trazer uma educação de qualidade, um curso de qualidade para todas as pessoas de Tatuí.

A carência é grande. Isso tem que ser resolvido e não custa caro. Custa, sim, tempo. Custa, sim, eficiência, e custa um trabalho constante para que Tatuí tenha, em seus munícipes, qualificação, que tenha vontade e condições de poder sair no mercado de trabalho em qualquer cidade e arrumar emprego.

Tatuí, sim, vai ter cursos profissionalizantes, que é coisa simples para que essa carência da mão de obra seja acabada.

José Manoel Correa Coelho (Manu)

Nós já temos colocado em prática um projeto que foi também de muitos anos promessas não cumpridas, que é o Senai (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), a educação para o trabalho.

Os jovens não tinham oportunidade de conseguir o seu primeiro emprego, porque eles não tinham experiência, porque eles não tinham qualificação. Hoje, Tatuí tem o Senai, que é uma obra do nosso governo.

Tatuí também, hoje, está trazendo vários cursos universitários, com o nosso apoio, através das faculdades particulares da cidade. Hoje, Tatuí já tem direito, Tatuí tem engenharia, Tatuí tem agronomia. Estamos qualificando a mão de obra.

Fui um dos que sempre batalhei, incentivei a Fatec (Faculdade de Tecnologia), que hoje está com mais de 2.000 alunos aqui formando. E eu creio que, no nosso governo a partir de agora, de uma nova gestão, vamos incluir o Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego) na cidade, que são os cursos em parceria com o governo federal.

No momento, o governo federal está ainda reestruturando o seu novo governo, que está passando por uma transição. Nós já temos os projetos no governo federal para trazer mais cursos técnicos. Eu sempre apostei nisso, eu sempre acreditei nisso.

Eu tenho absoluta certeza que Tatuí também vai se destacar na qualificação numa próxima gestão. Nós colocamos a nossa cidade, hoje, solidificada, preparada para receber esses cursos, para receber, depois, também as empresas. Uma coisa anda junto com a outra.

Luiz Gonzaga Vieira de Camargo (Gonzaga)

Continuar com a nossa Fatec, que foi uma conquista nossa. Trouxemos para Tatuí uma escola que prepara o jovem para o mercado de trabalho. Também o Senai muito insipiente, ainda. Precisamos ampliar a oferta de vagas e de cursos na nossa escola do Senai para que, realmente, capacitemos a nossa mão de obra.

Já melhorou bastante a mão de obra da nossa cidade, mas evidentemente que, com as exigências do mundo moderno, ela ainda precisa de mais atenção para que tenhamos, realmente, uma oferta de mão de obra qualificada aqui na nossa cidade.

Treinando os nossos jovens, capacitando os nossos jovens, como fizemos, e também criar cursos, e na própria ideia que temos, que está no nosso programa de governo, transformar o Alvorada Clube na Casa do Trabalhador.

E ali ter salas de treinamento para aquelas pessoas que procuram emprego. Ter salas de entrevistas para diretores de RH (recursos humanos). Enfim, nós queremos acompanhar o trabalhador que está à procura de emprego até a entrevista dele, quando assim for permitido.

Rogério de Jesus Paes (Milagre)

Vejo, hoje, a qualificação de Tatuí um pouco abaixo do que necessitamos, as indústrias necessitam. Hoje, temos a Senai em Tatuí, mas a Senai já é um grande começo, mas nós precisamos aprimorar isso. Aumentar os cursos de qualificação no Senai.

Aumentar os cursos para que desenvolva mais o modo de agir das indústrias, que venham para Tatuí. Tendo mão qualificada na cidade, as indústrias virão também, que sabem que tem mão qualificada para trabalhar.

Então, vamos aumentar os cursos, entendeu? Vamos fazer o máximo de nós para que o Senai aumente cada vez mais. E essa é a minha proposta.


O turismo tem registrado bons números, mesmo em ano de recessão, por conta de atrativos como a Festa do Doce, por exemplo. Também há grandes chances de que, se esse movimento seguir, Tatuí possa se tornar Município de Interesse Turístico. O que a população pode esperar do senhor com relação a essa área?

José Guilherme Negrão Peixoto (Guiga)

Eu torço todos os dias, todas as noites, para que Tatuí consiga ser uma cidade turística. Isso vai trazer mais renda para a cidade, e isso vem já de trabalho constante de pessoas que estão ligadas na área turística de Tatuí. Tatuí tem pessoas que estão comprometidas com a realização de um turismo de qualidade.

E nós vamos, sim, conseguir pegar essa qualificação. E acontecer em Tatuí coisas boas. Nós temos que resgatar o Conservatório. Por outro lado, apareceu a Festa do Doce, que, se Deus quiser, nós vamos trazer essa cidade que seja conhecida nacionalmente como Tatuí a “Capital do Doce”. Assim como nós vamos resgatar, também, Tatuí a “Capital da Música”.

O turismo carece, sim, de resgates. Mas, tem pessoas capacitadas dentro de nossa cidade que vão fazer alavancar o turismo da nossa cidade. Hoje, Tatuí vai ser – já está sendo – uma referência na área de doce. E, se Deus quiser, vai ser uma referência nacional na área do doce.

Lembrando que Tatuí tem condições de ser a “Capital da Música”, a “Capital do Doce” e também a “Capital da Grama”. Isso nós vamos tentar em todas as instâncias trazer de volta para Tatuí.

José Manoel Correa Coelho (Manu)

É uma área que eu sempre acreditei. A própria Festa do Doce foi uma festa que nós idealizamos. Fizemos ela sair de um sonho dos doceiros e, agora, ser realidade.

A primeira festa tinha 19 expositores; a última, 69. E mobilizou mais de 120 mil pessoas, mobilizou a região. Nos deu o prêmio de Prefeito Empreendedor (pelo Sebrae).

Então, a Festa do Doce é o maior retrato que a gente tem potencial turístico, cultural e que gera recurso para o município, para os pequenos empresários e para a cidade. Movimenta os hotéis, movimenta tudo.

Também a gente está focado no Conservatório, que está passando por um momento muito delicado. E temos, aí, um contato muito próximo à Secretaria de Cultura, porque é nossa maior riqueza dentro da cidade, que nos leva a todo mundo.

Estamos firmes para que o Conservatório continue aqui e cada vez melhor. Estamos fazendo um trabalho para melhorar ainda mais o nosso Conservatório e, juntamente com alguns grupos, como o Arte Pela Vida, estamos trabalhando também alguns projetos sociais, juntamente com o turismo e com a cultura.

Tatuí vai ser, sim, Município de Interesse Turístico, graças ao nosso governo, que fizemos um trabalho fortemente com a diretoria de cultura, com profissionais da cidade. Fizemos o projeto, fomos aprovados e, em breve, Tatuí vai ser Município de Interesse Turístico, para crescer ainda mais nesse setor.

Luiz Gonzaga Vieira de Camargo (Gonzaga)

Apoio total. Inclusive, vejo que, hoje, a única atração que o município oferece é a Festa do Doce. Por sinal, uma bela iniciativa. Mas, eu vejo, inclusive conversando com os dirigentes da Festa do Doce, eles querem eles mesmos, a partir do ano que vem, fazerem a festa, organizarem a festa.

Elas querem apenas o apoio da Prefeitura. A Prefeitura estará à inteira disposição, e vamos fazer, sim, muitas festas, que era uma marca, também, da nossa gestão.

Tatuí entristeceu. Tatuí ficou triste, porque não tem mais atrações como tinha no passado. Cadê o sábado de manhã na praça, que era uma festa? Acabou, não tem mais. Então, essa questão do turismo nós apoiamos totalmente.

Vamos trabalhar firmemente na Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) para aprovar a lei que inclui Tatuí como Cidade de Interesse Turístico.

Queremos, sim, trabalhar junto ao governador Geraldo Alckmin, nosso amigo, ao chefe da Casa Civil, Samuel Moreira, para que a gente possa, realmente, incluir Tatuí como a Cidade de Interesse Turístico. E, também, não esquecer do turismo rural, que temos condições de atrair para ele muitos visitantes.

Rogério de Jesus Paes (Milagre)

A cultura é uma área muito importante para Tatuí, pois, hoje, nós temos o Conservatório, que é um nome tradicionalíssimo na América Latina. Pretendo, se for eleito, assim prefeito de Tatuí, eu vou valorizar os nossos artistas. Tem muito artista bom em Tatuí, aqui. Vou promover festivais de músicas, sertanejas, rock, MPB, cururu, festival de teatro, banda na praça vai ter todo fim de semana.

Vão voltar os festivais de dublagem, que antigamente tinha. Hoje, não tem mais, e era um sucesso durante, para o pessoal mais jovem, os adolescentes.

Eu quero também fazer com que Tatuí se torne, hoje, o turismo cultural para nossa cidade, porque nós temos muita cultura para desenvolver através da música do nosso Conservatório, do teatro que nós temos aqui.

Então, vou fazer um evento histórico, um turismo cultural através da música de Tatuí.


Publicidade