Duplicação da marginal do Manduca deve ser finalizada até o final do ano

Drenagem é concluída; última etapa inclui asfalto, iluminação e paisagismo

475
Setor de obras prepara base da via para a pavimentação (foto: Eduardo Domingues)
Publicidade

As obras de duplicação da marginal do ribeirão Manduca entraram na fase final. De acordo com a prefeitura, a previsão, dependendo das condições climáticas (chuvas), é de conclusão até o final do ano.

O Executivo está realizando mais uma etapa da revitalização, agora em uma extensão de 1.296 metros, a partir da ponte do Jardim Colina Verde (rotatória das ruas Rotary Club com a Caridade III).

De acordo com o secretário municipal das Obras e Infraestrutura, Marcos Luís Rezende, os serviços de drenagem e de base para a pavimentação já estão encerrados. Os próximos passos incluem pavimentação, iluminação e paisagismo.

“As guias e calçadas também já estão prontas, só está faltando mudar a posição de alguns postes de energia elétrica para poder fazer o canteiro central e colocar o asfalto. Estamos dependendo da Elektro para fazer isso; depois, seguiremos com paisagismo e iluminação”, completou Rezende.

O secretário ressalta que o Departamento Municipal de Obras e a construtora Madri Ltda., vencedora da licitação, “estão executando os serviços no local de forma planejada, para que as obras possam ocorrer com menos prejuízos ao fluxo de trânsito”.

Publicidade

“Algumas ruas estão parcialmente interditadas, mas não tem nenhuma com trafego parado. Fizemos um planejamento para poder realizar os serviços sem atrapalhar muito o trânsito no trecho. Então, todas as ruas afetadas têm passagem para os veículos e moradores”, observou o secretário.

O trabalho de duplicação da marginal do ribeirão Manduca, que tem como nome avenida João Batista Correa Campos, está sendo executado em fases desde 2017. A primeira etapa foi entregue em dezembro desse ano.

Na ocasião, a via ganhou mão dupla nos dois sentidos, canteiro central, rotatória na interligação com a avenida Domingos Bassi e teve o asfalto reconstruído até a avenida São Carlos.

A segunda etapa foi concluída junto com a ponte do Jardim Paulista, em dezembro de 2018. A obra envolveu a recuperação da rua Lions Club de Tatuí até a bifurcação e a reconstrução da ponte que liga o Jardim Paulista à vila Dr. Laurindo.

Agora, o trecho a partir da ponte do Jardim Colina Verde até a rua Chiquinha Rodrigues está em obras. Os serviços fazem parte do último lote do programa “Asfalto Novo” e somam valor aproximado de R$ 4 milhões.

Lançada em dezembro de 2018, a primeira etapa do programa Asfalto Novo contemplou obras de pavimentação e recapeamento em mais de 30 vias do município.

Os serviços foram executados em quatro lotes de obras, pelas empresas JPMIG Construtora Eirele – ME, Júlio & Júlio Ltda, Vanguarda Construtora e Serviços de Construção Viária Ltda e Construtora Madri Ltda.

As obras foram possibilitadas pela liberação de recurso de R$ 10 milhões ao município. O dinheiro é proveniente de linha de crédito do programa Pró-Transporte, uma ação do Ministério das Cidades, executada por meio da Caixa Econômica Federal com a Agência Desenvolve SP, do governo do estado.

A finalização completa da marginal ainda deve ter mais uma fase para duplicação, no trecho que passa em frente ao Sesi. Conforme o secretário, os recursos para a obra estão incluídos no programa Asfalto Novo, contudo, a prefeitura aguarda a resolução de um processo jurídico para o início das obras finais.

“Vamos pular o trecho do Sesi e dar continuidade nos outros enquanto o departamento jurídico define os últimos detalhes do processo com a unidade. Agora, vamos focar naquele ponto da Colina Verde até o Jardim Lírio”, informou Rezende.

Ele ainda antecipou que a finalização das obras de duplicação da marginal do ribeirão Manduca representa “muito do sentido da atual administração, uma vez que foi feito um acesso completamente duplicado e revitalizado”.

“Não existia este acesso, e nós fizemos a revitalização desde a avenida Vice-Prefeito Pompeo Reali até a Chiquinha Rodrigues. Hoje, temos uma grande via de locomoção, que facilitou o tráfego e trouxe outra cara para aquela região”, completou o secretário.

Publicidade

1 COMENTÁRIO

  1. agora dona maria josé tem que dar um jeito nessa entrada que liga o jardim lirio ao jardim manoél de Abreu onde entra e sai de caminhão ,tem escola aqui e a rua da escola é contra mão pra subir ,ou seja todos os veiculos tem que necessariamente passar por aquela entrada da manoél de Abreu ,vive quebrando caminhões ali ,e é muito movimento o dia todo principalmente de manhã e não tem nenhuma sinalização ,,não sei como ainda não aconteceu nenhum acidente por ali ,,por favor tome alguma providencia ,,aproveita que já estão mexendo mesmo aqui perto ,ou então nos moradores aqui da Manoél de Abreu iremos fazer um abaixo assinado .Obrigada.