‘Donato Flores’ abre inscrições para turma de jovens aprendizes

    216
    Publicidade
    Alessandra Bonilha, dra
    Siltec





    O Lar “Donato Flores” está recebendo inscrições de adolescentes interessados em fazer cursos de capacitação profissional. O projeto Lar Espaço Feliz dá a oportunidade de ingresso no mercado de trabalho a jovens de baixa renda.

    São três cursos preparatórios para o mercado de trabalho: administrativo, no qual são ensinadas rotinas de escritório; aprendiz bancário e alimentador de linha de produção. Todos os cursos são registrados no MTPS (Ministério do Trabalho e Previdência Social).

    Segundo o diretor do projeto, Ubirajara Feltrin, o número de adolescentes atendidos pelos cursos de capacitação é de cerca de 70. Para os adolescentes que estão fazendo a preparação profissional, as aulas são de segunda a sexta, no período da tarde.

    À medida que os adolescentes são chamados para trabalharem como aprendizes, a instituição convoca os jovens remanescentes da lista de espera, de forma que, durante todo o ano, são disponibilizadas novas vagas.

    Publicidade
    Alessandra Bonilha, dra
    Siltec

    “A preparação não tem tempo para começar, é contínua. Nós começamos o ano com mais de 50 alunos e, no decorrer do ano, eles são chamados pelas empresas. Vamos chamando os novos alunos para ir repondo as vagas nos cursos”, informou.

    Neste ano, o Lar “Donato Flores” tem uma novidade. Além das meninas que já eram atendidas pelo programa, a instituição abriu vagas para adolescentes do sexo masculino. O curso é ministrado para jovens com idade a partir de 14 anos.

    “Eles entram no curso e têm aulas preparatórias. Nós levamos os alunos para serem entrevistados e começarem a trabalhar. A seleção é feita pelas próprias empresas”, explicou.

    Quando chamados para trabalhar em empresas como aprendizes, os adolescentes continuam a ter aulas no “Donato Flores”. A carga horária deixa de ser diária e passa a ser semanal. Durante quatro dias da semana, os jovens trabalham e, num dos dias, fazem o curso na instituição.

    O diretor explicou que as empresas são obrigadas a empregarem jovens aprendizes. A Lei da Aprendizagem determina cota mínima de 5% de aprendizes nas empresas de médio e grande porte.

    “Com essa recessão, vemos que o número de aprendizes está caindo. Ainda assim, no fim do ano passado, uma empresa daqui da cidade chamou 20 meninas para trabalharem de aprendizes”, contou.

    O curso não tem custo para os alunos. Materiais didáticos são doados pela instituição, assim como uniformes e lanches. “É custo zero”, acentuou o diretor.

    Além das aulas de preparação, os alunos recebem ensinamentos de língua portuguesa, matemática e artes.

    O Lar “Donato Flores” adota critérios socioeconômicos para a seleção dos adolescentes participantes do programa de preparação profissional. São escolhidos jovens com renda “per capita” de até meio salário mínimo, cerca de R$ 473 por pessoa.


    Publicidade
    Alessandra Bonilha, dra
    Siltec