Dançarino local em Nova Iorque

Estudante precisa arrecadar mais R$ 15 mil para as despesas com viagem

2941
Publicidade
Antuerpia
Fabio Villa Nova

Familiares e amigos do dançarino tatuiano Thiago Pereira de Oliveira Santos, 17, que ganhou bolsa de estudos em Nova Iorque, continuam buscando doadores e parceiros que possam ajudar a realizar o sonho do jovem, de estudar no exterior.

Thiago dança desde os 13 anos e é o primeiro bailarino do corpo de baile do “Sil Verzinhassi – Dança & Pilates”. Ele está entre os poucos selecionados para um curso de aperfeiçoamento a ser ministrado em Nova Iorque, nos Estados Unidos, em junho.

O dançarino ganhou bolsa de estudos de 100%, no valor de R$ 13 mil, para curso de verão na Joffrey Ballet School. No entanto, ela cobre apenas os custos do curso e não da viagem. Em fevereiro, quando soube que ganhara a bolsa, o próprio jovem criou, com o pai, uma campanha para ajudar nas despesas.

Ele abriu uma “vaquinha virtual” em site homônimo pelo qual pede ajuda. A ideia da família – que tem apoio da professora e de amigos do jovem – é arrecadar o montante necessário não só pelo site, mas por meio de patrocínios.

O grupo pretende arrecadar um total de R$ 20 mil, valor calculado para cobrir desde os gastos com a compra de passagens aéreas (ida e volta), estadia, locomoção e alimentação, até o processo de obtenção de visto.

Publicidade
Fabio Villa Nova
Antuerpia

De acordo com o dançarino, o site é muito burocrático e acabou dificultando as doações. Agora, a família usa as redes sociais e aplicativos de mensagens para espalhar a campanha.

“Achamos melhor parar com a campanha virtual, devido às burocracias do site, e começamos a divulgar a conta bancária do meu pai, através de mensagens em grupo de amigos. Assim, o dinheiro vem direto para a gente e não há riscos de ter que pagar nenhum tipo de porcentagem”, comentou o dançarino.

Com essas campanhas, uma parte do valor já foi arrecadado. Com o dinheiro, o jovem conseguiu tirar o visto, pagar a primeira parcela da passagem e custear outras despesas referentes ao curso, porém, ainda precisa de pelo menos R$ 15 mil para estadia, locomoção e alimentação.

Quando iniciaram as arrecadações, os amigos do jovem e a professora planejavam realizar uma apresentação. O grupo até buscou parcerias e um local que pudesse receber os bailarinos para um evento com bilheteria revertida a Santos, mas, como a viagem está marcada para o dia 26 de maio, possivelmente a apresentação será cancelada.

“Ainda vou conversar com os meus amigos e fazer mais alguns contatos, mas acho que teremos que cancelar a apresentação. Temos pouco tempo para organizar e ainda há outros detalhes que precisam ser definidos para minha viagem”, contou Santos.

Para ajudar nas despesas, a família está vendendo rifas e organizando a venda de marmitas de feijoada para o dia próximo dia 20. Elas terão custo de R$ 25 e serão vendidas por encomenda, por meio dos telefones (15) 99793-6750, 99633-5543 e 99738-1895.

Além de comprar as rifas e a feijoada, quem quiser ajudar pode depositar qualquer quantia no Banco Bradesco, agência 284, conta-corrente 82146-2, em nome de Jorge Fabiano de Oliveira Santos, pai de Thiago.

O jovem deve embarcar no dia 26 de maio. O curso vai de 4 de junho a 20 de julho e é um sonho para o bailarino, que tem mais de cinco anos na dança. Para ele, a viagem não representa somente um curso no exterior, mas a oportunidade de dar um salto na carreira.

“Sei que a carreira é muito difícil, mas preciso tentar. Todos os dançarinos de sucesso tiveram que passar por isso. Este curso significa muito mais que um diploma para mim, ele é a minha chance de desenvolver a minha dança e deslanchar minha carreira como dançarino”, afirma.

Os amigos e os colegas da escola de dança estão empenhados na missão de ajudar Santos a não perder a segunda oportunidade. Em janeiro deste ano, o jovem ganhou um curso na Espanha, mas não conseguiu levantar recurso para viajar.

O bailarino faria, em Barcelona, um aperfeiçoamento. A premiação havia sido anunciada em janeiro do ano passado, como resultado de participação dele em um dos vários festivais pelo país.

Santos busca patrocínio para iniciar curso no exterior (foto: arquivo pessoal)

A maratona de apresentações teve início com o ingresso dele no corpo júnior. Depois, Santos passou para o corpo oficial, quando começou a viajar para festivais. No interior do Estado de São Paulo, o jovem disputou inúmeros.

Os bailarinos do estúdio de dança iniciam em competições “menores” (menos acirradas). Com o tempo e por conta dos resultados, o grupo disputa grandes eventos. O maior deles, o Festival de Dança de Joinville, em Santa Catarina.

O evento é considerado o maior da América Latina, tendo presença dos bailarinos de Tatuí nos anos de 2016 e 2017. No ano retrasado, 18 bailarinos do estúdio competiram. Já no ano passado, o número subiu para 25.

Nas duas participações, Santos ganhou premiações como “melhor bailarino”. A primeira, uma bolsa de estudos para curso no Grupo Raça Centro de Artes, em São Paulo, uma das mais conceituadas da capital.

Lá, ganhou outra bolsa de estudos, para frequentar aulas no Mostra Dança. Ele participou de um curso internacional, ministrado por professores de diversos países.

Foi em São Paulo onde Santos ganhou a bolsa de estudos para Nova Iorque. Dois dos professores que ministraram aulas são da Joffrey Ballet School, com sede em Nova Iorque.

O curso na “Mostra Dança” é usado como seletiva para concessão de bolsas de estudos. Santos ganhou não uma, mas duas vezes. Em 2017, obteve 100% para fazer aulas no Barcelona Dance Center, na cidade de Barcelona, na Espanha.

O curso teria duração de um mês. Entretanto, em razão de não conseguir o recurso necessário para as despesas de viagem, o jovem desistiu.

Santos conseguiu mais duas premiações. Além da bolsa nos Estados Unidos, obteve 100% de inscrição para um evento na Itália, ao ser escolhido por Claudia Zaccari. Com as duas possibilidades, precisou optar por uma delas, já que os eventos tinham datas muito próximas.

Pensando no aprimoramento, Santos optou por Nova Iorque, em função do tempo e do conhecimento que poderá adquirir. Na Itália, o festival durará um dia.

Em Tatuí, Santos já incursionou com o corpo de baile. Os dançarinos apresentaram-se em escolas da rede municipal. Ainda na Capital da Música, o jovem fez apresentações no Pátio Vivaz e em mostra de dança na Concha Acústica.

A viagem ao exterior será a primeira do jovem, que planeja ir sozinho e, como preparativo, está aperfeiçoando o aprendizado do inglês. Para isso, conta com a ajuda de uma colega de curso. Os dois dançam e praticam o idioma.

Mesmo não sendo fluente, Santos não deve ter problema com as aulas. Isso porque a nomenclatura dos movimentos do balé clássico não muda. A dedicação aos estudos da língua tem como foco a imersão do jovem junto aos colegas.

“Estou falando em inglês com a minha prima e algumas amigas que já falam fluentemente. Já estou bem melhor e, quando chegar lá, até com os brasileiros vou falar só em inglês, para poder aprender cada vez mais”, comentou.

Publicidade
Antuerpia
Fabio Villa Nova