‘Creche é a melhor da gestão’, avalia convidada para evento

355
Publicidade





Convidada a acompanhar a inauguração da Creche Municipal “Masaji Horiguchi”, Karina Rodrigues elogiou a estrutura da unidade escolar. Mãe de duas crianças, um menino de três anos e uma menina de dez, ela mencionou que o imóvel “é diferente de todos os outros”. “Está bem adaptada”, avaliou.

Os filhos dela frequentam a Creche Municipal “Artur Avallone”, no Jardim Ternura, inaugurada em 2011 e que tem capacidade para 220 crianças, 70 a mais que a do Jardim São Paulo, entregue na manhã de sábado, 23. Entretanto, para ela, a nova creche possui “melhor planejamento de uso”.

“Achei essa unidade maravilhosa. Como mãe, eu gostaria de ter meus filhos numa unidade igual a essa, porque ela é a melhor creche da gestão”, comentou.

Karina é secretária executiva no Fundo Social de Solidariedade. Por conta da função, precisa deixar os filhos em creche. “O serviço prestado é muito bom. Não tenho nem o que falar, meus filhos são muito bem cuidados, tanto pelas monitoras como pelas diretoras. Esse apoio para que nós, os pais, possamos sair para trabalhar é, realmente, muito bom”, acrescentou.

Publicidade

Para ela, além de permitir que os pais possam trabalhar, o período que as crianças passam em creche ajuda no desenvolvimento. “É importante para o relacionamento social. Só com a família, elas não se desenvolvem”, argumentou.

A O Progresso, o prefeito destacou o prazo de adaptação do imóvel. Manu enfatizou que a administração concluiu as mudanças na casa – nos banheiros e nos quartos, estes transformados em salas de aula – em 60 dias. “O que conta é que nós estamos entregando um novo equipamento”, argumentou.

Conforme ele, a compra do imóvel resultou em ganho para a administração, já que o prédio existia. “Não houve construção. Além disso, é um investimento que a Prefeitura fez, comprando. Essa é a nossa mentalidade”, destacou.

O prefeito ressaltou que, no prédio, as crianças terão “as mesmas condições de tratamento”. Ele abrigará cem crianças em creche e 50 em pré-escola.

“A grande vantagem é o tempo e o preço. Sai mais em conta que eu construir uma unidade e ainda mais barato”, salientou Manu. Conforme ele, “a Prefeitura continuará investindo em qualidade, seja em construção própria ou em compra”.

O Executivo quer o mesmo padrão de qualidade para escola que deve ser construída na vila Brasil e para a Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) no Tanquinho.

“Apesar de construídas, elas vão ser, também, um palácio. Serão muito bem feitas, lindas e trabalhadas por arquitetos de carreira da Prefeitura”, concluiu.


Publicidade