Cor vermelha e teclado são tirados de faixas de pedestres pelo DMMU

Nova sinalização seguirá “à risca” determinações do Código de Trânsito

441
Faixa de pedestres próxima ao paço municipal foi repintada por agentes de departamento municipal
Publicidade
Siltec

Parte das faixas de pedestres da região central e dos bairros passará por revitalização. O DMMU (Departamento Municipal de Mobilidade Urbana) está refazendo a sinalização de solo em alguns pontos da cidade e instalando travessias para pedestres em bairros que não contam com o dispositivo.

De acordo com o diretor do DMMU, Yustrich Azevedo Silva, funcionários do departamento estão dando prioridade nas sinalizações que estão com as faixas apagadas e as que utilizaram a cor vermelha.

“Houve um equívoco no passado em relação à utilização da cor vermelha nas faixas de pedestres. O Código Nacional de Trânsito e seus anexos deixam bem claro que o vermelho é para ser de utilização em ciclovias. Não poderiam ter aplicado essa cor na faixa”, explicou.

Nas faixas em cor vermelha, os agentes do DMMU estão aplicando tinta preta para corrigir a irregularidade. Conforme a disponibilidade de material, o departamento instalará novas faixas em bairros.

“Estamos começando pela região central, e, aos poucos, vamos chegar aos bairros com o trabalho de revitalização, arrumando o que estiver errado e fazendo novas faixas”, adiantou.

Publicidade
Siltec

O diretor também informou que as faixas estilizadas em formato de teclado de piano serão abolidas. Segundo Silva, a lei é “bem específica” quanto ao enquadramento, formato e cores a serem utilizadas nos dispositivos.

“Não podemos fazer isso (faixa ‘piano’), mesmo que ela cumpra a função de faixa de pedestre. Além de refazer a sinalização horizontal, estamos revitalizando a troca de algumas placas, conforme a disponibilidade orçamentária e de pessoal”, concluiu.

Publicidade
Siltec