Conservatório apresenta 5 sessões de ‘superprodução’

‘Mambos, boleros e chá-chá-chás’ estarão em repertório

398
Espetáculo terá três sessões didáticas voltadas a escolas municipais (foto: AI Conservatório)
Publicidade

O Conservatório de Tatuí apresentará cinco sessões do espetáculo “Mambos, boleros e chá-chá-chás”. Elas acontecerão entre esta quarta-feira, 13, e este sábado, 16, no teatro “Procópio Ferreira”.

A superprodução envolve a Banda Sinfônica, Coro Sinfônico Jovem, Coro de Câmara e Cia. de Teatro do Conservatório de Tatuí. A direção geral e o texto são de Dario Sotelo.

Serão três sessões didáticas voltadas a escolas da rede municipal, atendendo cerca de 1.200 alunos. As outras duas apresentações, nos dias 14 e 16, quinta-feira e sábado, respectivamente, acontecerão às 20h e serão abertas ao público geral.

Os ingressos custam R$ 25 (a meia-entrada sai por R$ 12,50). Desde a semana passada, eles já podem ser adquiridos na bilheteria do Conservatório. O público pode retirar os ingressos na rua São Bento, 415, no centro.

O espetáculo trata de uma história da década de 1970 e vivida entre duas personagens. Elisa, uma jovem romântica e apaixonada, é habituada a acompanhar os avós Vitor e Amália nos bailes da época. Ela adora a música latina, com seus mambos, boleros e chá-chá-chás. O problema é que o namorado, Eduardo, é louco por rock – e apenas rock.

Publicidade

Elisa quer a companhia do namorado nos bailes em que frequenta, mas tem um grande desafio pela frente. Ela precisa convencer Eduardo a dar uma chance para outros ritmos e estilos e a aceitar a diversidade musical.

O elenco conta com os atores Gabriela Bassi, Bruno Assunção, Vinicius Mello, Tatiane Villega e Wellinton Rodrigues. Carlos Alberto Agostinho assina o figurino e Jaime Pinheiro faz a cenografia.

A direção cênica é de Adriana Afonso e a coordenação é da maestrina Cibele Sabioni e Rogério Vianna.

Haverá participação dos dançarinos Pablo Andrés Scanavino e Sonia Maria Quiroga, de São Paulo, e a presença especial de Pablo Dell’Oca Sala, da Argentina. Ele assina os arranjos das obras do espetáculo e dividirá a regência com Sotelo.

Publicidade