Conselho de Turismo aguarda apoio para manter o ‘Selo de Qualidade’

Comtur precisa investir para certificar as empresas do ramo no município

1436
Presidente do Comtur reitera importância de certificação para o interesse turístico de Tatuí (foto: arquivo O Progresso)
Publicidade
Fabio Villa Nova
Antuerpia

O Comtur (Conselho Municipal de Turismo) de Tatuí está à procura de patrocinadores para manter o trabalho de reconhecimento e promoção do Selo de Qualidade Turística na cidade.

De acordo com o presidente da entidade, Wagner Eduardo Graziano, cada selo custa em torno de R$ 10, mas o Comtur, este ano, não tem verba para bancar a impressão das identificações e a confecção das placas de acrílico.

Esses materiais são destinados às empresas do setor que aderiram ao projeto e, na sequência, tiveram seus produtos e serviços avaliados como merecedores do selo de qualidade.

Foram feitas diversas propostas e enviados vários ofícios a empresas que poderiam ser possíveis patrocinadoras. Até esta segunda-feira, 26, no entanto, o conselho ainda não havia conseguido apoio. Pelo menos cem empresas devem ser certificadas este ano. Por isso, o valor estimado de gastos é de R$ 1.000.

O Selo de Qualidade Turística foi lançado em março de 2016, visando melhorar a estrutura e o atendimento de restaurantes, bares, hotéis e agências de viagens. A certificação é conferida aos estabelecimentos com a “excelência e qualidade” dos serviços prestados.

Publicidade
Antuerpia
Fabio Villa Nova

O projeto foi criado pelo Conselho Municipal de Turismo de Tatuí com apoio da Associação Comercial e Empresarial, da Prefeitura Municipal e do São Paulo Conventions & Visitors Bureau. No primeiro ano, mais de 50 empresas foram certificadas.

Graziano explica que o selo tem validade de um ano e que os estabelecimentos precisaram passar por qualificação contínua para mantê-lo. As empresas que ganharam o selo na edição anterior continuam com o título, mas devem passar por nova avaliação para receberem a certificação em 2018.
“Uma vez que você ganha o selo, ele é seu. Você pode usá-lo infinitamente. O que acontece é que existem melhorias que devem ser feitas no estabelecimento para que você receba um novo selo, que, na verdade, vai ser feita a partir deste ano”, explicou.

Segundo o presidente do Comtur, todas as regras para a certificação das empresas já foram definidas e a ideia do conselho, neste ano, é continuar com a entrega dos selos que, no ano passado, não pode ser feita por falta de verba.

“Por isso é que nós precisávamos ter uma empresa patrocinadora todo ano, para não haver esta queda que nós tivemos no ano passado”, reiterou Graziano.

Os requisitos para a concessão do selo estão descritos no regulamento oficial, disponível no site da Prefeitura: www.tatuí.sp.gov.br. As fichas de requisição são encontradas no mesmo endereço eletrônico. O procedimento é gratuito.

Recebem os selos empresas que atendem aos pré-requisitos exigidos e certificadas por uma comissão do Comtur. Agências de turismo, meios de hospedagem, restaurantes, bares e similares, atrativos turísticos e demais prestadores de serviços turísticos interessados podem solicitar a certificação.

Os estabelecimentos precisam estar em dia com todas as licenças de funcionamento vigentes em órgãos públicos fiscalizadores e perante a Prefeitura.

“No lançamento do selo, nós procuramos as empresas, porque a gente queria mostrar o que existia. Mas, a ideia é que, neste ano, os estabelecimentos procurem isso, procurem o conselho para ter este selo”, argumentou o presidente.

“É importante para o município, é importante para a empresa. Seja um restaurante, um hotel ou empresas ligadas diretamente ao turista. O selo mostra que este estabelecimento está apto a receber turistas. Então, a ideia é fazer com que o selo seja de interesse de todos e ligado ao interesse turístico”, concluiu Graziano.

Publicidade
Fabio Villa Nova
Antuerpia