Confidência

558
Publicidade

Não sei fazer

versos com erudição

porque erudito não sou.

Então vou escrevendo

meus poemas intimistas

Publicidade

com a simplicidade

e ingenuidade

daquelas estrelas

que ficam piscando por aí

nas noites calmas

de céu limpinho.

Às vezes me arrisco,

avanço o sinal e digo:

Teus seios cabem

direitinho em minhas mãos

e descanso o meu olhar apaixonado

na beleza do teu sorriso.

Publicidade