Colunista do O Progresso é o novo membro da academia de literatura

Henrique Autran ocupa a cadeira número 43 da AILB, com sede na Flórida

1152
Henrique Autran Dourado, colunista do jornal O Progresso (foto: arquivo pessoal)
Publicidade
Da reportagem

O professor, músico e escritor Henrique Autran Dourado, colunista de O Progresso e ex-diretor do Conservatório de Tatuí, é o novo membro da AILB (Academia Internacional de Literatura Brasileira), criada pela Focus Brasil Foundation, com sede na Flórida, Estados Unidos.

A FBF é uma entidade de caráter cultural, sem finalidade lucrativa, com foco na divulgação e fortalecimento da cultura brasileira no exterior, principalmente nos Estados Unidos. A fundação promove uma série de eventos envolvendo brasileiros residentes nos EUA e Brasil.

A criação da AILB -fundada em 12 de setembro deste ano,durante o Encontro Mundial de Literatura Brasileira “Focus Brasil NY” – é a mais recente atividade da entidade, visando “estimular e promover a literatura brasileira, cultura, as ciências sociais e as artes do Brasil no exterior”.

Carlos Borges, o idealizador do projeto, informa que a AILB será um espaço para promover os autores brasileiros que vivem fora do Brasil. Ela tem uma configuração virtual no www.focusbrasil.org, dedicada aos autores e “patronos” – grandes nomes da cultura brasileira -, com material ilustrativo e informativo do trabalho do autor.

Autran ocupa a cadeira número 43 e foi indicado como membro pela direção geral da AILB, formada por Borges e Nereide Santa Rosa, CEO da Underline Publishing e coordenadora do Focus Brasil NY.

Publicidade

A oficialização do escritor como integrante da academia ocorreu no sábado passado, 18, quando nome e histórico dele foram aprovados e publicados no site oficial, legitimando a inclusão na academia.

Segundo Autran, a indicação ocorreu após o Focus Brasil NY. O escritor fora convidado, pela coordenadora Nereide, a integrar o encontro, promovido entre os dias 9 e 12 de setembro.

O fórum seria realizado em Nova Iorque, contudo, devido à pandemia do novo coronavírus, ocorreu em ambiente virtual, com participação de escritores do Brasil e exterior. Na ocasião, Autran abordou o livro “Memórias de Isolamento – Saudosos Velhos Amigos e Outras Crônicas”.

“Falei neste fórum sobre o meu livro e, depois, surgiu essa indicação. Foi uma surpresa e uma alegria muito grande. Além da inserção do meu nome na academia, eles também fizeram um livro com os autores, e acredito que depois venha algum certificado oficializando todo o processo”, comentou o escritor.

Os membros têm acesso prioritário aos eventos produzidos e promovidos pela academia. Também podem votar e serem votados anualmente na escolha dos destaques literários da AILB, dentro do evento Focus Brasil.

A galeria de membros da AILB congrega escritores brasileiros de nascimento residentes nos EUA e Europa, tendo como patronos: Paulo Freire, Caio Fernando Loureiro de Abreu, Cecília Meirelles e Vinicius de Moraes, entre outros escritores brasileiros.

Autran falou sobre o trabalho da fundação, ressaltando a estrutura do fórum e a importância do movimento para o fortalecimento e divulgação dos escritores brasileiros no exterior.

O escritor ainda destacou pontos da formatação da nova academia literária, apontando algumas diferenças entre a AILB e as demais academias de letras e literatura.

“Uma coisa boa é a forma como eles conduzem essa nova Academia, sem aqueles velhos medalhões da Academia de Letras, por exemplo. Outra coisa legal é que, na maioria das academias, você tem pessoas bem mais velhas, e lá na AILB vejo pessoas de todas as idades. Acho uma riqueza grande estar em um organismo dinâmico como este, e que pode abrir muitas portas. Então, fiquei feliz demais com essa indicação”, concluiu o escritor.

Henrique Autran

Autran é mestre, doutor e professor (aposentado) pela ECA/USP. Cursou a Fefierj (Uni-Rio), foi bolsista da Orquestra Sinfônica Brasileira, estudou no Berk-lee College of Musica e no The New England Conservatory (EUA).

Entre as experiências de estudo, teve aulas de contrabaixo com Edwin Barker, solista da Sinfônica de Boston, e de composição com Wilian Mckinley, Di Domenica (ex-aluno de Arnaldo Schönberg) e Joseph Maneri (Alban Berg).

Durante a carreira como músico, participou das versões originais de “Gota D’Água”, de Chico Buarque, com Bibi Ferreira, a “A Caverna”, junto ao suíço Walter Smetak (MAM/Rio), integrou orquestras norte-americanas e brasileiras, como a Osesp, com Eleazar de Carvalho.

Como professor, Autran lecionou na EMM do Theatro Municipal de São Paulo e foi diretor da unidade de 1985 a 2008. Também foi criador e diretor da Escola Superior de Música da Faculdade Cantareira de SP (2005).

Atuou como diretor do Conservatório de Tatuí entre os anos de 2008 e 2018, foi palestrante na Universidade de Rchmond (EUA), em 2003, duas vezes compositor da Bienal de Música Contemporânea (RJ) e apresentador, com Marcelo Tas, do programa “Sinfonia Cultura”, da Rádio Cultura FM.

Durante a carreira, ainda atuou na Associação Brasileira de Escolas de Música (Abemus) e na Frente Parlamentar pela Inclusão do Ensino da Música (Alesp), foi curador de música do Sesc Pinheiros, trabalhou como consultor da Fundação Roberto Marinho e parecerista da Fapesp, da USP e da UFRG. É membro da Academia Luminescência Brasileira (Alumbra).

Como escritor, Autran soma obras como “O Arco dos Instrumentos de Cordas” (Edicon, 1998), que recebeu prêmio da Academia Paulistana de História, em 1999; “Pequena Estória da Música” (Vitale, 1999); “Dicionário de Termos e Expressões da Música” (Ed. 34, 2003); e foi colaborador de “Uma Poética Musical Brasileira e Revolucionária”, de Jorge Antunes, da UnB (Sistrum).

Pelo trabalho realizado, recebeu os títulos de “Músico do Ano” (OMB, 1986), cidadão paulistano, pela Câmara Municipal paulistana (2003), “Diploma de Mérito”, “Medalha Carlos Gomes”, comendador e chanceler, pela Sbace/MINC (Sociedade Brasileira de Arte, Ciência) e “Grã-Cruz da Ordem do Mérito”, cônsul e chanceler internacional, pela AB-FIP ONU (Forças Internacionais de Paz ONU, 2013), “Internacional Visitor Leadership Program”, pela US Dept. of State (2009), “Medalha Tiradentes” (Alesp), “Master in Total Quality Administration” e “Quality Assurance Manager” (2013), pela Latin American Quality Institute (LAQ).

Publicidade

2 COMENTÁRIOS

Comments are closed.