Cinco pontos essenciais sobre financiamento em meio à pandemia

204
Foto: Martin Sanchez on Unsplash
Publicidade
Siltec
Yslanda Barros *

O cenário de incertezas provocado pela pandemia do coronavírus tomou proporções inesperadas, paralisou países e afetou a economia mundial. A taxa de desemprego subiu e de rendimentos também. Surgiram, então, diversas dúvidas sobre como pagar dívidas pontuais como, por exemplo, o financiamento.

Com isso, bancos de todo o Brasil se mobilizaram para dar novas saídas em meio à crise, como por exemplo, oferecer a negociação das parcelas dos financiamentos e isenção de juros.

Quem possui contrato de financiamento está conseguindo pleitear com os bancos até 90 dias de pausa no pagamento de parcelas. Mas vale ressaltar que essa pausa é para clientes adimplentes ou com até duas parcelas em atraso, incluindo os imóveis em construção.

Separamos cinco pontos importantes sobre a renegociação de financiamentos:

  1. Procurar, antes do vencimento da parcela, o banco responsável pelo financiamento para negociar. Alguns bancos estão congelando prestações da casa própria, que variam de 60 a 90 dias;
  2. Caso o banco negocie novos prazos, é importante entender que essas parcelas não foram canceladas, e sim adiadas;
  3. Os pedidos são avaliados caso a caso, de acordo com o relacionamento e histórico de cada cliente. A solução não é oferecida, por exemplo, para quem já tenha contratado outras linhas de crédito nas últimas semanas, como cheque especial;
  4. Procurar saber sobre juros, em alguns casos, dependendo do órgão responsável pelo financiamento, a cobrança de juros é automática, por isso é sempre bom estar em contato direto com os gerentes para esclarecer todas as dúvidas;
  5. Analisar se realmente precisa desta negociação, caso a resposta seja negativa, pagar sua a dívida na data acordada é a melhor opção.

* Consultora de negócios e marketing, especialista no mercado imobiliário.

Publicidade
Siltec