Chuvas causam transtornos no municí­pio

    423
    Publicidade
    Anglo
    Alessandra Bonilha, dra
    Siltec
    EleService institucional





    As chuvas intensas que caem sobre a região desde sexta-feira, 8, causaram estragos em Tatuí. Uma árvore de grande porte, na Praça da Matriz, precisou ser retirada porque as raízes e a estrutura acabaram sendo comprometidas.

    A árvore, que fica em frente a uma banca de jornal, ficou torta, com risco de tombar sobre um prédio de dois andares que abriga uma loja e uma residência. Segundo moradores, a árvore começou a tombar no sábado, mas acelerou a inclinação desde domingo, chegando a levantar uma parte da calçada.

    Moradora de um dos imóveis em risco, Hilda Rodrigues Ferreira ficou assustada com a inclinação da árvore acionou os bombeiros.

    “De sexta-feira para cá (terça-feira, 12), teve o levantamento da calçada, por causa da raiz, e ela estava pendendo para cair nos dois imóveis. As mais atingidas seriam as casas e as lojas. Daí, nós pedimos para o Corpo de Bombeiros vir, e eles começaram prontamente a cortar a árvore. Está todo mundo trabalhando”, afirmou.

    Publicidade
    EleService institucional
    Anglo
    Alessandra Bonilha, dra
    Siltec

    O Corpo de Bombeiros foi acionado e começou o processo de remoção na manhã de segunda-feira, 11. A ação contou com a participação de funcionários da concessionária de energia elétrica Elektro, do Departamento Municipal de Trânsito e Transporte, da Guarda Civil Municipal e da Secretaria Municipal de Infraestrutura, Meio Ambiente e Agricultura.

    A retirada da árvore durou mais de 12 horas. Para não comprometer o prédio próximo e a fiação de energia elétrica, os bombeiros precisaram amarrar cada pedaço dos galhos antes de fazer o corte com a motosserra.

    “Estamos usando cabos para fazer a descida dos galhos maiores. Neste caso, não podemos fazer o corte único, pois é perigoso pegar nas edificações e danificar o patrimônio”, explicou o tenente do Corpo de Bombeiros Josias da Conceição Júnior. Para chegar ao topo da árvore, os militares usaram uma viatura com escada “Magirus”.

    “É um trabalho delicado, pois se trata de uma árvore de grande porte, e ela está em cima das residências e comércio. Precisamos dispor de uma viatura aérea, com escada, para poder efetuar o corte”, detalhou o militar.

    Segundo o tenente, não foi necessário pedir reforço ou veículos de outras unidades da corporação. Todo o trabalho foi feito pela equipe de Tatuí.

    “As duas viaturas são de Tatuí mesmo. A Elektro fez o desligamento da energia e a Prefeitura desligou os semáforos da rua 11 de Agosto”, contou.

    Duas lojas que funcionavam no local precisaram ser fechadas para garantir a segurança dos funcionários e clientes. A energia elétrica foi desligada pela Elektro.

    De acordo com o tenente Josias, não é possível afirmar com precisão as causas da inclinação da árvore. “O fato é que ela está inclinada mais do que o normal e acabou danificando o piso da praça. Por bem, decidimos fazer o corte, por causa do risco de queda”.

    Em nota, a Prefeitura informou que as praças da cidade “são monitoradas periodicamente pelo setor de áreas verdes” e que, nos próximos dias, o local irá receber uma nova muda da mesma espécie retirada.

    Durante o serviço de remoção da árvore, o trânsito na rua Coronel Aureliano de Camargo precisou ser desviado, na altura da rua Prudente de Moraes. Os motoristas precisaram descer até a rua do Cruzeiro, caso precisassem acessar a rua 11 de Agosto.

    O desvio do trânsito causou congestionamento, que complicou o tráfego na região central. A rua 11 de Agosto teve uma faixa interditada, na altura da Praça da Matriz.

    A chuva também atrapalhou os motoristas que utilizam o anel viário “Guaraci de Oliveira”. Uma das alças de acesso que liga a rodovia Antonio Romano Schincariol (SP-127) ao dispositivo foi interditada.

    A grande quantidade de chuva ocasionou um deslizamento de terra, que entupiu as galerias de águas pluviais. Com isso, a pista de acesso ficou alagada e precisou ter o trânsito, no sentido Jardim Lírio-SP-127, interrompido pela CCR-SPVias.

    Segundo a Secretaria de Infraestrutura, a empresa responsável pela obra já foi notificada para executar o serviço de limpeza no sistema de drenagem.

    Os trabalhos devem ser iniciados assim que as chuvas parem. A expectativa de liberação do trecho é de dez dias. A alternativa para os motoristas entrarem em Tatuí é utilizar a avenida Vice-prefeito Pompeo Reali.

    No bairro Colina Verde, a ponte da rua Nhô Inácio Vieira precisou ser interditada. A ligação estava passando por obras de revitalização nos últimos dias.

    Para não comprometer a obra e garantir a segurança dos motoristas e pedestres, a Secretaria de Infraestrutura decidiu interditar a passagem.

    O cronograma de recuperação da ponte foi suspenso, de acordo com a Prefeitura. Não há previsão para a liberação da via. Os motoristas devem usar a ponte principal do bairro, na rua Caridade Terceira.

    A cheia do rio Tatuí fez com que a ponte da rua Teófilo de Andrade Gama precisasse ser interditada no início da noite de terça-feira. O Corpo de Bombeiros interditou a ponte e estava controlando o fluxo de veículos no local, que liga a região do Jardim Santa Rosa ao bairro Santa Rita de Cássia.

    “Meu filho mora no Santa Rita e veio guardar o carro aqui em casa, pois não conseguia atravessar a ponte”, afirmou Laura Marques, moradora do bairro Boqueirão.

    No distrito de Americana, os moradores voltaram a sofrer com a cheia do rio Sorocaba, que tinha tido uma queda no nível na semana passada. Segundo o Corpo de Bombeiros, o distrito foi um dos locais com maior número de ocorrências da semana. Não há informações do nível do rio até o fechamento desta edição (terça, 18h), entretanto.


    Publicidade
    EleService institucional
    Anglo
    Siltec
    Alessandra Bonilha, dra