Centro de Artes e Esportes terá atividades da Semana P. Setúbal

219
Publicidade





Gleicy Ellen de A. Domingos

Turmas fazem aulas de Zumba (que contempla movimentos aeróbicos ao som de música de ritmo específico)

 

A organização para a “Semana Paulo Setúbal” começou e, neste ano, prevê atividades também no CEU (Centro de Artes e Esportes Unificados). Elas acontecem entre os dias 1 e 16 de agosto, mas dependem de pontos a serem “vistos e confirmados”.

De acordo com a coordenadora do espaço, Priscila Simões, entre uma das ações programadas está uma exposição fotográfica. A mostra apresentará “desfiles antigos realizados no município em décadas anteriores”. Também está prevista a apresentação de uma peça de teatro pelo Conservatório de Tatuí.

Publicidade

Inaugurado no dia 16 de maio, o CEU comportando dois edifícios multiuso, sendo considerado “o maior complexo esportivo” mantido pela Prefeitura. Além de atividades esportivas, ele abriga eventos culturais, como a “Semana da Música”, realizada entre os dias 13 e 17 deste mês. O evento reuniu música e solidariedade.

Ao todo, dez bandas participaram da iniciativa que aconteceu nas instalações do espaço. Nos cinco dias de apresentações, os grupos embalaram o público das 18h às 22h.

A coordenadora geral do Ceu explicou que a Semana da Música surgiu devido às datas comemorativas do Dia Internacional do Rock (celebrado no dia 13 de julho) e da Semana do Cantor (de 13 a 17 de julho).

Com um cronograma musical variado, o evento trouxe, na segunda-feira, representantes do “som pesado”. Na data, apresentaram-se as bandas Vodkajoe, Banda Sagra, SP-127 e Sopa Cósmica.

Na terça-feira, 14, a animação ficou por conta das sonoras instrumentais regadas de jazz, com interpretação da Banda Smart e do grupo Canjazz.

Na quarta, 15, o pagode abriu as apresentações no palco do CEU, com o Grupo Zuaê. O público que compareceu ao espaço também pôde ouvir “baladas do ritmo sertanejo”.

As peculiaridades e rítmicas do hip-hop tomaram o palco do centro na quinta-feira, 16, com a apresentação do “rapper” tatuiano Visel MC.

Encerrando a agenda da semana, na sexta-feira, 17, o público prestigiou as “arranhadas precisas e variadas” dos DJs Feriique, Helbert Fonseca e Marcelo Delarole.

“Todos os músicos que se apresentaram foram voluntários. Vieram para conhecer o espaço, mostrar o trabalho deles e ajudar”, contou Priscila.

Realizado também em prol da Santa Casa de Tatuí, o evento teve entrada franca, e, para quem quisesse, era possível doar um litro de leite.

Até no período da manhã de quinta-feira, 16, a organização contabilizou a doação de dois fardos e meio de caixa de leite. Para incentivar os donativos, os organizadores realizaram sorteio de brindes durante os shows, para os doadores.

Além da semana, o CEU oferece, diariamente, atividades gratuitas à comunidade. Elas têm como objetivo incentivar a prática de esportes e “agregar conhecimento”.

Aulas de xadrez, zumba, balé, “break”, coral, violão, oficinas de artesanato com EVA, informática, ensaio de dança, capoeira, práticas do regime Dukan, teatro, palestras de fotógrafos e percussão corporal são algumas das vivências oferecidas.

As famílias que residem próximas ao CEU podem receber atendimento gratuito no Cras (Centro de Referência de Assistência Social), sediado no mesmo prédio.

Vôlei, basquete e futsal são as opções para as práticas esportivas, mas, para quem prefere momentos de leitura, a biblioteca pode ser uma boa escolha. No total, 3.000 obras estão disponíveis no acervo. “Por enquanto, a leitura é feita na praça, mesmo, pois ainda não abrimos cadastro para empréstimo”, contou Priscila.

No fim do mês, o espaço realizará o “Dia do Hip-Hop”, com performances de skatistas e com um torneio. O evento será realizado no dia 31, a partir das 18h.

Segundo Priscila, além do campeonato, a ação mobilizará vários grupos do estilo para realizarem a “batalha do junca”, um desafio de rimas entre os participantes.

Público fiel

A expectativa da Prefeitura com o Centro de Artes e Esportes Unificados é atender 5.000 pessoas. O número inclui moradores do Boqueirão, vila Santa Helena, jardins Rosa Garcia 1 e 2 e Santa Rita de Cássia. Parte dessa população já visita o espaço desde a metade do ano passado, antes mesmo da inauguração.

Eles participam das aulas de zumba, que pode ser considerada verdadeira febre entre o público, em especial, o feminino. As aulas são as mais requisitadas.

Os projetos implantados no CEU são definidos por uma comissão que inclui o secretário municipal de Esportes, Lazer e Juventude, Miguel Lopes Cardoso Junior. Também tem vez e voz no centro o diretor do Departamento Municipal de Cultura e Desenvolvimento Turístico, Jorge Rizek.

Responsável por viabilizar as atividades, Priscila continua a contabilizar a presença de “grupos distantes”. Em maio deste ano, o mais assíduo era oriundo da vila Angélica.

São mulheres que caminham quase cinco quilômetros (distância entre o bairro e o centro) por dia para frequentar as aulas de zumba. Priscila explicou que o número de pessoas varia conforme o dia. As turmas oscilam entre 130 e 150 pessoas.

O público adicional que procura o CEU busca aulas esportivas e atividades culturais. O local é considerado “um investimento realizado para atender as necessidades da comunidade”. Como tal, conta com a colaboração do público para definir as ações. Daí, as presenças de tantas bandas e de esportistas.

Além de prever as solicitações da comunidade, a criação de um comitê gestor do centro resultou em ações práticas. Entre elas, as aulas de futsal (com turmas masculina e feminina), de capoeira e um projeto para incentivo da prática da caminhada. Os planos da secretaria de Esportes são de acrescentar aulas voltadas à prática e formação de turmas de voleibol e basquetebol.

Todas as ações são planejadas conforme solicitação da comunidade e de líderes comunitários. O trabalho é regulamentado por um estatuto aplicado por uma comissão formada pela Prefeitura e por pessoas de cada bairro do entorno.


Publicidade