CDHU abre inscrição a 158 moradias do programa ‘Nossa Casa’ em Tatuí

Cadastro é realizado por meio de aplicativo de celular ou pelo site oficial

2533
Moradias são destinadas à população de baixa renda
Publicidade
Siltec
Da redação

Mais 158 famílias de Tatuí poderão ser beneficiadas com a casa própria por meio de financiamento com a CDHU (Companhia de Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo).

A companhia, que se trata de órgão operacional da Secretaria de Estado da Habitação, abrirá, de 8 a 13 de janeiro, as inscrições para a participação no sorteio das primeiras 158 unidades do programa “Nossa Casa” no município.

As inscrições serão realizadas por meio de aplicativo de celular e pelo site da CDHU. Para concorrer ao sorteio das casas, o pretendente deve fazer a inscrição no aplicativo Kaizala, disponível gratuitamente nas lojas App Store e Play Store, ou pelo site www.cdhu.sp.gov.br.

Depois de realizado o cadastro, é necessário consultar o aplicativo ou o site para ficar informado sobre o prazo de inscrição para concorrer às unidades disponibilizadas pelo programa “Nossa Casa-CDHU”.

De acordo com a assessoria de comunicação da prefeitura, a seleção dos beneficiados será feita por sorteios públicos classificatórios. Só poderá se candidatar a um imóvel quem estiver morando ou trabalhando na cidade e não ter sido beneficiado por nenhum outro programa habitacional.

Publicidade
Siltec

Ainda conforme o Executivo, outra exigência do programa é que o candidato esteja com o nome “limpo”, ou seja, sem nenhuma restrição de crédito para obter o financiamento ofertado pelas regras da Caixa Econômica Federal. Também não poderá possuir pendência com a Receita Federal.

Os imóveis vão atender a famílias com renda entre um e meio e cinco salários mínimos. A Secretaria de Habitação concederá subsídios de até R$ 40 mil, conforme a renda das famílias.

Será possível contar, ainda, com subsídios federais e utilizar o FGTS no financiamento habitacional. Dessa forma, o valor das prestações ficará compatível com a capacidade de pagamento das famílias.

Além disso, conforme as regras do programa, 7% das moradias são reservadas a famílias com membros portadores de deficiências graves e/ou irreversíveis; 5% a famílias compostas por indivíduos idosos (maiores de 60 anos); e 4% a policiais civis, policiais militares, agentes de segurança penitenciária e agentes de escolta e vigilância penitenciária.

Os empreendimentos serão viabilizados pela modalidade “Nossa Casa-CDHU”, que prevê, na primeira etapa, a construção de 11 mil moradias em 113 cidades, em parceria com a Caixa Econômica Federal.

Nessa modalidade, os terrenos são ofertados pelos municípios e a construção das moradias é realizada com recursos da Caixa e da Secretaria da Habitação, por intermédio da Agência Paulista. A CDHU já fez o credenciamento de empresas para a execução de 7.278 unidades da primeira etapa.

A CDHU também disponibilizou na internet um vídeo explicativo, que pode ser acessado por meio do link: http://bit.ly/361xtkD. Além disso, a prefeitura está oferecendo orientação e suporte para as inscrições online, no paço municipal, e nos postos do AcessaSP, situados na praça Martinho Guedes, 12, e no Cras Sul, à rua Osmil Martins, 305, Jardim Santa Rita de Cássia.

No dia 17 de dezembro, aconteceu um treinamento ministrado pela CDHU, que transmitiu as orientações técnicas sobre o preenchimento do formulário eletrônico de inscrições por meio do aplicativo Kaizala ou pelo site da companhia.

O workshop teve presença do diretor de atendimento habitacional da companhia, Marcelo Hercolin, que fez a abertura do evento. Os participantes também receberam uma cartilha informativa sobre os requisitos legais que deverão apresentar para terem o financiamento aprovado pela Caixa Econômica Federal.

A companhia prevê a construção de um conjunto habitacional com dez torres de 16 apartamentos em cada uma delas (quatro unidades por andar). O novo empreendimento está sendo construído em uma área da prefeitura de 17,4 mil metros quadrados, no bairro Inocoop.

O convênio entre a prefeitura e a CDHU foi assinado em abril de 2018. Os apartamentos estão sendo construídos em paralelo ao processo de inscrições e seleção. Após o término, ocorrerá o sorteio das unidades.

A O Progresso, o vice-prefeito Luiz Paulo Ribeiro da Silva reforçou que o empreendimento no Inocoop poderá beneficiar toda a população. “A mensalidade deve girar em torno de R$ 130 a R$ 150, e todo mundo que não tiver casa vai poder concorrer”, observou o vice-prefeito.

Publicidade
Siltec

3 COMENTÁRIOS

  1. Gostaria de fazer a inscrição, moro no serviço, queria ter muito minha casa.

Comments are closed.