Capacitações do Novotec trabalham com modelo de ensino internacional

Parceria poderá permitir aplicação de programa pioneiro no município

432
Os diretores Mauro Tomazela, Beatriz Soares Amaro e a prefeita Maria José Vieira de Camargo (foto: Diléa Silva)
Publicidade
Siltec
Da reportagem

Os cursos do Novotec – ensino médio integrado com o técnico – iniciados pela Etec (Escola Técnica) “Sales Gomes” e a Fatec (Faculdade de Tecnologia de Tatuí) “Professor Wilson Roberto Ribeiro de Camargo”, contam com um modelo de ensino internacional. A informação é dos diretores das unidades tatuianas.

A O Progresso, na quinta-feira, 6, Mauro Tomazela, diretor da Fatec, e Beatriz Soares Amaro, diretora da Etec, falaram sobre a estrutura do Novotec oferecida em Tatuí e garantiram que uma nova parceria poderá permitir a aplicação de programa pioneiro no município.

Atualmente, o Novotec oferece, para 80 alunos, o ensino médio com habilitação profissional em administração e ensino médio com habilitação profissional em desenvolvimento de sistemas, sendo 40 vagas para cada um dos cursos.

Os dois fazem parte da modalidade AMS (Articulação dos Ensinos Médio-Técnico e Superior), baseada no P-Tech, modelo internacional de ensino que articula formações profissionais com as necessidades do mercado de trabalho.

O programa possibilita que, ao concluir o ciclo de três anos, o estudante opte por cursar o ensino superior tecnológico em mais dois anos na Fatec, sem necessidade de novo vestibular e completar em cinco anos os três níveis de ensino: médio, técnico e superior tecnológico (atualmente, são necessários seis anos).

Publicidade
Siltec

Beatriz explicou que os alunos que ingressaram no Novotec fizeram vestibular no final do ano passado. Porém, inicialmente, somente o curso de administração teria a possibilidade de finalizar os três níveis em cinco anos.

A inclusão dos estudantes do ensino médio com habilitação técnica profissional em desenvolvimento de sistemas nesta modalidade de ensino aconteceu na semana passada, quando as unidades conseguiram o “apadrinhamento” do empresário Ernesto Haberkorn, sócio-diretor da ERPFlex e da Microsiga – TOTVS, responsável pelo projeto “TOTVS dá Educação”.

Com a parceria, ao concluir o ciclo de três anos, o aluno de desenvolvimento de sistemas do Novotec poderá completar o curso superior tecnológico de análise e desenvolvimento de sistemas com mais dois anos de estudo na Fatec.

“A verticalização para o ensino superior já seria feita com os alunos do curso de administração, porém, para os de DS, nós tínhamos que ter uma empresa parceira para que eles pudessem ter uma vivência no ambiente de trabalho, conforme é exigido pelo P-Tech”, revelou a diretora.

Outro diferencial conquistado com a parceria, segundo os diretores, é a oportunidade que os alunos vão ter com horas de experiências dentro de empresas do setor de tecnologia, que devem ser somadas às 3.000 horas regulares do curso.

Tomazela explicou que o novo modelo de ensino possibilita que os alunos apliquem no ambiente real de trabalho a teoria que aprendem em sala de aula. Ele reforçou que, com o “apadrinhamento”, os estudantes poderão vivenciar práticas profissionais e conhecer as áreas de tecnologia da informação, o processo produtivo e o desenvolvimento dos produtos.

“Agora, podemos dizer que conseguimos a cereja do bolo. As duas turmas vão ter esta possibilidade. Não será obrigatório, mas o aluno que quiser poderá continuar no curso e finalizar com o ensino superior”, completou Beatriz.

O diretor antecipou que os estudantes poderão receber apoio de profissionais que atuarão como mentores no projeto e, ainda, terem prioridade para contratação pelo programa de estágio das empresas.

“Ao integrar o ensino médio com a educação profissionalizante, nós também estamos otimizando o tempo de formação. Com este novo ensino, o estudante já sai especialista na área de atuação dele, e teremos uma grande evolução para o mercado de trabalho, garantindo empregabilidade”, reforçou Tomazela.

Beatriz lembrou que Tatuí é uma das primeiras cidades a conseguir o “apadrinhamento”. As aulas do modelo AMS começaram no ano passado em três municípios do estado. As primeiras turmas foram implantadas em parceria com a IBM, em Americana e na capital, e com a Volkswagen, em São Caetano do Sul.

As instituições estão em fase de formalização do convênio com a Haberkorn e aguardam a aprovação do setor responsável pela AMS, dento do CPS.

O vestibulinho para o primeiro semestre deste ano ofereceu 1.156 vagas para a AMS em mais de 20 municípios paulistas. No primeiro semestre de 2019, quando as três primeiras turmas foram implantadas, eram 120 vagas.

“Na região, a modalidade de ensino foi estendida apenas às cidades de Sorocaba, Itu e Tatuí. Entre elas, nós somos a primeira a conseguir apadrinhamento. Teríamos até três anos para conseguir este beneficio, mas trabalhamos muito para conseguir antes, e conseguimos”, disse Beatriz.

Também a O Progresso, a prefeita Maria José Vieira de Camargo afirmou que o novo modelo educacional é “um avanço para a educação do município” e parabenizou o trabalho da diretoria das duas instituições pela conquista.

“Nós, da prefeitura, estamos muito satisfeitos em ver o trabalho das instituições na busca pela melhoria do ensino. Sabemos que isso é a construção de um trabalho diário, e isso só traz melhorias a toda a comunidade”, apontou.

Haberkorn – que apadrinhou o modelo baseado no P-Tech em Tatuí – participou da aula inaugural do Novotec na segunda-feira, 10 (reportagem nesta edição) e, a O Progresso, também ressaltou alguns pontos de melhoria com a aplicação do novo modelo educacional.

“Este projeto aumenta a parceria entre as empresas e as escolas e faz com o ensino seja cada vez mais atualizado. O Brasil precisa muito disso, e a Fatec com o CPS está na dianteira de um processo um pouco mais reticente, está à frente até de escolas particulares”, finalizou o empresário.

Publicidade
Siltec

DEIXE UMA RESPOSTA

entre com sua mensagem
entre com seu nome